Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Colossos jogam cartaz do dia

Silva Cacuti - 26 de Julho, 2018

Ajuste de contas marca hoje o jogo da segunda jornada

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

A segunda jornada do campeonato nacional sénior masculino reserva, para o dia de hoje, o confronto entre as equipas do Interclube e da Marinha de Guerra. O jogo encerra a jornada às 18h00.
Interclube, vice-campeão nacional, e a Marinha de Guerra, campeã provincial de Luanda, têm contas a ajustar. Nos últimos dois confrontos entre si, para o provincial e para a Taça de Angola, os marinheiros foram mais felizes. Para Victor Tchikoulaev, timoneiro da agremiação da Polícia Nacional, é tempo de desforra, firmar créditos e dizer que as águas passadas não movem moinhos. Ganhar é também uma mensagem aos sócios do Interclube de que a equipa vem ao campeonato com novas credenciais, com ambição de ganhar. De contrário, a Marinha assume-se como dona do segundo posto na escala do andebol nacional.
Na perspectiva do jogo, Victor Tchikoulaev disse que o objectivo da sua equipa é ganhar.
\"Vai ser um jogo interessante, mas isto faz parte do nosso trabalho. Vamos tentar marcar mais e sofrer menos que o adversário\", prometeu.
Nelson Catito, timoneiro da Marinha, tem mostrado uma equipa com outra atitude. Está no seu canto. Não soltou nenhuma palavra sobre o jogo com o Interclube. Age em surdina!
O jogo com o Interclube é um teste às suas ambições para o campeonato nacional.
A jornada abre às 9h45, com o campeão nacional, 1º de Agosto, a defrontar o Desportivo Exército. Os agostinos são favoritos e precisam de uma vitória robusta, para mostrar a seus adeptos que a \"desfeita\" no campeonato provincial de Luanda, onde se quedaram na terceira posição, é coisa do passado.
Filipe Cruz, treinador do 1º de Agosto, definiu a revalidação do título nacional como o objectivo e não se pode atrasar. Precisa ganhar e convencer com argumentos e exuberância, para que a imagem de candidato se possa reflectir na sua equipa.
O Petro de Luanda, vice-campeão provincial de Luanda, vai ter pela frente, às 11h00, as Organizações Joyce de Cabinda. Aqui, se a inexistência de um campeonato de seniores em Cabinda for considerada, pode-se dizer que o Petro vai ter um petisco.
André da Costa, timoneiro petrolífero, teve a \"cazola\" de chegar à final do campeonato provincial de Luanda e sabe que a prova nacional é mais exigente. Sabe também que os seus principais adversários vêm ao campeonato com orgulho ferido.

REGRAS
Os árbitros, que actuam nos 40º Campeonatos Nacionais seniores masculinos de andebol, não vão usar as habituais advertências verbais durante o ajuizamento das partidas. Estão limitados ao estrito cumprimento das regras. Os juízes foram assim aconselhados por António Goulão, delegado e formador da Federação Internacional (IHF), durante o seminário realizado nos dias 23 e 24, na antecâmara das competições.
\"Gostaríamos de ver pouca conversa entre os árbitros e os atletas. Os empurrões, puxões e outros actos à margem das regras devem ser sancionados com suspensão. Deixar as equipas jogar, mas dentro das regras\", orientou o prelector português. António Goulão começou a formação com a realização de um teste escrito para avaliar o nível dos árbitros e, no final, falou do que avaliou.
\"O nível que encontrei julgo ser razoável baixo, o que significa que têm de estudar mais as regras de jogo, fazer mais testes escritos e garantidamente vão melhorar os seus índices de conhecimento das regras de jogo\", esclareceu.
Estiveram na formação os árbitros de Luanda, Benguela, Cabinda, Huambo e Namibe, entre eles, alguns que não fazem parte do quadro de árbitros indicados para os campeonatos nacionais.
Francisco Nascimento, membro do Conselho Nacional de Arbitragem da Federação Angolana de Andebol, disse esperar por uma actuação melhorada dos árbitros, a julgar pela aprendizagem feita durante os dois dias de prelecção.
\"Os árbitros devem melhorar o seu desempenho e aplicação no domínio das regras. Esta formação surge no cumprimento do nosso programa e em boa hora, embora pese que o árbitro deve preparar-se bem ao longo de toda a época desportiva e não apenas para os campeonatos. A permissividade, que tem havido a nível nacional, faz com que muitas vezes as nossas equipas em provas internacionais sintam dificuldades\", disse.

AVALIAÇÃO DIÁRIA
O Conselho Nacional de Arbitragem (CNA) da Federação Angolana de Andebol vai implementar, a partir destes campeonatos, um modelo de avaliação diária à actuação dos árbitros durante o campeonato.
Hoje, na inauguração do modelo, na presença do prelector António Goulão, o CNA vai reunir com os árbitros que actuaram na jornada de ontem para avaliar o seu trabalho.O responsável do CNA referiu que da avaliação a ser feita vai depender a indicação dos árbitros para as jornadas subsequentes. SILVA CACUTI

NA ESTREIA
Petro de Luanda mostra garras

O Petro de Luanda começou ontem com vitória, 24-20, a busca pelo título do campeonato nacional sénior feminino. A equipa tricolor, vice-campeã nacional, venceu a Marinha de Guerra em partida que marcou a jornada inaugural do grupo B preliminar.
Para uma amostra daquilo que traz para tentar recuperar o título nacional, que lhe foge desde o  ano de 2014, a Marinha de Guerra foi a perfeita cobaia. O Petro de Luanda negou-se a facilitar.
A equipa de João Diogo esteve à altura da do Vivaldo Eduardo (Petro de Luanda), permitiu ver momentos de ataque continuado, experimentou variadas fórmulas defensivas e jogou também no contra-ataque. Marcou e sofreu golos e permitiu ao Petro de Vivaldo Eduardo, não só mostrar-se, mas sentir também alguns amargos de boca.
Vivaldo Eduardo prometeu vencer o campeonato nacional, após a derrota para privar o 1º de Agosto, no campeonato nacional. Atraiu para a sua equipa as atenções dos amantes da modalidade. Que trunfos traz na manga? O treinador do Petro de Luanda não os revelou todos.
O Petro de Luanda não usou o contra-ataque, uma das suas melhores armas. Vivaldo Eduardo fez a contenção de esforços desde o início. Começou o jogo com Ivete Simão à baliza e apenas ao minuto 18  chamou Bá para o posto.
A equipa melhorou as acções defensivas. Bá estorvou quanto pode e o Petro de Luanda chegou à vantagem de três golos ao intervalo: 12-9.  Bá não voltou a sair.
No segundo tempo, Vivaldo Eduardo fez jogar Lurdes Monteiro e Stelvia Pascoal. A equipa não entrou com a mesma atitude com que terminou a primeira parte. O Petro de Luanda deixou a Marinha de Guerra equilibrar o resultado. Chegou aos 16-18,  mas logo estabilizou o jogo.
As meninas do Catetão forçou as marinheiras a cometer erros sucessivos. Ao  minuto 25, a equipa da Marinha de Guerra alinhava apenas quatro atletas de campo por exclusão de duas companheiras.
Nesta fase do jogo por sanções progressivas, Suzete Cazanga viu cartão vermelho e dois minutos depois foi a vez de Alexandra Chaca, também petrolífera a ver a cartolina vermelha.
Os últimos minutos foram jogados pelo Petro de Luanda em ritmo de treino.
Edgar Neto, adjunto de Vivaldo Eduardo, disse no final que foi um jogo normal, enquanto João \"Docas\" pela Marinha considerou um grande jogo e que as suas pupilas podem fazer melhor.
Crisgunza tenta
Petro de Luanda
Depois de consentir derrota na jornada de abertura do campeonato nacional, diante do Progresso do Sambizanga, o Crisgunza de Benguela tenta hoje, às 12h45, obter a primeira vitória no campeonato nacional, quando defrontar o Petro de Luanda em partida que vai marcar a segunda jornada do grupo B preliminar do 40º campeonato nacional sénior feminino.
É uma missão difícil, quase impossível para Antero Lundungo \"Didi\", treinador da equipa benguelense, que joga o campeonato nacional pela primeira vez.
As benguelenses encantaram no seu campeonato. Venceram tudo e todos, dados que deram à equipa o sonho de tentar o pódio nacional. O sorteio ditou para a segunda ronda o confronto com o vice-campeão nacional, mas no desporto o \"impossível\" não existe antes do jogo.
Noutro jogo do grupo, a Marinha de Guerra defronta a Epal de Luanda, num jogo em que a balança vai pender para as Marinheiras, dada a maior experiência em provas nacionais.
Ontem, na primeira jornada do grupo o Progresso do Sambizanga venceu o Crisgunza por 26-19. 
SILVA CACUTI

MASCULINO