Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Domnio da Costa do Marfim e da Arglia

Silva Cacuti - 15 de Abril, 2019

Militares voltaram a festejar ontem em Marrocos

Fotografia: Jos Cola | Edies Novembro

Costa do Marfim, nas senhoras, e Argélia, nos homens, são os países mais bem sucedidos na Taça das Taças Africanas  de andebol. Em 34 edições, a Costa do Marfim tem 13 troféus, enquanto a Argélia tem 10. Nesta competição de clubes, o Africa Sports de Abidjan bate o recorde feminino com nove conquistas entre 1992 e 2001. O clube marfinense tem o Petro de Luanda no seu encalço com oito vitórias conquistadas de 2008 a 2014 e em 2018. 

A seguir estão três clubes com quatro estrelas cada uma.  Rombo Sport Costa do Marfim (2002, 2004, 2005 e 2006) , Camship Camarões (1987, 1988, 1989 e 1990) e 1º de Agosto (2015, 2016, 2017 e 2019). Com duas está o Mouloudia Clube da Argélia (1999 e 2003). Os angolanos reinam sobre o andebol africano nos últimos tempos com 12 títulos, atrás da Costa do Marfim. 

Os Grasshopers da Nigéria, vencedores da primeira edição em 1985, AS Cami Toyota de Camarões (1986), Deser Queens da Nigéria (1991) e Inter du Congo (2007) conquistaram o troféu apenas uma vez. Desde então é a travessia do deserto para esses clubes que fizeram algum furor no passado.Em masculinos, o Clube Mouloudia de Argel detém o recorde de vitórias com oito títulos (1991, 1992, 1993, 1994, 1995, 1997, 1998 e 1999) contra cinco do Zamalek do Egipto (1985, 2009, 2010, 2011 e 2016) e do Club Africain de Tunis (2001, 2004, 2005, 2007 e 2008). 

Esperance Sportive de Tunis (2003, 2014 e 2015) e Al Ahly do Egito (2013, 2017 e 2018) têm três conquistas cada um. A JSB de Marrocos (1989 e 1990) e a UNAMI dos Camarões (2002 e 2006) receberam o troféu duas vezes. Niger United da Nigéria (1986), MP Argélia Oran (1987), Argel MP da Argélia (1988), Marrocos KACM (1996), Camarões FAP (2000) e Etoile Sportive du Sahel de Sousse da Tunísia (2012) venceram apenas uma vez. A Argélia lidera com o maior número de troféus ao nível dos homens (10), seguida da Tunísia e do Egipto com um total de nove e oito. Neste nível, os países do Norte são intocáveis.