Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Edgar Neto elogia entrega das jogadoras na selecção

Silva Cacuti - 07 de Novembro, 2013

Edgar Neto, adjunto de Vivaldo Eduardo no comando técnico da selecção, faz uma avaliação positiva

Fotografia: Jornal dos Desportos

A equipa técnica da Selecção Nacional sénior feminina de andebol mostra-se satisfeita com o nível de entrega das atletas pré-convocadas para a campanha do Mundial da Sérvia, de 6 a 22 de Dezembro. Edgar Neto, adjunto de Vivaldo Eduardo no comando técnico da selecção, faz uma avaliação positiva das jogadoras e refere a satisfação que impera entre os treinadores.

“Embora estejamos a fazer trabalho de recuperação, é salutar ver a forma como as atletas estão a dedicar-se aos trabalhos, o que consideramos muito positivo esses primeiros dias de trabalho”, disse. O treinador angolano disse que a partir de hoje os trabalhos da Selecção Nacional podem conhecer um aumento de volume. A atleta Liliana Paixão, do ASA, é a única que está a merecer a atenção especial da equipa técnica. A meia-distância trabalha, pela primeira vez, com o grupo de pré-convocadas. Vivaldo Eduardo não vai contar, nesta campanha, com Elzira Barros, que anunciou a indisponibilidade por questões pessoais, nem com Azenaide Carlos que está lesionada.

 Lurdes Monteiro e Nair Almeida, condicionadas, são alvo de avaliação médica para aferir da sua aptidão. Contudo, Lurdes e Nair apresentaram-se no dia da concentração.  Os técnicos trabalham com as atletas Cristina Branco, Maria Pedro, Sílvia Mulabo e Teresa Almeida (guarda-redes); Azenaide Carlos, Elzira Barros, Isabel Guialo, Lurdes Monteiro, Nair Almeida, Rossana Kitongo, Wuta Dombaxi, Isabel Fernandes, Luísa Kiala, Magda Cazanga, Marcelina Kiala, Liliana da Paixão, Lisandra Salvador (meia-distâncias), Joelma Viegas, Juliana Machado, Iracelma Silva, Marta dos Santos, Natália Bernardo (pontas), Albertina Cassoma, Anastácia Sibo e Bombo Calandula (pivots).

 Angola vai jogar a primeira fase do campeonato mundial na cidade de Zrenjanin, inserida no grupo C, ao lado das selecções da Noruega, Polónia, Espanha, Paraguai e Argentina, adeversário de estreia. O grupo A, com sede em Belgrado, integra as selecções de Montenegro, Holanda, França, Coreia do Sul, República Democrática do Congo e República Dominicana. Na cidade de Niš jogam as equipas do grupo B, Dinamarca, Brasil, Sérvia, China, Japão e Argélia. O grupo D, joga em Novi Sad e incorpora as equipas nacionais da Hungria, Alemanha, Roménia, República Checa, Tunísia e Austrália. A Selecção Nacional foi a oitava classificada na XX edição do campeonato Mundial disputado no Brasil, em 2011.

REGRESSO
Uíge aposta nos nacionais juvenis


O presidente da Associação Provincial de Andebol do Uíge, José Bule, disse que a sua instituição está a fazer esforços para que a província esteja representada nos campeonatos nacionais de juvenis e de juniores, que se disputam provavelmente em Luanda e Namibe.
“Vamos realizar no mês de Dezembro, os nossos campeonatos provinciais e as equipas vencedoras, vão jogar os nacionais. Vamos fazer todos os esforços, para termos as nossas equipas, pelo menos uma, em cada classe”, anunciou.
Os campeonatos provinciais de andebol do Uíge, vão ser disputados pelas equipas Renascimento, Construtores, Futebol Clube do Uíge, Estrela Futebol Clube e Núcleos do Negage, Songo e Kitexi.

DIRECTOR
ENCORAJA

O provável regresso do Uíge às competições da Federação Angolana de Andebol (Faand), foi já saudado por António Santos, director executivo da Faand. O dirigente disse, que deve ser bom para a modalidade, pois o Uíge faz parte das províncias, que têm um longo período de ausência nas provas da federação.O responsável federativo considera, que o retorno do Uige, é também o resultado de algumas acções desenvolvidas pela Faand, e encoraja as equipas daquela província.

“Era bom voltarmos a ter as equipas do Uíge. Aliás, esse retorno pode ser resultado, também, de algumas acções desenvolvidas pela Faand, e pela Associação. Demos formação a técnicos daquela província, e se há essa perspectiva, queremos encorajar as equipas e autoridades locais”, disse. A província do Uíge está ausente das provas da Federação Angolana de Andebol, há mais de 15 anos.
SILVA CACUTI