Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Missão difícil

Silva Cacuti - 12 de Dezembro, 2013

Equipa do seleccionador Vivaldo Eduardo volta a encontrar as norueguesas no campeonato mundial que decorre na Sérvia depois de coleccionar três derrotas nos últimos quatro anos

Fotografia: Jornal dos Desportos

Carraça. Assim se pode definir a Noruega, adversária da Selecção Nacional sénior feminina de andebol para o jogo de logo, às 18h00, na cidade sérvia de Zrejanin, pontuável para a quarta jornada do grupo preliminar C, do campeonato mundial.A Noruega tem sido mais que uma parasita para as angolanas. É uma presença constante, apadrinhada pelos sorteios dos campeonatos mundiais. Nos últimos quatro anos, as campeãs mundiais defrontaram Angola três vezes, pintando o saldo de Angola com outras tantas derrotas nos mundiais.

A Noruega acumula o título olímpico de 2012 e é uma equipa do outro mundo. Nenhuma outra selecção a consegue vencer.Procurar superar-se, para tentar surpreender e reduzir ao máximo a diferença de golos é o foco da actuação da Selecção Nacional.Nos últimos três confrontos em campeonatos mundiais, o melhor resultado conseguido diante das norueguesas foi 20-26, em 2011, na competição realizada no Brasil. Em 2007, na França, Angola perdeu por 26-32 e, na Rússia, em 2005, o “placard” marcou 30-36.

Há poucos motivos para se pensar numa vitória angolana. O quadro de renovações que afecta a Selecção Nacional e os índices apresentados pelas comandadas de Vivaldo Eduardo nos jogos com equipas de menos valor provocam fortes dúvidas.Angola defronta hoje a Noruega e amanhã a Espanha, um calendário que reservou os jogos mais difíceis para as últimas jornadas do grupo. Na terça-feira, a Selecção Nacional perdeu por 23-32 com a Polónia, depois das vitórias sobre a Argentina e o Paraguai.