Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro busca a dobradinha

Silva Cacuti - 02 de Novembro, 2014

Equilíbrio marcou a partida em que petrolíferos da capital foram mais felizes que o seu opositor que mostrou alguma resistência principalmente nos primeiros trinta minutos

Fotografia: Jornal dos Desportos

A equipa sénior masculina de andebol do Petro de Luanda apurou-se para a final da Taça de Angola, aprazada para 7 do corrente, no Pavilhão Principal da Cidadela, depois de bater, na meia-final, a similar do 1º de Agosto por 30-28, em partida disputada no recinto do Catetão, na sexat-feira.

A vitória abre perspectiva para uma nova conquista petrolífera, depois da surpreendente conquista do campeonato nacional.

Na outra meia-final, o Interclube superou a Marinha de Guerra por 29-26,as duas meias-finais foram decididas após prolongamento.

No campo do Ex-RI 20, a Marinha de Guerra bateu o pé ao Interclube e levou a decisão da eliminatória a um prolongamento, após empate a 24 golos. A equipa da Marinha orientada por João Florêncio aproveitou da melhor forma o factor casa e mostrou evolução, em comparação  com o jogo do campeonato nacional em que consentiu derrota por expressivos 28-43.

O Interclube, de Tony Costa,  precisou recorrer à maior experiência do seu plantel, para superar os militares.

No jogo de maior cartaz, com Petro desfalcado do guarda-redes Gaspar e do camaronês Fankoua Wiliam, ambos integrantes do sete ideal do campeonato nacional, a toada de jogo foi de equilíbrio. Desde o primeiro minuto, o marcador registou vantagens mínimas e empates.

O equilíbrio era tal que até nas falhas técnicas, as coisas pareciam coordenadas. Os erros de uns eram as vantagens de outros.

Sem o pivôt Agusto Dinzeia “Gugú”, as funções para a posição  seis foram delegadas a Gabriel Teka, que na luta com Malage, protagonizaram momentos inesquecíveis.

Aos 57 minutos, a equipa do 1º de Agosto, que jogava sob o comando  de Filipe Cruz logrou uma vantagem de três golos, a primeira na partida, no aproveitamento de três falhas técnicas dos pupilos de José Pereira “Kidó”.

Quando tudo indicava  a eliminação do Petro, eis que a equipa tricolor melhorou a coordenação defensiva e obrigou os militares a falharem nos sucessivos ataques. Neste período, Yao Ming, guarda redes petrolífero notabilizou-se com grandes defesas.

Aos  40 segundos do final do tempo regulamentar, o Petro ainda teve a posse de bola para desfazer o empate, mas desperdiçou e levou o jogo ao prolongamento.

No tempo extra, Francisco Marçal e Eleutério Pensamento entraram endiabrados e cada um apontou dois golos, enquanto o 1º de Agosto não acertava com a baliza.

Quando os militares acertaram, já não havia tempo para muito. O 1º de Agosto foi destronado pelo Petro no campeonato e afastado da Taça de Angola pelo mesmo adversário. O título da Taça está em posse do 1º de Agosto.