Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro comea defesa do ttulo africano

Silva Cacuti - 06 de Abril, 2019

Equipas angolanas apontadas como favoritas conquista da Taa das Taas

Fotografia: kindala Manuel|Edies Novembro

Depois de vencer, no ano passado, a Taça das Taças, prova que marcou o regresso às competições africanas, o Petro de Luanda começa hoje a intensa tarefa de defender o título, que está em sua posse. As comandadas de Vivaldo Eduardo defrontam hoje, na primeira jornada do grupo B, a estreante equipa do Renassence do Senegal, com grande dose de favoritismo.

O Renassence não é a selecção do Senegal, vice -campeã continental, nem nada que se pareça, para criar dificuldades a um colosso angolano. Aliás, não é pelo Renassence, nem por nenhum outro adversário do grupo que a defesa do troféu é tida como árdua missão, mas é o provável adversário da final do 1º de Agosto, o que muda tudo. 

Os rivais angolanos jogam no grupo A, pretendem recuperar o título perdido no ano passado, na cidade do Cairo. As militares, sob batuta de Morten Soubak, começaram o  caminho ontem, diante do Bandama da Costa do Marfim, mandaram um aviso à concorrência, sobre o que as trouxe à Oudja.

Diante das "senés", uma equipa que resulta de um projecto focado na formação académica e desportiva que faz recolha de talentos, e  "trabalha-os" nas escolas de Tivaouane, 80 Km de Dakar. Não é uma equipa profissional, chega à Taça das Taças como prémio, por ser finalista da taça senegalesa e por isso, não tem pergaminhos para causar preocupação ao conjunto de Vivaldo Eduardo.

Na segunda jornada, o Petro defronta a  equipa do DGSP da RDC, com a qual jogou e venceu no recente estágio realizado no país vizinho, a Norte de Angola. As petrolíferas encerram a fase de grupos, defrontam o FAP dos Camarões.O 1º de Agosto defrontou ontem na estreia, a similar do Bandama da Costa do Marfim,  mas, até ao fecho da nossa edição, desconhecíamos o resultado final. Passear a sua classe e dar rodagem competitiva às atletas que precisam de consolidar a filosofia de jogo, foi o que Morten Soubak fez.

Hoje, a equipa agostina defronta o Dinamique dos Camarões,  no dia 9 defronta o Heritage da RDC, para fechar a primeira fase.As militares conquistaram os troféus da Taça das Taças, desde 2014 a 2017, perderam a prova na edição de 2018.A missão de Morten Soubak é de resgate. Os dados dos últimos confrontos com as petrolíferas, puseram as militares na condição de favoritas. Têm um plantel mais recheado, também levam vantagem na experiência e atitude ganhadora que cultivam, à medida que as vitórias nos jogos entre si surgem.

Supertaça
Militares mantêm Babacar Fall
 e apertam cerco ao rival de Luanda

A equipa de andebol sénior feminina do 1º de Agosto já vai em duas conquistas, das sete programadas para a presente época, nos calendários provincial, nacional e continental. Depois da abertura da época, com vitória clara, 31-23, sobre as rivais do Petro de Luanda, na Supertaça Francisco de Almeida, que se disputou na cidade de Malanje, a agremiação afecta às Forças Armadas Angolanas voltou a sorrir, desta vez para a Supertaça continental Babacar Fall, que venceu por 19-13, com já favoráveis 8-4, ao intervalo.

Destronado da competição angolana, Vivaldo Eduardo e pupilas seguiram para Oudja, Marrocos, com missão de clarear as impressões sobre a equipa.
Para tal, a equipa engendrou um plano que visou não se mostrar aos curiosos e cumpriu toda a preparação para a missão africana na RDC, onde disputou um torneio. Contudo, o azar campeia na equipa. 

Depois de perder, Aznaide Carlos que se lesionou ao serviço da Selecção Nacional, no Campeonato Africano de Brazzaville, a equipa viu Magda Cazanga, uma das suas principais,  falhar o estágio por lesão. A jogadora ficou, entretanto, apta para o jogo, todavia, durou pouco a alegria, foi excluída ainda na primeira fase e abandonou a partida em branco.

Embora fosse um jogo com cheiro de equilíbrio, principalmente na primeira parte, a ficha da partida mostra números pobres, que revelou um jogo pouco emotivo, em que algumas individualidades se sobressaíram. São os casos, de Helena Paulo "Gilda", sempre ela, e Cristianne Mwasesa que apontaram cada, seis golos.

 Wuta Dombaxi fez dois, enquanto todas as outras que marcaram pelo 1º de Agosto, apenas fizeram-no em uma única vez. Pelo lado do Petro de Luanda, Lurdes Monteiro, Delfina Mungongo e Tenda Alfredo, apontaram, cada três golos, o conjunto que só viu seis atletas marcar. 
A grande exibição de Eneleydis Lloveras, guarda-redes militar, constituiu motivo da pobreza de golos, entre as tricolores. Pela frente, ambas vão ainda disputar a Taça das Taças, em curso; o Campeonato Provincial, Campeonato Nacional, Taça de Angola e a Taça dos Clubes Campeões.                                                   
Palmarés
Petro lidera ranking
Com a conquista da Supertaça Babacar Fall, a equipa de andebol sénior feminina do 1º de Agosto arrebatou o quinto troféu, contra 18 do Atlético Petróleos de Luanda.