Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Petro de Luanda começa a competir

Silva Cacuti - 10 de Julho, 2017

Petro lançado à reconquista da áurea

Fotografia: Jornal dos Desportos | Edições Novembro

Ainda ecoa na mente dos amantes do andebol, de modo geral e particularmente para aqueles que são adeptos do Petro, o maior vencedor da história do andebol feminino angolano, a promessa feita por Vivaldo Eduardo, timoneiro da equipa, de que ia  "apresentar-se bem melhor" no campeonato nacional.

Relegada ao terceiro lugar do campeonato nacional anterior, a equipa tricolor chega à estreia no 39º campeonato nacional com a necessidade de apagar a imagem deixada na cicatrizante derrota, 10-25, para o campeonato provincial, diante do rival 1º de Agosto.

 “A equipa do Petro está muito melhor do que na final do campeonato provincial. Temos todas unidades à nossa disposição ao contrário do que aconteceu naquela altura, e estamos com muita vontade de ganhar este campeonato”, realçou.

Realmente, com a integração de Azenaide Carlos e Manuela Paulino, Vivaldo pode mostrar algum desafogo. Por isso terá dito que "gostaria de iniciar o campeonato diante do 1º de Agosto".

Vontade e até alguma saudade têm os adeptos que vêm a equipa arredada dos títulos nacionais desde 2012.

O jogo de hoje, diante da vice-campeã nacional vai revelar que Petro há, para o campeonato. Aliás, diante das marinheiras, as comandadas de Vivaldo Eduardo, pode dizer-se, Estão acostumadas a vencer, mas há também a vontade de mostrar que a trica de lugares no pódio passado foi mero acaso.

Do lado das marinheiras, sob batuta de João Diogo "Docas" a motivação passa pela defesa da "conquista".  Sem a influente Dalva Peres, que no final da época passada apareceu a representar o 1º de Agosto, o conjunto deve começar a traçar o seu caminho diante das petrolíferas. O resultado deste jogo pode ser influenciador do desfecho da primeira fase, em que cada uma  vai procurar estar no topo, para evitar no cruzamento a equipa do momento, que abriu o campeonato ontem a vencer a similar da Casa do Pessoal do Porto do Lobito (CPPL).

Ainda hoje, a prova feminina reserva a partida entre o ASA e o Electro do Lobito.


 LUNDA SUL TRAMA
CONTA NOS MASCULINOS

O 1º de Agosto, campeão nacional, é a primeira vítima da desistência, à última hora, da formação do Progresso da Lunda Sul. A equipa militar devia defrontar os "lundas" na primeira jornada, mas por dificuldades financeiras, os lundas não vieram a Luanda.

A ausência foi ontem confirmada ao Jornal dos Desportos, por Heleodoro Massua, responsável do grémio da Lunda Sul.

"Ficámos atrás dos apoios, infelizmente não conseguimos", anunciou.

Massua disse que o fracasso no angariamento de apoios para a equipa foi um golpe grande às aspirações dos jovens atletas do clube.

"Estávamos com um grupo novo e confiantes numa entrada para competir a sério. Os miúdos ficaram arrasados com a informação de que não havia apoios. Ficaram tristes porque há casos de miudos que tiramos das ruas através da prática do andebol, alguns dizem que já não voltam a envolver-se no desporto", lamentou.

Segundo Massua, nem sequer há perspectivas de o clube voltar a participar nos escalões de formação. "Já começamos o trabalho junto do empresariado local, a ver se conseguimos, pelo menos fazer presença com uma equipa de juvenis e outra de juniores nos respectivos campeonatos".

A primeira jornada masculina fica reduzida a um jogo, que opõe o Interclube, vice-campeão nacional,  às Organizações Joyce, de Cabinda, que faz estreia na competição. O jogo em que a equipa de Luanda é favorita, está marcado para as 13H00. O Petro de Luanda vai protagonizar, diante da Marinha de Guerra o jogo de maior cartaz na Jornada. Os marinheiros, à luz do recente resultado do campeonato provincial detêm favoritismo. Na definição do terceiro lugar a marinha venceu por 29-25.

Morten Souback
tem estreia vitoriosa

Morten Souback, treinador dinamarquês que orienta o 1º de Agosto, estreou-se, ontem, com vitória na 39º edição do campeonato nacional sénior feminino, ao bater, por 33-16, a equipa da Casa do Pessoal do Porto do Lobito (CPPL), orientada por Eugénio Nunes "Cuca". O jogo entre os dois conjuntos marcou a abertura do campeonato nacional que se disputa desde ontem no pavilhão principal da Cidadela Desportiva.

Apesar de se ter apresentado com uma equipa rejuvenescida, em que despontam algumas jogadoras constantes da selecção nacional de juniores (Sandra Chivinda e Edianeth dos Santos) a formação lobitanga tentou, debalde,  oferecer resistência.

Ao intervalo a vantagem militar era já de 17-9.

No reatamento o domínio militar continuou, a resistência das comandadas de Cuca esfumou-se, ao mesmo tempo que se retirava o interesse no jogo.

Antes da partida, numa curta cerimónia de abertura as equipas que participam das duas competições, masculina e feminina, desfilaram e receberam da organização palavras de boas-vindas e ouviram apelo ao "fair-play".  Desfilaram as equipas femininas do 1º de Agosto, CPPL, ASA, Electro do Lobito, Petro de Luanda, Marinha e Progresso do Sambizanga.

No sector masculino desfilaram o Interclube, Petro de Luanda, 1º de Agosto, Joyce de Cabinda e Marinha de Guerra.


Formação Actualização
das regras motivam
participantes


As explicações sobre actualizações das regras de aplicações de cartão azul e dos últimos 30 segundos do jogo de andebol foram domingo, em Luanda, apontadas de motivadoras para uma actuação mais concentrada e justa durante os campeonatos nacionais

Em declarações à Angop, após a formação promovida pela Federação Angolana de Andebol a propósito do arranque do campeonato nacional, marcado para esta segunda-feira, os intervenientes acrescentaram se tratar de regras cujas interpretações normalmente fazem confusões aos árbitros e as equipas técnicas.

Para o presidente da Associação Provincial de Luanda, Simão Filho, frisou ter havido muita interacção durante actividade o que traduz que, principalmente, os árbitros tomaram nota das decisões a terem em situações relacionadas para evitarem influências no desempenho das equipas e nos resultados das partidas.

Por outro lado, considerou de refrescamento oportuno em função de algumas regras, como a de substituição de um guarda-redes por um sétimo jogador, serem de entendimento e aplicação imediata.

Já o vice-presidente para o andebol Amílcar Aguiar disse ter sido esclarecido de vários movimentos que têm levado a conflitos, assim sendo será possível orientar os atletas a comportamentos dignos de forma a não prejudicarem a equipa durante o campeonato nacional.

Foram ainda vista as leis das penalizações, da substituição obrigatória de um jogador lesionado.

Actividade contou com um total de 50 participantes.