Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Polcias jogam acesso final

Silva Cacuti - 12 de Outubro, 2019

Fotografia: ALBERTO PEDRO | EDIES NOVEMBRO

A equipa sénior masculina do Interclube tenta hoje escrever uma nova página no seu historial do andebol, quando defrontar, às 20H00, a similar do Zamalek do Egipto, em partida referente à meia-final da 41ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos que amanhã encerra, na cidade cabo-verdiana da Praia.
Não é uma tarefa fácil para os angolanos ao comando de José Pereira "Kidó", até porque a história recente do seu adversário pesa. O Zamalek acumula títulos africanos em sequência desde 2015. Sua saga vitoriosa apenas foi interrompida pelo Al Haly em 2015. Nesta prova, os egípcios venceram todos os jogos da fase de grupos e quartos-de-final.
A equipa angolana que esteve na prova, pela primeira vez, em 2011 e obteve o sétimo lugar, teve um percurso manchado pela derrota, 25-35, na primeira jornada da fase de grupos, diante do Sporting de Alexandria. Jogar a meia-final já representa o cumprimento do objectivo traçado pela equipa à saída de Luanda, que passava por fazer melhor que a primeira classificação.
Os atletas mostram disposição para fazer melhor e encaram o jogo de hoje como decisivo. Segundo Cláudio Lopes, um dos influentes do esquema táctico de Kidó, há um novo objectivo.
"O dia e o jogo são decisivos sim, a equipa está bem e vamos lutar para chegar a final. Esse é o nosso principal objectivo", garantiu. André Fonseca, outro "operário" da equipa, refere que "o conjunto está motivado e muito concentrado".
William De  Almeida, adjunto de Kidó no comando técnico dos campeões nacionais, assegura que "os guerreiros do Interclube estão preparados para lutar pelo objectivo final".
O treinador ressaltou a boa prestação dos reforços Sérgio Lopes e Edivaldo Ferreira "Moreno", mas Cláudio Chicola tem sido o mais concretizador da equipa e deverá ser alvo de atenção especial da parte dos egípcios.        
O Interclube ganhou ritmo competitivo, depois de assegurar o segundo lugar da fase de grupos, despachou o Etoile do Congo, 30-27, na disputa dos quartos-de-final. O Zamalek goleou o Red Star da Costa do Marfim por 35-23, para poder chegar à meia-final. Na outra meia-final vão jogar Sporting de Alexandria-JSK da RDC. A final está prevista para amanhã, às 20H00 no pavilhão Vavá Duarte.

A CAMINHO DA FINAL
DO COSTUME

Quanto ao sector feminino, sem surpresas as equipas angolanas, 1º de Agosto e Petro de Luanda, inscreveram-se para a disputa do passe para a final que, ao que tudo indica, vai ser, mais uma vez, entre ambas.
A confirmar-se, vai ser a décima final angolana, a oitava entre Petro de Luanda e 1º de Agosto.
No confronto a dois, as agostinas somam três triunfo em finais, contra quatro do Petro de Luanda. Embora, na verdade, as equipas estejam "de olho" no ceptro, para chegarem lá precisam cumprir a formalidade de desenvencilharem-se dos adversários de hoje.
Nisto, o 1º de Agosto, clube afecto às Forças Armadas Angolanas e orientado pelo dinamarquês Morten Soubak, tem a tarefa mais difícil, em perspectiva. As militares defrontam o Abo Sport do Congo, adversário que, na primeira fase, arreganhou os dentes ao Petro, com quem perdeu pela margem mínima, 26-25. Mas, este vai ser apenas o quarto jogo das congolesas ante as campeãs continentais, que vão no quinto jogo após quatro vitórias. O favoritismo é do conjunto que suporta a selecção angolana.
Na outra meia final, o Petro de Luanda vai enfrentar o DGSP, também do Congo, adversário que deve ser mais fácil de vencer que o Abo Sport.
NA primeira fase, o DGSP jogou e perdeu com o 1º de Agosto, é pouco crível que faça moça do nível daquela protagonizada pelo Abo Sport. A final da prova feminina joga-se amanhã a partir das 18H00, no pavilhão Vavá Duarte.