Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Prestao de Angola valeu melhoria do ranking

26 de Janeiro, 2019

Fotografia: DR

 A Selecção Nacional esteve inscrita na prova, pela quarta vez no seu historial, apesar de não ter passado da primeira fase. A equipa esteve baseada na cidade dinamarquesa de Copenhaga, inserida no grupo D preliminar, em que logrou uma vitória e quatro derrotas. Na fase de consolação a equipa nacional somou nova derrota e outra vitória.
A única vitória da primeira fase foi diante do Qatar e constituiu-se num facto de interesse mundial, pelo ranking trazido pela equipa asiática. Na edição de 2015, que acolheu, o conjunto asiático surpreendeu o mundo ao chegar à final e inscreveu o seu nome no hall dos grandes do andebol mundial.
Ao cair diante da desconhecida Angola, na ronda inaugural, o efeito foi tal que elevaram-se em demasia as expectativas em relação à participação angolana na prova.
Debalde. Só muito tarde, quando já tinha perdido cinco jogos e todas as possibilidades de uma classificação mais honrosa, é que Angola viria a experimentar novamente o gosto da vitória. Bastou para evitar a repetição do último lugar da tabela classificativa. Ficou a impressão de que faltou um toque, muito pouco para a glória. A selecção nacional bateu-se com bravura, diante de equipas de outro mundo. O equilíbrio conseguido na maioria dos jogos em que o conjunto angolano empatava ou até saia vitorioso no parcial do segundo tempo, é demonstrador de que com mais ambição, investimento, a equipa pode ser não só frequentadora dos principais palcos mundiais como também pode galgar passos para a zona intermédia da tabela classificativa. A selecção nacional disputou sete jogos, venceu dois e perdeu cinco vezes. Na primeira fase Angola, inserida no grupo D, começou por vencer o Qatar,24-23. Na segunda ronda a selecções nacional perdeu para a Hungria, 24-34 e, na sequência teve derrotas para a Suécia, 19-37, Argentina, 26-33 e Egipto, 28-33. Última classificada do grupo, Angola voltou a perder, 29-34, para a Arábia Saudita, nas classificativas do 21º ao 24º lugar. No último jogo, para a atribuição do 23º lugar, Angola venceu a similar do Japão por 32-29.