Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Safra ruim

Silva Cacuti - 20 de Janeiro, 2017

Mais uma vez a selecção nacional foi vítima da sua má condição física e falta de ritmo competitivo

Fotografia: AFP

A selecção nacional sénior masculina de andebol consentiu ontem a quinta derrota consecutiva na fase preliminar do 25º campeonato mundial que decorre até 29 do corrente em França. O carrasco do conjunto nacional foi a Tunísia, que venceu por 43-34, com já favoráveis 23-16 ao intervalo.

A selecção nacional aguarda, agora, pelo jogo no campeonato dos que não passaram aos quartos-de-final, a "Presidents Cup", que vai definir os lugares do 21º ao 24º lugar. Angola vai defrontar a similar do Japão, mas terá de deixar a cidade de Metz, já que o jogo será disputado na localidade de Brest, no sábado. O Japão, tal como Angola, não ganhou qualquer jogo, mas sofreu menos e, de igual modo, marcou menos.

Em caso de vitória diante dos japoneses, a selecção angolana precisará vencer outro jogo para repetir o 21º lugar do último campeonato mundial. Ao cabo de cinco jogos, a selecção nacional apontou 122 golos e sofreu 191.

Em relação ao jogo de ontem, a selecção nacional atingiu os extremos. Fez a sua pior defesa, ao consentir 43 golos. Nem mesmo com a Espanha, líder do grupo, em que se viu obrigada a colocar um jogador de campo na baliza, chegou a "tomar" tantos golos. Angola perdeu diante da Espanha por 42-22.

Com a Tunísia, a selecção nacional registou também o recorde de  golos marcados em cinco partidas disputadas. O ataque foi comandado pelo pivot Gabriel Teka. O jogador militar que anotou uma eficiência de 83 por cento ao anotar 10 golos, dos 34 do conjunto,  em 12 remates efectuados. Sérgio Lopes, melhor marcador da selecção nacional apontou sete golos e terminou a primeira fase da prova no top cinco dos marcadores com 33 golos.

Mais uma vez a selecção nacional foi vítima da sua má condição física e falta de ritmo competitivo. Aos 11 minutos de jogo Angola ainda equilibrava as "coisas" no placard, perdia por 9-11, mas a capacidade de resistir ao poderio tunisino esfumava-se com o tempo de jogo. Aos 22 minutos, a Tunísia já vencia por 22-14.

No complemento da primeira fase do grupo a Macedónia jogou com a Islândia enquanto a Espanha, líder do grupo, defrontou a Eslovénia.