Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1º de Agosto e Interclube jogam hoje final

Francisco Carvalho - 09 de Julho, 2016

Equipa do Rio Seco defende hoje o troféu que conserva com orgulho na galeria

Fotografia: José Soares

As emoções da Taça de Angola centralizam hoje as atenções do amantes do basquetebol feminino. As equipas seniores do 1º de Agosto e do Internacional defrontam-se, às 18h00, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva. A partida é marcada com muita rivalidade.

Do lado militar,  o 1º de Agosto aspira manter o troféu que conserva desde o ano de 2014. O técnico militar está ciente das dificuldades a enfrentar face a boa prestação da equipa da Polícia Nacional no campeonato nacional, que decorre em Luanda. Para evitar o desaire, a concentração total e o rigor táctico são chamados durante os 48 minutos de jogos.  As campeãs nacionais apresentaram bons indicadores nas meias finais da Taça de Angola. Na primeira partida contra Inter de Benguela, as militares cilindraram por 64-41. Os pontos sofridos demonstraram a fragilidade na defesa.

No jogo da segunda mão, trabalhou-se mais a defesa e rapidez no ataque. Assim, sem agravo nem dó, convergiram 76 pontos e sofreram apenas 28. A eficiência na defesa e no ataque justifica a prontidão para o jogo da final.

Do outro lado da quadra, Apolinário Paquete montou uma estrutura para resgatar os tempos de glória. O "super-campeão" voltou à equipa azul e preta com objectivo de fazer brilhar as cores da Polícia Nacional. Movido de sentimento de campeão, Apolinário Paquete faz entrar na quadra uma equipa virada ao ataque.

Os testes nas meias finais demonstram a velocidade do ataque da equipa vice-campeã. Nos confrontos com Desportivo do Maculusso, as polícias "surraram" por 64-49 e 75-39. A diferença pontual evidencia a eficácia dos lançamentos.

No palmarés, o 1º de Agosto colecciona 12 troféus da Taça de Angola, enquanto o Interclube ostenta na galeria do Rocha Pinto apenas cinco.