Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1 de Agosto supera Petro em partida electrizante

Juscelindo da Silva - 08 de Dezembro, 2018

Pedro Bastos foi determinante na vitria dos militares

Fotografia: Jornal dos Desportos

O triplo do extremo-base Pedro Bastos ditou ontem, na Cidadela Desportiva, a derrota do Petro de Luanda diante do 1º de Agosto por 90-86 na partida da segunda jornada da segunda volta do Unitel Basket 2018-2019. A 55s20 do final do jogo, Pedro Bastos fez um lançamento oportuno, após um contra-ataque \"fulminante\".
O gesto do extremo-base militar ofuscou a pretensão da equipa do Eixo-viário, que começou bem o jogo. No final do primeiro quarto, o Petro de Luanda vencia por 21-17, resultante da boa defesa e boa dinâmica no jogo ofensivo. O pequeno e grande Childe Ndundão destacou-se com \"boa exibição\".
No segundo quarto, os pupilos de Lazare Adingono estavam dispostos a dominar o jogo. Um \"time out\" da equipa militar baralhou as contas do eixo-viário. Paulo Macedo chamou a equipa e estabeleceu nova estratégia de abordagem do jogo. A inversão das regras de jogo foi a ordem. Os postes Felizardo Ambrósio e Eduardo Mingas assaltaram as tabelas dos petrolíferos. No final, as equipas saíram equipadas a 48 pontos.
Após o intervalo maior, os rapazes do Rio Seco entraram determinados a anular as investidas dos adversários. Os militares deixaram sem soluções o treinador dos petrolíferos, Lazare Adingono. À semelhança de adeptos, assistiu à fuga do resultado.
Para compensar o esforço do grupo em campo, solicitou um \"time out\" a cinco minutos do final da partida. Conversou com os atletas. Leonel Paulo e José António tentaram inverter o rumo da história do jogo. Os esforços goraram em nada. O 1º de Agosto era uma equipa bem arrumada e motivada para a vitória.
No jogo petrolífero, um senão mexeu com os adeptos. Lazare Adingono jogou sete minutos sem um base nato. A situação deixou descontentes a massa associativa. A sentença chegou com o triplo do base militar Pedro Bastos.
O Petro de Luanda pagou caro pelos excessos de erros defensivos, perdas de bola e desconcentração em campo. Olímpio Cipriano, que muito se esperava dele, esteve longe da sua forma habitual. Em 32 minutos, anotou apenas nove pontos e fez duas assistências.
Felizardo Ambrósio foi o maestro da orquestra militar. Em trinta minutos, anotou 20 pontos. O base Hermenegildo Santos fez 19 pontos.
A falta de estratégia de Lazare Adingono entristeceu os adeptos. O descontentamento estendeu-se para fora do campo.
Os tricolores insurgiram-se e atacaram a viatura em que seguia o presidente do Petro de Luanda, Tomás Faria.
Em reacção à vitória, Paulo Macedo felicitou os rapazes e pediu mais respeito pelo trabalho dos treinadores nacionais.
Noutro extremo, Lazare Adin-
gono reconheceu a superioridade do adversário e assumiu os erros dos rapazes. Prometeu mais trabalho e está feliz com o plantel.
Em quatro jogos disputados na presente época, o 1º de Agosto leva vantagem de três vitórias contra uma do Petro de Luanda. Os militares lideram o Unitel Basket com 17 pontos, mais um que o Petro de Luanda em segundo lugar.