Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

1º de Agosto volta ao trabalho

Hélder Jeremias - 21 de Abril, 2014

Paulo Macedo e pupilos voltam hoje aos treinos no Pavilhão Victorino Cunha para a última fase do campeonato nacional

Fotografia: Santos Pedro

O 1º de Agosto regressa hoje ao trabalho de preparação com os olhos fixos na “Final Four” da 36ª edição do Campeonato Nacional de Basquetebol sénior masculino, depois de liderar a segunda fase da competição, em que se sagrou vencedor com 40 pontos. Ainda tocados pela derrota na final da Taça de Angola diante do Petro de Luanda, o primeiro insucesso da época, os campeões nacionais, às ordens do técnico Paulo Macedo precisam de elevar os índices de motivação para que “o fantasma” do mau desempenho faça parte do passado.

O 1º de Agosto deixou escapar a 30ª Taça de Angola para o Atlético Petróleos de Luanda, mercê de duas derrotas consecutivas (89-96 e 88-82) na final da referida competição, disputadas na quinta-feira e sábado últimos no Pavilhão Multiusos de Luanda.Para salvaguardar a época projectada com acutilância pela direcção de Carlos Hendrick, os militares fazem da fraqueza forças. Com um discurso positivista, Paulo Macedo reconheceu que o seu plantel não esteve bem na final da Taça de Angola, mas aclarou que o lema da equipa é olhar para o futuro.

Com o sentido de debelar as lacunas, a postura da equipa militar centra-se no labor intenso para inviabilizar as pretensões da equipa petrolífera, depois de erguerem o troféu da Taça de Angola. Nas oficinas do Rio Seco, a estratégia é impedir a transferência da taça do BAI Basket para a galeria do Eixo-viário.À entrada da “Final Four,” o 1º de Agosto terminou no topo da tabela classificativa do grupo A do Bai Basket'2014, com 15 pontos, fruto de sete vitória e uma derrota em oito partidas, converteu o total de 628 pontos e sofreu 568 pontos.

Teve como principal oponente o Clube Desportivo e Recreativo do Libolo, o segundo classificado com 14 pontos, resultantes de seis triunfos, duas derrotas, 687 pontos marcados e 628 consentidos.A formação do Interclube, orientada pelo experiente Alberto Babo, é outro adversário a temer pelos contendores, em função da prodigiosa campanha na primeira volta do mesmo grupo. Os polícias deixaram um claro aviso à navegação quanto às pretensões do consulado do presidente Alves Simões com as vitórias retumbantes sobre o Recreativo do Libolo (104-90) e o Petro de Luanda (101-71). Esses resultados colocam o Interclube na condição de um dos principais candidatos ao título.

Os polícias ocupam o terceiro lugar na tabela com 12 pontos na bagagem, em sequência de quatro vitórias e igual número de derrotas, nos oito confrontos, converteram 627 pontos e sofreram 586. O Atlético Petróleos de Luanda, na versão Lazare Andigono, vem na penúltima posição do grupo A, com 11 pontos, provenientes de três vitórias, cinco derrotas, marcou 668 pontos e consentiu 678.O Clube Universidade Lusíada não venceu nenhuma partida, mas marcou 458 pontos e sofreu 571, em oito jogos.

BAI BASKET
Clubes e juízes
reunidos na FAB


A direcção técnica da Federação Angolana de Basquetebol reúne-se hoje, a partir das 16h00, na sala de conferências da sua sede social, localizada no complexo da Cidadela Desportiva, com os representantes dos clubes, árbitros, comissários e oficiais de mesa que participam na 36ª edição do Campeonato Nacional de Basquetebol sénior masculino (Bai Basket). No encontro, vão ser afloradas questões a volta da organização da fase final da competição.

O encontro a ser dirigido pelo director técnico da FAB, Nuno Teixeira, também vai servir para passar em revistas as preocupações apresentadas pelos representantes dos clubes e dos membros da arbitragem que actuam na competição.  De acordo com uma nota enviada ao Jornal dos Desportos, assinada pela secretária-geral da instituição, Isabel Major, “cada clube deve fazer-se representar por um vice-presidente, um chefe do departamento e dois treinadores”.