Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

A um passo da China

Melo Clemente - 01 de Dezembro, 2018

Cinco nacional da bola ao cesto est a uma vitria de garantir a presena Mundial que a China vai albergar

Fotografia: Fiba frica

A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino pode assegurar o passe de acesso à fase final da décima oitava edição da Copa do Mundo, caso vença está noite (20h00), no Pavilhão Arena do Kilamba, a similar do Chad, em partida que marca o encerramento da segunda jornada do Grupo E da quinta janela de qualificação para o Mundial da República Popular da China.
Com um plantel de longe superior aos chadianos, os hendecacampeões africanos que haviam cilindrado este mesmo oponente, por 75-33, durante a quarta janela de qualificação zona africana, prova disputada na Tunísia, se apresentam como favoritos à conquista dos dois pontos em disputa.
O seleccionador nacional vai procurar colocar uma equipa que se seja capaz de neutralizar as acções ofensivas da selecção do Chad, uma das últimas classificadas do Grupo E.
A condução das acções ofensivas do combinado nacional, que procura a oitava presença em fases finais do Mundial, vai ser novamente atribuído ao jovem Gerson Domingos, base do Grupo Desportivo Interclube.
Carlos Morais, capitão, Yanick Moreira, Olímpio Cipriano e Reggie Moore devem completar o cinco inicial.
Apesar da fraca capacidade competitiva dos chadianos, o norte-americano ao serviço do cinco nacional, Will Voigt, quer que a sua rapaziada entre na partida com os índices motivacionais em alta, para a consumação do objectivo, que passa pela qualificação para a fase final da Copa do Mundo de 2019, competição a ser disputada em oito cidades da República Popular da China.
Com maior ou menor dificuldade, os hendecacampeões africanos vão seguramente conquistar os dois pontos em disputa, a julgar pela qualidade de jogo do combinado nacional.
A presença do público no Pavilhão Arena do Kilamba será mais uma vez determinante, para a consumação dos objectivos. 
Em declarações à comunicação social, o seleccionador nacional valorizou uma vez mais, o união do grupo.
“Penso que a equipa continua sólida e sobretudo unida. Vamos manter esta união, porque o nosso foco está virado para a qualificação para a Copa do Mundo”, asseverou Will Voigt.
Entretanto, a selecção do Chad, que ontem perdeu diante do Egipto, por 58-85, em partida a contar para a primeira jornada do Grupo E, quer surpreender a selecção caseira, em pleno Pavilhão Arena do Kilamba.
Mesmo reconhecendo o potencial do combinado nacional, onze vezes campeão africano, o técnico chadiano pretende protagonizar a surpresa das surpresas deste grupo.
Ainda hoje, a selecção do Egipto defronta a similar da Tunísia a partir das 15h00, ao passo que o Marrocos mede forças com os Camarões as 17h30.


Apuramento
Angolanos vergam camaroneses e encurtam caminho


O combinado nacional deu um passo importante rumo a qualificação para a Copa do Mundo de 2019, ao derrotar ontem, no Pavilhão Arena do Kilamba, a congénere dos Camarões, por 73-77, em partida que marcou o encerramento da perimetral jornada da quinta janela de qualificação zona africana, referente  ao Grupo E.
Apesar do triunfo, a Selecção Nacional entrou mal na partida, ao contrário da sua similar dos Camarões, conjunto que se mostrou bastante determinada, fundamentalmente, no primeiro período, onde venciam por uma margem de sete pontos (17-24).
Com um cinco constituído por Gerson Domingos, Yanick Moreira, Carlos Morais, Mohammed Malick Cissé e Reggie Moore, o combinado nacional não foi capaz de conter o jogo ofensivo dos pupilos de Lazare Adingono.
A fraca percentagem nos lançamentos a longa distância do cinco nacional, permitiu a selecção forasteira a terminar o primeiro quarto em vantagem de sete pontos (17-24). Os camaroneses chegaram a uma vantagem de dez pontos (14-24), quando restavam 46 segundos para termo desta etapa.
No segundo período, a Selecção Nacional melhorou significativamente no capítulo defensivo, mas, a percentagem nos lançamentos a longa distância continuava muito baixa, ao contrário dos Camarões que estavam com um pontaria, com realce para Kenneth Kadji.
A cinco minutos para o fim do segundo período, os angolanos tomatadas de assalto o placard (28-27), para a ovação do público que acorreu ao Pavilhão do Arena do Kilamba em número considerável (cerca de sete mil). 
Os angolanos “permitiram” a reviravolta, apesar de terem vencido no parcial por 19-15, o que perfez o 36-39, à favor dos Camarões.
Yanick Moreira e Felizardo Ambrósio “Miller” destacavam-se no jogo interior de Angola.
Numa atitude infantil, Yanick Moreira recebeu ordem de expulsão, depois trocado mimos com o seu defensor e posteriormente ter puxado de forma ostensiva a toalha das mãos do técnico camaronês, Lazare Adingono, para limpar o rosto. O juiz montenegrino, Ognjen Jokic, não exitou e expulsou o internacional angolano, que até então era o segundo melhor marcador de Angola, com 13 pontos.
Quando tudo paracia perdido, Carlos Morais que perdeu a braçadeira de capitão para o Leonel Paulo, tratou de dar a primeira vitória ao combinado nacional. O extremo base do Siena Basket, foi o cestinha da partida com 24 pontos.     


Esperança
Egipto continua na corrida


Egipto, penta campeão africano da “bola ao cesto”, continua na corrida para apuramento a Copa do Mundo da China, após vencer ontem, no Pavilhão Arena do Kilamba, a selecção do Chad, 85-58, ocupando agora o terceiro lugar do Grupo E, agora com 16 pontos. 
Os egípcios entraram melhor na partida, ao contrário dos chadianos, que mostraram grandes carências em quase todos os aspectos. 
No primeiro quarto a selecção do Egipto, que luta igualmente por lugar na fase final do Mundial da china, vencia já por 20-10. 
Fruto do rigor evidenciado no capítulo defensivo, os penta campeões africanos voltaram a vencer no segundo período, por 26-14, perfazendo 46-24, ao cabo dos primeiros 20 minutos. 
Os chadianos melhoraram significativamente no terceiro período e impuseram um rigoroso empate a 17 pontos. 
No quarto derradeiro, os egípcios voltaram a mostrar o seu poderio vencendo, por 22-17, fixando o resultado em 85-58.   

DESEMPENHO
Selecção da Tunísia
mantém ciclos de triunfos 

Com a maior parte das suas melhores unidades, a selecção da Tunísia derrotou ontem, no Pavilhão Arena do Kilamba, em Luanda, a similar de Marrocos, por 89-51, em partida a contar para a primeira jornada do Grupo E da fase de qualificação zona africana para a Copa do Mundo de 2019, prova a disputar-se na República Popular da China. Ao contrário do que havia anunciado o seu técnico, Mário Palma, de que traria para a capital angolana, Luanda a selecção de Sub-23, o antigo treinador dos hendecacampeões africanos trouxe para a quinta e derradeira janela de qualificação o esqueleto base da sua formação. Ontem, diante da frágil selecção de Marrocos, os tunisinos venceram com toda a naturalidade, por 89-51, e continuam de pedra e cal na liderança da tabela classificativa do Grupo E, agora com 20 pontos, contra 13 de Marrocos, que continua na cauda da tabela.
Com Mburad El Mabrouk a se destacar nos lançamentos a longa distância, a selecção da Tunísia vencia, por 20-2, quando restavam cinco minutos e 45 segundos para o termo do quarto inicial. Os pupilos de Mário Palma saíram a vencer por 34-12.
Com uma defesa organizada é um ataque eficiente, os actuais campeões em título continuaram a dominar por completo o rumo dos acontecimentos, e foram para o intervalo maior a vencer por 26 pontos de diferença (50-24).
Os quartos subsequentes voltaram a ser dominados pela selecção tunisina, ante um Marrocos que se mostrou bastante preso nas suas ações, fundamentalmente, no capítulo ofensivo. Aliás, o resultado final (89-51), atesta perfeitamente a superioridade da Tunísia, conjunto que já tem o seu passe de acesso à fase final da Copa do Mundo de 2019 assegurado. Omar Abada, Mburad El Mabrouk, ambos com 13 pontos, e Omar Mbuhli, com 11, foram os melhores marcadores da Tunísia, ao passo que Jihad Banchlikha, com 13 esteve em destaque entre os marroquinos.                 

Preenchimento de vaga
Comissão Executiva reúne 
amanhã em Luanda

A Comissão Executiva da Fiba-Afrique vai reunir-se amanhã, domingo, numa da unidades hoteleiras da capital do país, Luanda, para aflorar os mais variados problemas que afligem a modalidade, segundo informou o director executivo da quinta janela de qualificação da zona africana para a Copa do Mundo da República Popular da China, em 2019.
O novo modelo de disputa da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol em seniores masculino, prova que passa a designar-se Afroleague, assim como a proposta de preenchimento do cargo de secretário -geral da Fiba -Mundo,  deixado pelo suíço Patrick Baumann, falecido a 14 de Outubro, em Buenos Aires, Argentina, aos 51 anos de idade, vítima de ataque cardíaco, dominam a reunião do Comissão Executiva da Fiba -Afrique.  
Baumann encontrava-se na capital da Argentina, por ocasião da terceira edição dos Jogos Olímpicos da Juventude e a notícia da sua morte causou grande consternação no seio do COI, e no mundo do basquetebol.
“É um grande choque, é muito duro. É muito difícil acreditar nesta terrível notícia”, afirmou na altura, o presidente do COI, o alemão Thomas Bach, em comunicado.
Segundo o líder do COI, perdeu-se “um líder jovem cheio de esperança e que simbolizava o futuro do desporto”.
Nascido em Basileia, o suíço era presidente da Associação das federações internacionais olímpicas de Verão, membro do COI desde 2007 e secretário -geral da FIBA, desde 2002.
Baumann foi um dos grandes impulsionadores da variante de basquetebol 3x3, introduzido na anterior edição dos Jogos Olímpicos da Juventude e que vai ter lugar pela primeira vez no programa dos Jogos Olímpicos, em 2020, em Tóquio.
O suíço era também presidente da Comissão de Coordenação dos próximos Jogos Olímpicos da Juventude de Inverno, que se realizam em Lausana, em 2020, e dos Jogos Olímpicos de Los Angeles, nos Estados Unidos, em 2028. 


DESORGANIZAÇÃO
Constrangimentos
marcam primeiro dia de prova


Incompreensivelmente, o primeiro dia de competição da quinta e derradeira janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo de 2019, prova a decorrer na China, ficou marcado sem sombras de dúvidas pela ausência da estatística, um instrumento de extrema importância, quer para os profissionais da comunicação social, quer para os treinadores das equipas.
Ontem, na primeira partida, envolvendo as selecções da Tunísia e de Marrocos, os profissionais da comunicação social e o treinadores das duas formação ficaram privados da estatística, no primeiro, segundo e terceiro período, respectivamente, alegadamente, por problemas na impressora.
Entretanto, a legalidade só foi reposta no último período, para a satisfação dos técnicos e não só. Já os profissionais da comunicação social foram obrigados a “abandonar” o seu local de trabalho para pegarem a respectiva estatística, quando na realidade o Comité Organizador, presidido por Tony Sofrimento, devia proporcionar estas condições aos homens da imprensa.