Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Adeptos militares esto crentes no ttulo

Francisco Carvalho - 27 de Maio, 2016

O 1 de Agosto e Recreativo de Libolo abrem amanh o play off da final do Campeonato Nacional snior masculina de basquetebol.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A presença da equipa sénior masculina do 1º de Agosto na final do Campeonato Nacional de Basquetebol de 2015/2016 reviveu as esperanças dos adeptos em ver o troféu de campeão a regressar à Galeria do clube afecto às Forças Armadas Angolanas. A mais de duas épocas, o sorriso está preso aos lábios sem horizonte para soltá-lo.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, os adeptos do clube militar do Rio Seco manifestaram a unanimidade de ter chegado a hora para resgatar o troféu perdido a muito tempo. A boa prestação da equipa liderada por Richard Casas na primeira fase da competição nacional e no último jogo da meia final diante do Petro de Luanda são apontados como indicadores de "esperança".

Morais Narciso, funcionário público, asseverou que o Recreativo de Libolo não vai ter pernas e braços para suportar a "fúria" do "nosso velhote".
"Depois de muitos meses a queimar no banco, Kikas Gomes parece ter ressuscitado. A nossa presença na final do BIC Basket'2015/2016 deveu-se à abnegação e a experiência. Foi a nossa força principal. Por isso, estou convicto que desta vez a taça vai sorrir ao nosso lado", disse.

Tomás Kimbito, engenheiro de construção civil, manifestou a "total confiança" no "renascimento" da equipa mais titulada de África. Para o adepto militar, "a estatística apontam vantagem a nossa equipa" comparativamente ao Recreativo de Libolo. No entanto, a "família Agostina" pode mandar confeccionar os cachecóis de consagração de mais um título, "depois de longo jejum".

"Estamos em condições de erguer o troféu no terceiro jogo do play off da final", disse com muita convicção.

O engenheiro de Construção Civil sustenta que o Recreativo de Libolo tem dificuldades de vencer os jogos no Pavilhão Victorino Cunha, enquanto os militares "disparam" os triplos em qualquer pavilhão "deste mundo". Outro factor de vantagem é a aposta do Richard Casas a Kikas Gomes debaixo da tabela. "O nosso velhote ressuscitou", disse com sorriso aos lábios.

Bermila Lourenço, estudante universitária, revelou que sofreu no último jogo da meia final. A persistência dos prolongamentos quase a provocava um AVC.

"Sofri bastante, porque não via o fim do jogo. Persisti sentada a assistir ao jogo, mas com o coração a doer. Bebi muita água para acalmar os nervos. No final, soltei um grito de satisfação", disse.

Com a presença da equipa militar na final do BIC Basket, Bermila Lourenço sugere que Richard Casas deve adoptar "a mesma postura do jogo diante do Petro de Luanda". A estudante justifica que o Recreativo de Libolo é "muito forte" e "tem jogadores que desequilibram qualquer defesa". No entanto, "a única forma de conter o ímpeto dos vice-campeões é jogar com transição rápida e apostar muito forte na defesa".

"O 1º de Agosto não deve permitir que Eduardo Mingas brinque debaixo das tabelas. É tão forte quanto Kikas. Por isso, o nosso poste deve voltar a conter as investidas dos adversários", disse a adepta.

O 1º de Agosto e Recreativo de Libolo abrem amanhã o play off da final do Campeonato Nacional sénior masculina de basquetebol. Os militares eliminaram nas meias-finais os campeões nacionais, Petro de Luanda, enquanto a equipa de Libolo "despachou" o Interclube.