Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Adeus ao público acontece hoje no Kilamba

Melo Clemente - 26 de Agosto, 2014

Adeus ao público acontece hoje no Kilamba

Fotografia: Jornal dos Desportos

O público luandense  vai acarinhar hoje a partir das 19h00 a Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculino, que defronta no Pavilhão Multiusos do Kilamba, a similar dos Camarões, para o encerramento da I edição do Torneio Internacional Arquitecto da Paz, prova que visa saudar o 72º aniversário do Presidente da República, José Eduardo dos Santos, a assinalar-se a 28 do mês em curso.

Sem  "afectação" de vencer a partida de mais logo frente aos Camarões,  o seleccionador nacional, Paulo Macedo vai seguramente aproveitar para fazer as últimas correcções, antes de entrar em cena na fase final do Campeonato do Mundo.

Um eventual triunfo era extremamente importante para o combinado nacional para a elevação dos índices motivacionais, pelo que, a Selecção Nacional tudo vai fazer para conseguir uma vitória a fim de brindar o pública amante do basquetebol em particular e do desporto em geral.

A jogar em casa e diante do seu público, os angolanos que vão marcar presença pela sétima vez numa fase final de um Campeonato do Mundo, quarta consecutiva, apresentam-se como favoritos no prélio de mais logo.As duas selecções  defrontaram-se  pela última vez, em 2011, no Campeonato Africanos das Nações de Antananarivo em Madagáscar, com os angolanos a eliminarem os camaroneses dos quartos-de-final, com o base Milton Barros a ser o responsável da reviravolta. Antes, a Selecção de Esperanças defronta o misto de Jogadores da Califórnia.                                   
M.C


HISTORIAL II
Estreia da URSS


A primeira vez na história  que  a ex-URSS participava numa fase final de um Campeonato Mundo de basquetebol, foi  num campo de futebol de Santiago, que tinha sido convertido para a ocasião. O Chile enquanto país organizador  apurou-se automaticamente. As 12 equipas foram divididas em três grupos. 

O Brasil  apesar de ter sido derrotado pela ex- URSS (71-76), levou a medalha de ouro depois de vencer a equipa corporativa americana, por 81-67. Já em 1963, originalmente programado para ser realizado em Manila as Filipinas perderam o direito de acolher o Campeonato do Mundo. O governo das Filipinas tinha se recusado a conceder visto aos jogadores de países socialistas.

Em face disso, a organização deste quarto Campeonato Mundial foi finalmente designado para os brasileiros. A FIBA excluiu as Filipinas da competição e multou  a sua federação por dois mil dólares norte-americanos ( cerca de Akz.200.000).

Pela terceira vez, em dez anos, o Brasil foi palco para os melhores jogadores de basquetebol  do mundo. Dos 12 países envolvidos, oito eram representantes das Américas e quatro da Europa.

 Após os jogos preliminares em Belo Horizonte, Curitiba e São Paulo, foi numa atmosfera de carnaval no Rio de Janeiro, que o Brasil manteve o seu título de Santiago, ao derrotar a ex-Jugoslávia, a ex-URSS, os EUA e a França, classificados nesta ordem.
Os Estados Unidos, representados por uma equipa inferior, mais uma vez teve de admitir a derrota contra o Brasil, a Jugoslávia e a URSS sucessivamente.

UNIÂO SOVIÉTICA
VENCE EM MONTEVIDÉU


Depois da Argentina, Brasil e Chile, mais um país sul-americano o Uruguai foi atribuída a organização desta competição.  Este Campeonato do Mundo foi precedido por um “extraordinário”mundial organizado no Chile para marcar o 35 º aniversário da FIBA. Quanto ao “real” do Campeonato do Mundo, ele foi jogado no Sports Hall, em Montevidéu, sob forte frio que obrigou os organizadores a instalarem aquecedores.

Os EUA, não tendo ainda alinhado uma selecção adequada, foi arredada para o quarto lugar. Os soviéticos venceram o Campeonato  do Mundo pela primeira vez. Eles foram agraciados com o primeiro troféu com o nome de James Naismith, o fundador do basquetebol.