Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Adingono acredita na melhoria

Melo Clemente - 02 de Maio, 2016

Pupilos de técnico camaronês entram em grande na penúltima fase do Campeonato Nacional da bola ao cesto

Fotografia: Jornal dos Desportos

O técnico principal do Atlético Petróleos de Luanda, Lazare Adingono, promete uma equipa altamente competitiva nesta ponta final da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo BIC Basket, prova que faz disputar a fase de Qualificação.

O treinador camaronês ao serviço d equipa tricolor teceu tais considerações no último sábado, no Pavilhão Victorino Cunha, na vitória da sua colectividade sobre o arqui-rival, 1º de Agosto, a quem venceu por 94-87, em partida referente a segunda jornada da fase de Qualificação da 38ª edição do BIC Basket.

No regresso ao comando da equipa principal do Atlético Petróleos de Luanda, depois de cumprir 15 dias de suspensão, castigo imposto pelo Conselho de Disciplina da Federação Angolana de Basquetebol, Lazare Adingono conseguiu duas importantes vitórias no arranque da fase de Qualificação, superando as formações do Grupo Desportivo Interclube (112-109) e 1º de Agosto (94-87) respectivamente, assumindo a liderança do Grupo A, com quatro pontos.

Depois de ter realizado uma campanha menos conseguida, quer na fase regular, quer na fase de grupos da 38ª edição do BIC Basket, onde ocupou o terceiro posto, o Atlético Petróleos de Luanda, actual campeão nacional e africano, entrou a "matar" na fase de Qualificação, rumo a qualificação para as meias-finais da edição 38 do "Nacional", competição que caminha para o seu final.

"Sinto que nesta altura a equipa começa a chegar próximo dos seus níveis, por isso, vamos continuar a trabalhar de forma árdua no sentido de abordarmos melhor esta ponta final do campeonato nacional.

Felizmente, conseguimos duas importantes vitórias no início da fase de Qualificação, facto que eleva ainda mais a confiança dos meus jogadores que vão lutar no sentido de revalidar o título nacional", augurou o técnico Lazare Adingono.

Sem entrar em euforias, o técnico que persegue o seu segundo título nacional, depois de ter conquistado o ano transacto, reconheceu o valor das equipas que estão na luta pelo troféu referente a época desportiva 2015/2016.

"Foram apenas duas vitórias e nada mais do que isso. Temos que estar concentrados nesta ponta final da prova, onde todas as equipas estão focalizadas rumo à conquista do título do BIC Basket.

Penso que vamos ter um campeonato extremamente disputado. Aliás, as primeiras jornadas da fase de Qualificação tivemos partidas bastante equilibradas do primeiro ao último minuto, facto que leva a pensar que teremos um campeonato extremamente disputado", reconheceu Lazare Adingono. 

Sexta-feira, em pleno Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, no arranque da fase de Qualificação, os petrolíferos da capital sentiram imensas dificuldades para levar de vencida a jovem formação do Grupo Desportivo Interclube, comandada superiormente pelo português Alberto Babo, por escassos três pontos de difrença (112-109).

Os pupilos de Lazare Adingono foram abrigados a se aplicarem ao fundo para vergar a equipa adstrita a Polícia Nacional, que soma já duas derrotas na fase de Qualificação da 38ª edição do BIC Basket.

E contra todas as expectativas, sábado, a equipa tricolor foi surpreender o arqui-rival, 1º de Agosto, em pleno Pavilhão Victorino Cunha, vencendo-o por 94-87, assumindo de forma isolada a liderança do Grupo A da fase de Qualificação, com quatros pontos, seguido do Recreativo do Libolo e 1º de

Agosto, ambos com três pontos cada. Grupo Desportivo Interclube e Atlético Sport Aviação (ASA) ocupam os últimos dois lugares, com dois e um ponto respectivamente.

PETRO E INTERCLUBE
MOSTRAM EFICÁCIA

As formações do Atlético Petróleos de Luanda e do Grupo Desportivo Interclube foram as mais concretizadoras da dupla jornada da fase de Qualificação da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, ao marcarem 206 e 200 pontos respectivamente.

Em duas partidas realizadas, a equipa tricolor marcou 206 pontos, o que representa uma média de 103 pontos por cada desafio, tendo sofrido 196, obtendo uma média de 98 pontos sofridos em cada jogo.

Já a equipa adstrita a Polícia Nacional ao marcar 200 pontos, conseguiu uma média de 100 pontos, tendo sofrido 211 pontos, o que representa 105,5 pontos por cada desafio.

A formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas foi a terceira equipa mais concretizadora,  com 149 pontos, tendo sofrido 136, o que representa uma média de 74,5 e 68 pontos marcados e sofridos respectivamente.

Recreativo do Libolo e Atlético Sport Aviação ASA, com apenas uma partida, foram as menos concretizadoras, com 99 e 42 pontos marcados respectivamente, e sofrem 91 e 62 pontos.