Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Adingono pode treinar Interclube

Melo Clemente - 20 de Maio, 2019

Alis, Lazare Adingono s terminou a temporada desportiva 2018/2019, porque um grupo de atletas

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

Num ano em que conquista o título da 41ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo Unitel Basket, a direcção do Atlético Petróleos de Luanda, liderada por Tomás Faria, decidiu terminar o vínculo laboral com o técnico camaronês, Lazare Adingono, que apesar de ter ainda um ano de contrato de opção, está de saída da equipa tricolor. 

Depois de um início de época algo conturbado, fundamentalmente durante à fase regular da 41ª edição do Unitel Basket, onde as exibições patenteadas pela equipa tricolor não convenciam a sua massa associativa, facto que levou a direcção do Atlético Petróleos de Luanda a reunir de emergência com o técnico Lazare Adingono e o seus jogadores, o elenco dirigido por Tomás Faria optou em prescindir dos serviços do técnico camaronês.

Aliás, Lazare Adingono só terminou a temporada desportiva 2018/2019, porque um grupo de atletas, liderado pelo capitão Leonel Ditutala Paulo, interveio junto do presidente de direcção, Tomás Faria, no sentido do treinador terminar a temporada.

Apesar de ter contratado jogadores com a elevada qualidade, com realce para Carlos Morais, que, na época passada, militou no basquetebol italiano, Olímpio Cipriano, Hermenegildo M´bunga, Benvindo Quimbamba, Aldemiro João, todos provenientes da extinta equipa do Sport Libolo e Benfica, os resultados e as boas exibições tardavam em surgir, para o desalento dos adeptos da formação petrolífera, que exigiam a cabeça do treinador.

E contra todas as expectativas, o técnico camaronês Lazare Adingono conduziu, de forma competente, o Atlético Petróleos de Luanda durante a disputa da "Final Four" da 41ª edição do Unitel Basket, culminando com a conquista da coroa doméstica, sendo o segundo troféu nacional para o jovem treinador de apenas 41 anos de idade, décimo terceiro para a formação do Eixo-viário.

E quis o destino que o décima terceiro troféu fosse diante do seu arqui-rival, 1º de Agosto, que durante a época desportiva 2018/2019 vulgarizou completamente o Atlético Petróleos de Luanda.Os petrolíferos da capital bateram os militares na eliminatória, por 4-2, depois de ter conseguido duas soberbas vitórias, em pleno Pavilhão Victorino Cunha, por 89-84 e 77-65, respectivamente.Na terceira partida registou-se novo triunfo dos comandados de Lazare Adingono, por 74-71.  O Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto) venceu o quarto e o quinto jogo, por 73-70 e 101-100, respectivamente.

Ao serviço do Atlético Petróleos de Luanda, Lazare Adingono conquistou dois títulos de campeão nacional, duas Taças de Angola, uma Supertaça Wlademiro Romero e uma Taça dos Clubes Campeões Africanos.Dos dezasseis (16) clássicos dos clássicos, Lazere Adingono ganhou sete, tendo perdido por nove ocasiões. Entretanto, o antigo treinador do Atlético Petróleos de Luanda poderá conduzir, nos próximos tempos, os destinos do Grupo Desportivo Interclube, conjunto que, na equipa recém terminada, foi orientado pelo ex-seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, Alberto de Carvalho "Ginguba".