Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

All Star Game regressa a Joanesburgo

Melo Clemente, em Nova Orleans - 20 de Fevereiro, 2017

Joga das Estrelas marcou ontem o encerramento do terceira edição do Acampamento Global de Basquetebol sem Fronteiras

Fotografia: AFP

Contra todas as expectativas, a cidade de Joanesburgo, África do Sul, volta a acolher a 5 de Agosto do ano em curso, o Jogo das Estrelas da NBA, envolvendo as formações de África e o Resto do Mundo. À margem do All Star Game, será igualmente disputada a décima quinta edição do Jogos sem Fronteiras.

A revelação foi feita sábado, por Adam Silver, comissário da Liga Norte Americana e Basquetebol, a famosa NBA, durante o jantar que o comité organizador proporcionou as delegações que participaram da terceira edição do Acampamento Global e Basquetebol sem Fronteiras que encerrou ontem, com a disputa do All Star Game (Jogo das Estrelas), entre as equipas do Leste e do Oeste, respectivamente.

Ladeado de Michele Roberts e Amadou Gallo Fall, directora geral da WBA e vice-presidente e director geral da NBA para África, o homem forte da Liga Norte Americana de Basquetebol mostrou-se satisfeito por mais uma vez as autoridades sul-africanas terem abraçado o projecto. "Para nós constitui motivo de grande satisfação voltarmos a África do Sul para fazer disputar o jogo das estrelas", disse.

Depois de ter albergado a primeira edição do Jogo das Estrelas da NBA, isto em 2015, a cidade de Joanesburgo volta a merecer a confiança dos responsáveis máximos da Liga Norte Americana de Basquetebol, para acolher a segunda edição do All Star Game. As excelentes condições infra-estruturais que a África do Sul possui neste altura, levou ao comité organizador  a escolher novamente o país no sul do continente africano para a disputa do All Star Game.

Amadou Gallo Fall, um dos responsáveis máximos da NAB para África, tranquilizou os profissionais da comunicação social, principalmente, aos africanos, que o projecto visa atingir todos os países do continente africano desde que tenham condições mínimas, deste as infra-estruturas desportivas e hoteleiras, respectivamente.

"Nós pretendemos levar o nosso projecto em todos os países do continente africano desde que hajam condições infra-estruturais desportivas e hoteleiras. Sabemos que o basquetebol é uma modalidade bastante querida entre os jovens do nosso continente". Entretanto, Angola poderá ser, à semelhança da Nigéria, o próximo destino do All Star Game, de acordo com Amadou Gallo Fall, em face do domínio avassalador do país, que perdura a mais de duas décadas e meia.

"Como sabem Angola continua até a ser o número um do basquetebol no continente africano, em face das inúmeras conquistas que obteve e, seria bom que nos próximos tempos o projecto pudesse chegar a Luanda. O ano passado tivemos uma boa experiência com a realização de Campos de férias basquetebol sem fronteiras. Portanto, falo de Angola, assim como a Nigéria", assegurou Amadou Gallo Fall, director da NBA para África.

A Equipa de África será formada por atletas africanos que actuam na Liga Norte Americana de Basquetebol (NBA), ao passo que a formação do Resto do Mundo vai ser constituída por atletas norte-americanos e de outros continente que jogam igualmente na NBA. O extremo poste, Bismak Biyombo, da República Democrática do Congo, atleta que ingressou o ano passado na NBA, ao serviço do Orlando Magic, e

Emmanuel Mudiay, igualmente da RDC, e que actua pela formação do Denver Nuggets, serão os principais rotos da Equipa de África. A convocatória das equipas técnicas e dos jogadores para a segunda edição do Jogo das Estrelas será feita nos próximos tempos.  As receitas obtidas durante a segunda edição do All Satr Game serão revertidos para a Fundação Nelson Mandela, assim como outras instituições de caridade existentes na cidade d Joanesburgo.

VISÂO
Biyombo acredita
no sucesso do
continente africano


O extremo poste do Orlando Magic, Bismak Biyombo, uma d figuras eleitas para a segunda edição do Jogo das Estrelas,a decorrer na cidade de Joanesburgo, África do Sul, a cinco de Agosto do ano e, curso, afirmou que o continente africano poderá nos próximos dez quinze anos um salto qualitativo em todas as ferias da sociedade.

Para o jovem jogador nascido na República Democrática do Congo, o continente africano tem potencial humano suficiente, para alcançar rapidamente o desenvolvimento, principalmente, no capítulo desportivo.

Bismak Biyombo aconselho aos jogos desportistas, particularmente os basquetebolistas a conciliarem a prática desportiva com a formação académica.
"Eu acredito piamente no desenvolvimento do nosso continente, porque temos quadros capazes que podem perfeitamente ajudar o continente atingir níveis elevados nas mais variadas feras da sociedade e particularmente no desporto. Por isso, gostaria de apelar aos jovens jogadores para conciliarem o desporto com a prática desportiva", apelou o jovem jogador do Orlando Magic.

O congolês democrático mostrou-se por outro lado, satisfeito com o facto de sido escolhido para participar na segunda edição do Jogo d Estrelas, competição a decorrer de na cidade de Joanesburgo, África do Sul, a cinco de Agosto do ano em curso. "Para mim é motivo de grande satisfação fazer parte desta festa que vai decorrer na África do Sul. Vamos nos preparar para estarmos em plena forma por altura do All Star Game".
 M.C