Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola já tem rivais

Melo Clemente - 09 de Maio, 2017

Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos continua sem comandante a três meses do início do Afrobasket

Fotografia: Jornal dos Desportos

A Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos vai disputar a fase de qualificação para a 18ª edição da Copa do Mundo da modalidade, prova a decorrer de 31 Agosto a 15 de Setembro de 2019, na República Popular da China, inserida no Grupo C, ao lado das similares da República Democrática do Congo, Marrocos e Egipto, de acordo com o sorteio realizado domingo, em  Guangzhou.

O combinado nacional, onze vezes campeão africano, vai começar a sua campanha rumo a Copa do Mundo da \"bola ao cesto\" recebendo em Novembro, na capital do país, Luanda, a similar de Marrocos.

As dezasseis (16) selecções que vão disputar a 29ª edição do Campeonato Africano das Nações da \"bola ao cesto\" de 2017, vulgo Afrobasket, prova a decorrer de 19 a 31 de Agosto, em país a indicar pela Fiba-Afrique, têm assegurada as respectivas presenças no torneio de qualificação ao Campeonato do Mundo da China de 2019, isto para a zona africana.

Trata-se de ANGOLA, República Democrática do Congo, Marrocos, Egipto, Uganda, Rwanda, Mali, Nigéria, actual campeã africana, Guiné Conakry, África do Sul, Camarões, Tunísia, Senegal Moçambique e Costa do Marfim, respectivamente.

Entretanto, o país que acolher este ano o Campeonato Africano das Nações (Afrobasket), competição que a Fiba-Mundo havia atribuído a Angola com a anuência da actual direcção da FAB, encabeçada por Helder Martins da Cruz \"Maneda\", depois da desistência do Congo Brazzaville, alegadamente, por questões logísticas, vai completar o lote das dezasseis selecções que vão lutar pelos cinco passes de acesso à fase final da Copa do Mundo.

A prova que inicialmente era designado como Campeonato do Mundo, passa doravante a chamar-se Copa do Mundo, de acordo com a decisão saída no último congresso do organismo que tutela a modalidade do mundo (Fiba-Mundo), realizado em 2014, em Espanha, por altura da disputa do Campeonato do Mundo naquele país da península ibérica.     
    
Pela primeira vez, o continente berço da humanidade vai fornecer cinco representantes na fase final da Copa do Mundo, contra os anteriores três lugares.

A Copa do Mundo da China de 2019 contará pela primeira vez com a participação de 32 selecções, contra 24  das edições anteriores.

Senegal, Moçambique e Costa do Marfim fazem parte do Grupo D, Guiné Conakry, África do Sul, Camarões e Tunísia compõem o Grupo A, ao passo que Uganda, Rwanda, Mali e Nigéria estão inseridos no Grupo B da zona de qualificação.

O continente europeu vai contar com a participação de 32 selecções, apurando-se para à fase final 12 selecções. África, América e Ásia vão fornecer 16 representantes, sendo as duas últimas qualificam sete selecções, ao passo que o continente africano vai colocar no mundial apenas cinco representantes.

 A caminhada até à fase final do Mundial de 2019 envolverá 140 selecções que, a partir de Novembro de 2017, participarão numa fase de qualificação que irá prolongar-se por 15 meses.

Oito cidades chinesas foram escolhidas como sedes da Copa do Mundo: Pequim, Nanjing, Suzhou, Wuhan, Guangzhou, Shenzhen, Foshan e Donguan.

Esta será a terceira vez que um país asiático recebe um mundial, depois das Filipinas terem organizado a edição de 1978, vencida pela antiga Jugoslávia, e do Japão ter sido o país anfitrião em 2006, edição conquistada pela Espanha.

Fiba autoriza uso do véu islâmico
A Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) autorizou o uso do véu islâmico para as jogadoras, anunciou ontem a entidade, que se reuniu em Hong Kong, depois de um longo processo de revisão que começou em Setembro de 2014. "O escritório central aprovou a proposta apresentada pela Comissão Técnica que autoriza o uso do véu para as jogadoras", indicou a FIBA n um comunicado. A nova regra foi desenvolvida para minimizar o risco de lesões e preservar a uniformidade da cor com o restante do uniforme, acrescenta a nota.

Esta decisão, que ainda tem de ser ratificada na sexta-feira num congresso da FIBA, entrará em vigor a 1 de Outubro de 2017.Em 2014, o Catar retirou a sua equipa feminina dos Jogos Asiáticos porque não era permitido usar o véu por razões de segurança. Outros desportos, como o futebol, também proíbem a sua utilização.