Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola mantém firme o objectivo

Hélder Jeremias - 25 de Setembro, 2013

Partida da quinta e última jornada da fase preliminar frente ao Mali está prevista para as 21h15

Fotografia: Santos Pedro

A Selecção Nacional de Basquetebol sénior feminina realiza hoje o seu jogo mais difícil da fase preliminar da 23ª edição do Campeonato Africano de Basquetebol, que a capital moçambicana acolhe desde o dia 20 deste mês, quando a partir das 21h15 (menos uma em Angola) medir forças com a formação do Mali, em partida pontuável para a quinta jornada do grupo B.

Apontadas como candidatas ao título continental, as malianas começaram a sua campanha com uma vitória frente à Nigéria, passando depois por Cabo Verde, Quénia e Camarões.

A Selecção Nacional tem aumentado a sua eficiência em termos tácticos, tal como ficou subjacente nos dois últimos jogos, impondo-se à Nigéria na terceira jornada (78-45). Ontem, voltou a passear a sua classe diante dos Camarões por 48-44.

Apesar do combinado nacional estar a fazer um percurso imaculado na competição que o país irmão do Índico alberga, não se pode perder de vista a necessidade de Aníbal Moreira e Eliza Pires terem de procurar mandar para o campo uma equipa à altura de aniquilar a ousadia de Fatoumata Bagayoko e companheiras, cuja percentagem no capítulo da finalização está na base do positivo percurso até agora alcançado na etapa preliminar.

Embora a Selecção Nacional esteja com o passe garantido para a fase seguinte, o jogo de hoje é encarado com grande responsabilidade por parte de Aníbal Moreira, visto que as exibições da equipa têm criado algum desconforto entre os entendidos na matéria, com os condicionalismos físicos que limitam o desempenho de atletas preponderantes na manobra do plantel, como são os casos de Nachissela Maurício, Nguendula Filipe e Luísa Tomás.

No grupo A, Moçambique continua a dominar, muito por conta das boas exibições diante de um público que, de forma exemplar, puxa pela selecção anfitriã no mítico pavilhão de Maxaquene. Esta situação influenciou na vitória, por 67-34, frente à Argélia, em partida da terceira jornada, disputada segunda-feira à noite.
As argelinas complicaram ao máximo o jogo das donas da casa mas ainda assim foram incapazes de virar o resultado a seu favor no final.


ÁRBITRO ANGOLANO
Baganha vaticina melhoria
no desempenho da equipa


O árbitro internacional angolano, Fernando Pacheco “Baganha”, vaticinou melhorias no desempenho da Selecção Nacional de Basquetebol sénior feminina em prol da defesa do título da 23ª edição do “Africano” da categoria, que decorre em Maputo.

O único árbitro a representar o país na maior cimeira do basquetebol africano feminino reconheceu que a equipa ainda carece de alguns acertos, mesmo que tenha vencido todos os jogos até à presente data, pois, segundo frisou, em declarações aos Jornal dos Desportos, momentos depois de ajuizar a partida entre a Argélia e o Senegal, os jogos mais difíceis estão por realizar.

No dizer do homem do apito existem cinco equipas muito equilibradas, como o Senegal, Moçambique, Mali, Camarões e Costa do Marfim, razão pela qual antevê-se jogos muito renhidos durante os quartos-de-final, ao contrário do que se tem visto na fase inicial, em que as mais fortes se impõem com certa facilidade.

Questionado sobre o nível da arbitragem que actua no africano de Maputo, Fernando Pacheco “Baganha” avançou que, face às exigências da competição, estão a fazer um trabalho eficiente, embora possa surgir um ou outro caso pontual que suscite reclamações por parte de quem se vê prejudicado.

Quanto aos níveis de organização, o árbitro angolano reconheceu que no início houve falhas, mas felicitou a Federação Moçambicana de Basquetebol “por ter conseguido ultrapassar todas as questões com que os envolvidos se deparavam, tais como a distância entre os aposentos e o local das refeições”.
 HJ

FRENTE AO ZIMBABWE
Egipto obtém primeira vitória


A Selecção do Egipto conseguiu a sua primeira vitória no grupo A do Campeonato Africano de Basquetebol, que decorre em Maputo, ao vencer ontem a primeira partida da quarta ronda da competição, por 85-55, frente à similar do Zimbabwe.
O Egipto tem-se revelado um dos elos mais fracos da prova que junta as 12 melhores equipas do continente, tendo consentido três derrotas consecutivas.
Na estreia diante do Senegal perdeu e sucumbiu na jornada seguinte frente às anfitriãs (Moçambique), por 105-53. Na terceira jornada foi batido pela Costa do Marfim por 72-54.

Comandadas pelo técnico Mohamad Elzayany, a equipa das terras do Rio Nilo tem deixado transparecer um momento menos bom do seu basquetebol, mas soube tirar proveito da caótica abordagem de jogo das zimbabweanas, formação que chegou atrasada à competição e continua a revelar-se a mais fraca. 
Por seu turno, a Argélia, depois de ter dificultado Moçambique na terceira jornada, segunda-feira à noite, em que perdeu por 67-34, foi cilindrada ontem pelo Senegal por 102-22.
A quinta jornada, a ser disputada hoje, reserva as partidas: Costa dos Marfim-Zimbabwe, às 10h00, Argélia-Egipto, às 14h15, Quénia-Cabo Verde, às 14h30, Camarões-Nigéria, às 16h45, Moçambique-Senegal, às 19h15 e Angola-Mali, às 21h15.
HJ

GRUPO B
Cinco nacional
assume liderança


A Selecção Nacional de basquetebol sénior feminina assumiu a liderança do Grupo B da fase preliminar da 23ª edição do Campeonato Africano das Nações, agora com oito pontos, mercê da vitória, por 48-44, diante da congénere dos Camarões, em jogo referente à quarta jornada da aludida competição.
O combinado nacional teve a prova mais difícil, depois de na terceira jornada já ter experimentado algumas dificuldades frente à selecção queniana.
A etapa derradeira registou os momentos de maior sufoco para a equipa técnica, quando as duas equipas se encontravam empatadas a 44-44, a cinco minutos do fim, facto que levou o seleccionador a solicitar um desconto de tempo que resultou na correcção das falhas para saírem a vencer por quatro pontos 48-44.
 HJ