Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angola sobe 7 lugares no Ranking da FIBA

Melo Clemente - 21 de Setembro, 2019

A seleco nacional a segunda melhor de frica no ranking mundial

Fotografia: kindala Manuel | Edies Novembro

O basquetebol angolano está em estado de graça, mau grado as vozes dos mais obstinados. A boa nova é que Angola galgou sete lugares no ranking da Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) e, agora, é a trigésima-segunda classificada com 332,7 pontos. A pontuação coloca-a como a segunda melhor selecção africana, atrás da Nigéria. 

Mas, como “não há bela sem senão”, o cenário relegou para lugares terciários a Tunísia, ainda assim insuficientes para ultrapassar Angola. A equipa treinada por Mário Palma é a terceira melhor selecção africana com 329,7 pontos. 

No ranking FIBA Worl Ranking Nike, na última actualização, que data de 26 de Fevereiro de 2919, os hendeca-campeões africanos ocupavam a terceira posição continental, correspondente à trigésima-nona posição do ranking mundial com 262,5 pontos, logo atrás da Nigéria e Senegal, esta última relegado agora ao quarto lugar, mercê do desempenho na China. Os senegaleses tiveram um pecúlio que se saldou em derrotas nos cinco prélios disputados, mormente, contra a Lituânia (47-101), Austrália (68-81), Canadá (60-82), Alemanha (78-89) e Jordânia (77-79).

Angola, mau grado a sua prestação na China, superou as selecções de maior gabarito técnico-táctico e recheadas de exímios executantes, com realce para a actual campeã continental, a Tunísia, um posto abaixo (33) com 329,7 pontos.No ranking mundial ontem actualizado pelo organismo reitor do basquetebol mundial, destaque para a Nigéria que subiu dez lugares. Agora, ocupa o vigésimo terceiro posto com 441,4 pontos. O Senegal subiu dois lugares e ocupa o trigésimo quinto com 317,7 pontos, equivalente ao quarto lugar no ranking continental. 

No actualizado FIBA Worl Ranking Nike, os EUA mantém-se na liderança, não obstante a perda de ceptro mundial, com a Espanha no seu encalço. Os Estados Unidos da América somam 786,4 pontos na primeira posição contra 731,5 dos campeões mundiais, os segundos classificados. No Top 10, destaque para a subida da Austrália (673,6) ao terceiro lugar. Os Boomers, a designação oficial da selecção da terras de cangurus, ultrapassaram a Argentina, quarta classificada (670,5), e a França (665,4),  quinto lugar.

Contribuíram para a subida meteórica dos Boomers, os resultados dos últimos oito anos, bem como a combinação de uma série de resultados em torneios: o quarto lugar na China, a presença nas meias-finais dos Jogos Olímpicos de Rio\'2016 e a vitória no Ásia FIBA em 2017. A Argentina, vice-campeã do mundo, também subiu um lugar às custas da França, cujo número total de pontos aumentou no Mundial FIBA 2019, mas não o suficiente para compensar os ganhos da Austrália.

A República Checa (596,8) e a Polónia (583,0) foram as que mais subiram com as suas fortes exibições na China. Os checos subiram 14 lugares e agora estão em 10º, enquanto os polacos saltaram para o 13º lugar ao conquistar 12 posições. No cômputo geral, a Polónia, Porto Rico, Venezuela e Costa do Marfim registaram ganhos de dois dígitos, com os costamarfinenses a subirem dezasseis (16) lugares no ranking. 

Apesar de não terem competido no Mundial FIBA 2019, sublinhe-se também as subidas do Belize, Kosovo e Togo, com uma progressão de 50, 21 e 21 lugares, respectivamente. Em contra-mão, perderam terreno países que não competiram no primeiro Mundial de 32 selecções, na China, casos da Jamaica, que ocupa a octogésima sétima posição e desceu 15 lugares, a Finlândia (-13), México e Macedónia (-11).