Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanas favoritas

05 de Dezembro, 2014

As equipas angolanas do Interclube e do 1º de Agosto defrontam hoje nos quartos-de-final adversários acessíveis

Fotografia: Jornal dos Desportos

Após dominarem a fase preliminar da Taça dos Clubes Campeões Africanos de Basquetebol feminino, na Tunísia, as equipas angolanas do Interclube e do 1º de Agosto defrontam hoje, nos quartos-de-final, o Kenya Sport Authority e o Club Sportif Police Circulation (CSPC) da Tunísia.

No Salle Olimpique Bejaoui, em Sfax, as angolanas têm definido o principal propósito de atingir a final, sendo que as “polícias” procuram revalidar o troféu ganho na última edição e as “militares” tentam conquistar pela segunda vez a prova, depois do sucesso de 2006.

O detentor do título africano, Interclube, que terminou invicto a fase de grupos (B) ao derrotar, quarta-feira, o Dolphins da Nigéria, por 79-59, tem pela frente o quarto classificado do grupo A, aguardando-se pelo cumprimento de calendário, em função do desnível entre os contendores.  
Com uma trajectória invejável na fase inicial, as comandadas de Manuel Sousa “Necas” certamente lutam para conservar o troféu em sua posse, apesar das dificuldades ainda a enfrentar nos próximos encontros.  

Na primeira jornada, as “polícias”, que somaram oito pontos, derrotaram o INSS do Congo Democrático, por 67-55, na segunda ronda aplicaram “chapa” cem ao USIU do Quénia (101-66) e na terceira suplantaram o CSPC da Tunísia, por 73-56. O Interclube teve 232 pontos convertidos e 174 sofridos, em quatro partidas.    

O 1º de Agosto, outra formação angolana na prova, também encerrou a primeira fase sem derrotas no grupo A. As comandadas de Jaime Covilhã demonstram apetência pelo troféu continental e apresentam-se como favoritas diante do quarto classificado da série B, o CSPC da Tunísia.

As “militares” totalizaram seis pontos, mercê dos triunfos sobre First Bank da Nigéria, por 87-77, Clube Sportif Sfaxien da Tunísia, por 66-50, e o Kenya Port Authority do Quénia, por 79-47, tendo como saldo 320 pontos marcados e 236 sofridos. 

Dadas as características e o potencial dos dois representantes angolanos, assim como os adversários a enfrentar, pode-se aventar uma final angolana, embora seja ainda cedo para projecções relativas ao desfecho do torneio.

A competição registou pausa ontem e hoje, além dos jogos das angolanas, os quartos-de-final reservam os encontros Club Sportif Sfaxien da Tunísia-Dolphins da Nigéria e INSS da RDCongo-First Bank da Nigéria.