Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanas procuram passagem s "meias"

Melo Clemente - 15 de Agosto, 2019

Angolanas tm esta noite mais um osso duro de roer

Fotografia: Edies Novembro

A Selecção Nacional de basquetebol em seniores femininos defronta hoje, quinta-feira, a partir das 20h00, no Pavilhão Arena de Dakar, a congénere do Senegal, na última partida dos quartos-de-final da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, competição que caminha para o seu final.
Depois de ter enfrentado a forte selecção do Mali, uma das fortes candidatas à conquista do título continental, durante a fase preliminar, com o triunfo a sorrir para as malianas, por 71-63, o seleccionado angolano volta a cruzar o caminho de outra nação super poderosa, no caso, o Senegal, medalha de prata da 23ª edição do Campeonato Africano das Nações (Afrobasket), prova disputada em Bamako, capital maliana, em 2017. Moralizadas com a vitória de ontem, diante das quenianas, as comandadas de Apolinário Paquete, que estão fortemente apostadas em primeira instância, na melhoria do sexto lugar e, posteriormente, lutar por um dos lugares do pódio, mostram-se aptas para encararem o desafio de mais logo, com bastante determinação.
Aliás, nesta fase da competição, onde o mínimo deslize significará o adeus à luta pelo ceptro continental, os índices de concentração devem estar em alta.
Com um conjunto algo modesto, comparativamente ao país anfitrião, o \"Cinco Nacional\" vai aproveitar o seu jogo colectivo, para suplantar a forte selecção do Senegal, que tenciona conquistar a medalha de ouro, depois de ter falhado à favor da Nigéria, em 2017, no Mali. O seleccionador nacional, Apolinário Paquete, vai ensaiar esta manhã, as estratégias a serem utilizadas no embate desta noite, que se espera bastante equilibrado, a julgar pelo valor das suas selecções, apesar das senegalesas estarem ligeiramente mais acima, em termos de valores individuais.
Apesar de reconhecer o potencial do Senegal, dez vezes campeã africana, sendo por isso, a selecção mais titulada do continente africano, a nível das senhoras, o técnico angolano promete montar uma equipa, que seja capaz de contrapor o jogo ofensivo das senegalesas, que vão contar seguramente com o apoio incondicional do seu público, que tem lotado por completo o Pavilhão Arena de Dakar, fundamentalmente, quando a selecção caseira está em acção. Regina Pequeno, 20 anos de idade, Avelina Peso, 21 anos e Alexia Dizeko, de apenas 18 anos de idade, têm sido as atletas em grande destaque nesta 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, sem desprimor pelas demais, pelo que devem fazer parte do leque de jogadoras, que vão enfrentar esta noite o Senegal.
As angolanas conseguiram um triunfo na fase preliminar, frente a República Democrática do Congo, a quem venceram por 69-49, tendo averbado uma derrota na estreia, diante do Mali, por 63-71, medalha de bronze da última edição do Afrobasket.
Entretanto, a jogar em casa diante do seu público, a selecção senegalesa passeou classe durante a fase preliminar da aludida competição, cilindrando as similares da Costa do Marfim e Egipto, por 77-36 e 85-47, respectivamente.
Em duas partidas, a selecção do Senegal marcou nada mais, nada menos do que 162 pontos, o que representa uma média de 81 pontos por cada desafio, sendo por isso, um dos ataques demolidor da competição, a par da Nigéria (181 pontos marcados/90,5 por cada partida), actual campeã africana.
As senegaleses terão de provar nas quatro linhas o seu favoritismo, por formas a não serem surpreendidas pelas angolanas, que procuram o seu terceiro triunfo continental, depois das conquistas de 2011, em Bamako, Mali, e 2013, Maputo, capital moçambicana. Na primeira partida dos quartos-de-final, a República Democrática do Congo que ontem venceu a selecção de Cabo Verde, vai defrontar a Nigéria (12h00). O Egipto que bateu os Camarões, por 68-63, mede forças com Moçambique.

Repescagem 
Angola supera Quénia e atinge quartos-de-final

Angola precisou dos últimos dois quartos, para levar de vencida ontem, no Pavilhão Arena de Dakar, a similar do Quénia, por 64-51, e assegurar a sua presença nos quartos-de-final da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, onde já se encontram as selecções do Senegal, Nigéria, Mali e Moçambique, respectivamente.
Contra todas as expectativas, as quenianas chegaram a impor um rigoroso empate, ao cabo dos primeiros vinte (20) minutos, a 29 pontos.
O equilíbrio acabou por marcar os dois primeiros períodos, fase em que as bicampeãs africanas (Angola) sentiram imensas dificuldades, para desbobinarem o seu basquetebol.
A Selecção Nacional venceu no primeiro período, por escassos três pontos de diferença (15-12).
Fruto de alguma desconcentração defensiva, o combinado nacional, que busca a melhoria do sexto lugar da edição passada, acabou por perder no parcial por 17-14, perfazendo uma igualdade a 29 pontos, ao cabo dos primeiros vinte (20) minutos.
No terceiro quarto, as pupilas de Apolinário Paquete agigantaram-se e passaram a praticar uma qualidade de jogo de longe superior aos das quenianas, tendo o \"Cinco Nacional\" vencido por 23-10, altura em que a vitória do combinado nacional estava praticamente assegurada.
Já com o resultado praticamente definido, as angolanas entraram algo relaxadas para o derradeiro período. Nesta fase, as duas selecções baixaram consideravelmente de rendimento, ao anotarem apenas doze (12) pontos cada, fixando o resultado em 64-51.
Resemira Daniel, com 15 pontos marcados, foi a cestinha da partida, seguida pela queniana Belinda Okoth, com 12 pontos. Luísa Macuto foi a rainha dos ressaltos, com nove.