Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Angolanos "assaltam" o pódio

Melo Clemente - 22 de Dezembro, 2015

Base Braúlio Morais perdeu no duelo que travou com o norte-americano Emanuel Quezada na partida da final de domingo

Fotografia: M. Machangongo

As formações angolanas voltaram a brilhar na XXX edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol, em seniores masculino, competição que encerrou no sábado com a consagração da equipa do Atlético Petróleos de Luanda, que arrebatou o seu segundo troféu continental, depois de tê-lo feito pela primeira vez em 2006.

Tal como em feminino, a prova que decorreu igualmente no majestoso Pavilhão Multiusos do Kilamba, foi inteiramente dominada pelas equipas angolanas que ocuparam os dois primeiros lugares do pódio da XXX edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto". As equipas do Recreativo do Libolo e do Atlético Petróleos de Luanda, foram as protagonistas da grande final da XXX edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos, partida que foi testemunhada por mais de seis mil adeptos.

Atlético Petróleos de Luanda, Recreativo do Libolo e 1º de Agosto, esta última, por sinal,  a equipa organizadora da edição número 30 da aludida competição, foram os embaixadores de Angola na segunda competição mais importante da Fiba-Afrique, depois do Afrobasket. Às três equipas, juntaram-se as formações da Associação Bairro de Cabo Verde, Asfar Rabat de Marrocos, Interclub do Congo Brazzaville, Ascut de Madagáscar, Gezira do Egipto, Kano Pillars da Nigéria e Etoile Sportive de Radés da Tunísia.

Contra todas às expectativas,  depois da direcção do clube tricolor ter assumido publicamente que não eram candidatos à conquista do anel continental, da voz do seu vogal, Artur Casimiro Barros, eis que os pupilos de Lazare Adingono surpreenderam tudo e todos, conquistaram o título africano, ao vencer na final a formação do Recreativo do Libolo, por 89-75.

Apesar de não terem feito a pré -época, com  a formação petrolífera, Emanuel Quezada, base, e Jason Cain, extremo poste, ambos de nacionalidade norte-americana, acabaram por contribuir de forma decisiva para a conquista do segundo troféu africano da equipa tricolor, depois de ter arrebatado o primeiro título africano em 2006, em Lagos, sob liderança do técnico angolano, Alberto de Carvalho "Ginguba", sem no entanto, menosprezar os demais colegas, com particular realce para o internacional angolano, Leonel Paulo, extremo poste.

O jovem Gerson Gonçalves, medalha de ouro nos XI Jogos Africanos de Brazzaville, também esteve em grande plano, durante a XXX edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos de basquetebol masculino.

Ao contrário do Recreativo do Libolo e  do 1º de Agosto que fizeram o pleno na fase preliminar da XXX edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto", a equipa do Eixo-viário consentiu duas derrotas na fase de grupos, diante do rival 1º de Agosto e do  Asfar Rabat de Marrocos, por 55-74 e 67-70, respectivamente. As vitórias na fase preliminar foram sobre Associação Desportiva Bairro de Cabo Verde e Interclub da República do Congo Brazzaville, por 85-54 e 97-57. 

Depois de ter eliminado a forte equipa do Etoile Sportive de Radés da Tunísia, nos quartos-de-final, por 74-49, os petrolíferos surpreenderam os militares nas meias-finais, a quem venceram  por 74-63. Já o Recreativo do Libolo fez uma prova imaculada, tendo baqueado apenas na grande final, frente ao Atlético Petróleos de Luanda, que contou com a inspiração do base Emanuel Quezada. 89-75 foi o resultado final.