Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Árbitros foram molestados

Sérgio V. Dias, no Cuito - 17 de Fevereiro, 2014

A Associação de Árbitros de basquetebol de Angola vai tomar posições nos próximos dias sobre o incidente ocorrido na capital do Bié

Fotografia: Rogério Tuti

As constantes faltas de respeito aos árbitros e aos juízes de mesa por parte dos membros da equipa do Sporting do Bié e da Associação Provincial de Basquetebol (APB)  mancharam a organização da 28.ª edição do campeonato nacional sénior feminino da modalidade.

O desconhecimento e desrespeito às regras de basquetebol levou o presidente da Associação de Basquetebol do Bié, Paulo Príncipe Rufino, a ofender os homens do apito durante o jogo entre o Sporting e o Desportivo O Maculusso. No referido desafio, a senhoras do Sporting do Bié saíram derrotas por 116-24.

O presidente da Associação de Basquetebol do Bié, Paulo Príncipe Rufino, também treinador do Sporting do Bié, agrediu verbalmente os árbitros João Constantino e Cláudio Anderson, após um violento pontapé na zona de protecção do recinto de jogo. Na sequência da acção, foi advertido que abandonasse o lugar em que se encontrava e para se sentar na bancada.

Reagindo à advertência, Paulo Príncipe Rufino fez novas ameaças aos árbitros e como membro da comissão organizadora do campeonato deixou de saudar ou dirigir a palavra aos juízes do jogo.

O seu irmão Antunes Cachimano, treinador-adjunto do Sporting do Bié, voltou a ofender verbal e moralmente o trio de árbitros, composto por António Bernardo, Osvaldo Neto e Helena Afonso, no jogo das classificativas do quinto ao sexto lugar entre o Sporting do Bié e o Misto da Huila, disputado ontem.
Antunes Cachimano foi expulso do jogo por ofensas morais ao trio de árbitros e por conseguinte retirou a sua equipa do campo. Acto contínuo, voltou a destratar  o trio de árbitros.

Carlos Manuel dos Reis, vogal de direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), director geral do Sporting do Bié e coordenador da 28.ª edição do “nacional” feminino da "bola ao cesto", não se pronunciou sobre o facto.  Os treinadores e o presidente da Associação de Basquetebol do Bié são reincidentes neste tipo de comportamento.

O jogo entre o Sporting do Bié e o Misto da Huila foi interrompido aos sete minutos do segundo período, quando a equipa anfitriã perdia por 19-21.

NÚMEROS
1º de Agosto lidera estatística da prova


A equipa sénior feminina de basquetebol do 1º de Agosto, orientada por Aníbal Moreira, superou a concorrência no campeonato nacional. O conjunto deteve o melhor coeficiente em termos de pontos convertidos, 648 no total, e sofreu 310, o que lhe confere um coeficiente positivo de 338 pontos.

A seguir está o Interclube, com a cifra de 609 pontos marcados, 319 consentidos e um saldo positivo de 290 pontos.

O Desportivo O Maculusso, que disputa o terceiro lugar do pódio, surge a seguir com 511 pontos convertidos, 450 consentidos e com o coeficiente positivo de 61.
O Misto de Benguela aparece no quadro de estatística como a quarta equipa com melhores performances. As senhoras de Benguela converteram 306 pontos, consentiram 482 e fruto disso ostentam o saldo negativo de 176.

O Misto da Huíla e o Sporting do Bié, equipa que actuou como anfitriã do certame, tiveram o registo dos coeficientes mais baixos. A turma huilana converteu 236 pontos, consentiu 475 e teve saldo negativo de 239, enquanto a leonina somou 245 cestos convertidos, 537 consentidos e saldo negativo de 292.

No Campeonato Nacional de Basquetebol sénior feminino, que a capital biena acolheu desde o dia 7, foram registados 2.595 pontos convertidos nos 21 jogos disputados.

Depois da disputa da final ocorreu a tradicional entrega de troféus do certame para as três equipas do pódio, Interclube, 1º de Agosto e Desportivo O Maculusso.                                   
Sérgio Vieira Dias