Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Argélia derrota a Nigéria

Rosa Napoleão - 29 de Outubro, 2013

Selecção da Argélia cumpre a rigor a estratégia definida

Fotografia: José Soares

A selecção da Argélia continua a coleccionar vitórias na fase final da IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeiras de rodas, que decorre em Angola desde o passado dia 27 até o dia 2 de Novembro, no pavilhão principal da Cidadela Desportiva.

Ontem, para a terceira jornada, os argelinos venceram a Nigéria por 78-37. A equipa argelina entrou determinada a vencer o jogo. O brio e excelente exibição da partida anterior serviram de mola impulsionadora para ofuscar os intentos dos nigerianos. Com passes rápidos, o conjunto da Argélia apresentou maior eficácia nas finalizações das jogadas. O”score” começou a crescer desde o início da partida. Aos três minutos de jogo, já vencia por 7-2, o que espelha o furor da linha de ataque.

A situação obrigou os nigerianos a esforçarem-se para contornar o resultado, mas pecavam nas finalizações. O baixo nível motivacional e o cansaço dos seus lançadores não permitiram acalentar esperanças. Um ou outro atleta empenhou-se em reverter o quadro desfavorável, mas ao invés, assistia-se a uma eficiência nos lançamentos dos adversários. A um minuto do intervalo do primeiro quarto, o placard registou 15-7 favoráveis aos árabes e no final, 21-9.

Depois do repouso, a Nigéria reentrou com outra disposição e a linha de ataque mostrou eficiência na conversão de pontos. Com ataques demolidores, os nigerianos reduziram o placard em 25-15 a meio do quarto. A alta motivação dos nigerianos foi ofuscada, quando o técnico argelino alterou o sistema táctico, priviligiando o bloqueio. Os nigerianos sentiram o efeito da nova estratégia e baixaram de produtividade, com perdas de bolas, o que permitiu ao adversário tirar vantagens com contra-ataques eficientes.

No final do segundo quarto, a Argélia vencia folgada por 36-23. Os extremos Mohamed Audu e Ogunbona Hammed foram os mais concretizadores com 13 pontos cada.
Na Nigéria, Badache Lakkhadar era o mais inconformado. Os seus 14 pontos e os ressaltos ofensivos eram insuficientes para colocar a sua equipa na liderança. No terceiro quarto, os nigerianos continuaram a pecar e chegaram ao final a perder por 56-27.

A Argélia continuou a comandar e a impor o seu estilo de jogo defensivo, sempre a potenciar o ataque com mais ousadia. No placard, o resultado apontou 60-27. Na recta final do jogo, era evidente o desgasto físico dos nigerianos face a um adversário que interpretou com clareza as orientações da equipa técnica. Com eficácia nos lançamentos debaixo do cesto, os argelinos elevaram a produtividade para 78-37, resultado com que terminou o jogo.

FICHA TÉCNICA
Pavilhão principal da Cidadela Desportiva, jogo referente à terceira jornada da IV edição do Afrobasket em cadeira de rodas entre as selecções da Argélia e da Nigéria, sob arbitragem do trio Rabah, Simão e Boudra:

ARGELIA- Zadi Omar (11), Bekhedda Fatah (4), Rezoune Walid (0), Daoudi Samir (2), Baulafa Zouhir (11), Gedoine Nabi (17), Ait Ahamed Allal (2), Badache Lakkhadar (4), Ladjadjat Samir (7), Gharbouudj Abenou (4), Mokhfi Ahmed (2), Ayache Billet (14).
Treinador: Madour Tofik
 
NIGÉRIA- Shattu Musbahu (11), Bakheddda Fatah (6), Akidnde Oluwasseum (0), lwal Olatunji (3), Ibraim Lukuimam (2), Mohamed Audu (2), Ogubona Hammed (2), Okigbaz Richard (0), Adetayo Emmauel (16), Bailley Segun (0), Oguyemi Peter (0), Okungbwa Lucy (6), Adebayo Saheed (0).
Treinador: Odoki O.T

DECLARAÇÕES
ADOKI OBERENIENE


Técnico da Nigéria
Argélia merece o título


Adoki Obereniene Tamunosiki, 56 anos, depois do jogo com a Argélia era um treinador conformado com a derrota diante de uma forte selecção, agora candidata ao título.
“A Argélia tem muitos jogadores profissionais e experientes, que militam no campeonato francês. Foi um jogo em que os meus jogadores ganharam mais traquejos. Defrontámos uma selecção que participa nesses campeonatos há muito tempo. Portanto, acredito que merecem ganhar o campeonato”, justificou assim a derrota.

Para o treinador, a derrota não afasta a Nigéria dos seus objectivos de subir ao pódio.“Continuámos com os olhos postos no terceiro lugar e só os dois últimos jogos devem ditar onde podemos ainda chegar”, referiu.

Com uma vitória diante da selecção de Angola e derrotas frente a África do Sul e Argélia, dois candidatos ao lugar cimeiro, Adoki Tamunosoki que também acumula as funções de director técnico da Federação Nigeriana de Basquetebol em cadeiras de rodas e vice-presidente da região central da Federação Internacional de Basquetebol da mesma categoria (IWBF), considerou a Argélia uma séria candidata ao título.

AFRICANO
África do Sul bate Marrocos


A selecção da África do Sul solidificou a candidatura a conquista do segundo título consecutivo do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas, que decorre na capital do país, ao vencer ontem à tarde, no pavilhão da Cidadela Desportiva, a congénere do Marrocos por 63-54. A partida contou com duas equipas bem dotadas quer do ponto de vista técnico, quer físico. Estes factores  estiveram na base do alto nível competitivo patenteado por ambas, pese embora os sul-africanos, na qualidade de detentores do ouro africano tenham feito jus ao estatuto em função de melhor esclarecimento em termos tácticos e ao refinado crivo ofensivo dos executantes Mbande Luvuyo (18 pontos) e Moketsi Grift (16).
No primeiro tempo, os marroquinos foram superiores na análise do jogo tendo feito recurso a uma estrutura defensiva com grande viabilidade no que tange a anulação das investidas da equipa adversária.

Esta situação obrigou o técnico Frank Blen a fazer reiterados ajustes nas variantes tácticas, algo que só começou a surtir os devidos efeitos nos derradeiros minutos.
Foi assim que a formação magrebina levou de vencida por três pontos (13-10) ou seja, com parciais de 6-4 e 7-6. A África do Sul ainda ressentiu-se do poderio marroquino no início do segundo período, não obstante os indícios da subida de rendimento da equipa, tendo imprimido maior dinamismo na circulação da bola e ajustado o forte sistema de bloqueio.
Neste tempo o Marrocos começou a vencer por 24-20, mas foi superado pela África do Sul com a vantagem de sete pontos (40-33).

Com um jogo mais fechado, os sul-africanos usaram toda a experiência nos dois tempos finais e geriram a vantagem, diante de um adversário consumido pelo desgaste físico e com algumas imprudências, em etapas delicadas. Os campeões africanos terminaram com um registo de 48-44 e 63-54 nos dois últimos tempos. A África do Sul e a Argélia somam seis pontos nas duas primeiras posições. Hoje a formação sul-africana defronta às 18h30  minutos a Selecção Nacional, em partida da quarta jornada.
Hélder Jeremias

FICHA TÉCNICA
Pavilhão principal da Cidadela Desportiva, jogo da terceira jornada da IV edição do Campeonato Africano de basquetebol em cadeira de rodas entre a África do Sul e o Marrocos, sob arbitragem do trio Hassan, Mustafa e Boudra, as equipas alinharam:
 
Marrocos -  Challat Zouhair(7), Oulini Mohamed(2), Ighoud Anouar(0), Essahirl nAjib(2), Fathi Mohammed(2), El Ghazzioui Mohtaf(0) Gan Abdelillah(8), Bektali Mohammed(0), El Hayami Samir(2), Maatoui Rida(22), Akrim Mehdi(2), Elhadoui Abdelhak (7)
Técnico: Steven Caine

África do Sul - Dumond Cecil(2), Louw Kyle(4), Williams Ralph(0), Molete Rackgestsing(9), Van Niekerk Jaco(2), Hartnick Shaun(0), Nkoana Tshepo(0), Moketsi Grift16), Tshange Thabene(8), Velleon Jaco(0), Williams Shane(2), Mbande Luvuyo(20)
Técnico - Frank Blen

Marcha do marcador:
13-10, 33-40, 44-48 e 54-63
Resultado final: 54-63


DECLARAÇÕES
Frank Belen


Técnico África do Sul
“Foi um grande jogo”

Frank Belen, seleccionador sul-africano, satisfeito com a terceira vitória consecutiva, disse que falta defrontar um adversário forte. “Os marroquinos fizeram um bom jogo. Sempre tivemos o domínio da partida. Nós respeitamos Angola. É o organizado mas temos pouco interesse nesta partida”, disse.AA

Steven Caine
Técnico do Marrocos
“O adversário  não deu hipóteses”


O técnico da Selecção dos Marrocos, Steven Caine, afirmou que não estão esgotadas as esperanças de disputar as meias-finais do Africano. “Fizemos tudo para tornamos o resultado ao nosso favor. O Adversário não nos deu hipótese de o fazer. Paciência. A partida contra a Nigéria é de capital importância. Ainda temos possibilidades de chegar a outra fase. Estamos condenados a vencer a Nigéria e Angola”, previu.AA