Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Argélia garante passe para o mundial

Álvaro Alexandre - 04 de Novembro, 2013

Selecção da Argélia conquistou o troféu da competição africana que decorreu em Luanda e teve mais duas distinções individuais

Fotografia: Jornal dos Desportos

A selecção da Argélia brilhou na IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas, realizado de 24 de Outubro a 2 de Novembro, em Luanda, e garantiu o passe para o mundial, que vai decorrer no próximo ano na Coreia do Sul.Os argelinos destronaram os sul-africanos do troféu da maior competição continental, fruto de uma maior experiência dos seus jogadores, que actuam em diversos campeonatos da Europa, e de uma melhor leitura de jogo.

Diga-se em abono da verdade, a Argélia não encontrou adversários ao seu nível, nesta competição realizada em Luanda, e assume-se como verdadeiro candidato na edição que vai acolher em 2015.Os pupilos de Meddour Tofik realizaram sete partidas, nas quais converteram 457 pontos e sofreram 307. A formação argelina terminou com um saldo geral de 150 pontos positivos. A média por partida foi de 65,2 pontos marcados e o seu cesto foi violado com 43,8 pontos.

Na primeira fase do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas, o campeão de 2013 venceu o Marrocos, por 65-44, Angola, por 70-40, a Nigéria, por 78-37, o Egipto, por 61-53, e a África do Sul por 57-27.Na meia-final, a selecção da Argélia carimbou o passe para a final mercê da vitória sobre o Marrocos, quarta classificada da fase inicial, com sete pontos, por 50-63.

Para a decisão do título, os argelinos foram para a quadra do pavilhão da Cidadela Desportiva mostrar a sua superioridade. O triunfo de 30 pontos de diferença (57-27), alcançado no primeiro encontro, diante da África do Sul, deu mais confiança à formação argelina para a conquista do troféu.Após os últimos 40 minutos do africano de Luanda, a Argélia ergueu a maior taça da IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas.Os sul-africanos foram vencidos na final por 56-66.

Para além do troféu de campeão africano, os argelinos conquistaram o título de jogador mais valioso da prova, através do basquetebolista Guedoun Nabil. Para o “cinco” ideal de África, a Argélia marcou presença com o jogador El Hadaoui Abdelhak, prova mais do que suficiente de que a equipa mereceu o título.

Perda do título
África do Sul rendida à superioridade do Magrebe

A África do Sul rendeu-se à superioridade da Argélia, ao perder o título na final (54-73), da IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeiras de rodas, que conheceu o seu termo sábado à noite na Cidadela Desportiva.
Com um início titubeante, os sul-africanos tiveram um presságio de resignação ao ceptro diante do Egipto, quando perderam os três primeiros quartos da primeira jornada, e só viraram o resultado na fase crucial da partida, muito por culpa do adversário, que não conseguiu manter a serenidade, e gerir a vantagem.
Na segunda jornada, a África do Sul, fez um jogo sem necessidade de colocar à prova o seu poderio, mas teve algumas dificuldades em vencer a Nigéria, cujo nível de disciplina, garantiu-lhe o estatuto de “equipa fair- play”. Depois de vencer o Marrocos e Angola nas jornadas subsequentes, os sul-africanos começaram por “tirar o chapéu” aos argelinos, com quem perderam no final da fase preliminar, muito embora ambas estavam já apuradas para a meia-final.
Os pupilos de Frank Blen, não se fizeram rogados na meia-final, e ultrapassaram os marroquinos, que procuravam melhorar o segundo lugar.
No entanto, a Argélia mostrou-se, mais uma vez, dona da situação, porque trabalhou com afinco, para terminar em grande, no sentido de albergar a próxima edição na qualidade de detentora do título continental. Hélder Jeremias

Na prova
Marrocos
supera meta


A medalha de bronze conquistada pela selecção de Marrocos, no IV Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas, decorrido de 24 de Outubro a 2 do corrente mês, na Cidadela Desportiva, é um ganho para o desporto adaptado marroquino.O Seleccionador de Marrocos, Caine Steven, cumpriu a promessa de melhorar a 12ª posição, conquistada na África do Sul, em 2011, embora tenha falhado o objectivo de se apurar para o Campeonato do Mundo da Coreia-2014, uma vez que o campeonato africano apura apenas o campeão.

O Marrocos ficou com a medalha de bronze e conseguiram eleger também dois basquetebolistas, no “cinco” ideal de África, nomeadamente, Gani Abdelilah e Mouhamed Oulini.
A trajectória na prova realizada em Luanda, foi marcada por um início desastroso. Nas primeiras três partidas o conjunto dirigido pelo técnico marroquino Caine Steven, sofreu derrotas sucessivas ou seja diante da Argélia (44-65), Egipto (50-59) e África do Sul (63-54).
Quando se perspectivava que tudo estava perdido, o técnico revitalizou o grupo, e na quarta jornada, diante da Nigéria, arrancou a primeira vitória (66-46).
A quarta posição, com sete pontos foi garantida com um triunfo obtido na última jornada, com Angola, por 61-39.
Nas meias-finais, a equipa perdeu com a África do Sul por 35-74.
Para a consumação do bronze, o Marrocos desforrou-se da derrota sofrida na primeira fase, contra o Egipto, que acabou na condição de vencedor, por 71-63. AA

Quarto lugar
Egipto falha objectivo 


A selecção do Egipto, deu um passo atrás, ao ficar em quarto lugar na tabela classificativa, da IV edição do Campeonato Africano de Basquetebol em cadeira de rodas, que a capital angolana albergou. A selecção dos faraós, procuraram melhorar o terceiro lugar alcançado em 2011 na África do Sul, apresentaram um basquetebol requintado, pautado pela excelente “performance” em termos tácticos, mas a sorte foi “madrasta” para a formação às ordens do técnico Ibrhaim Younis.

No jogo inaugural, o Egípto,que se  viu  impedido de acolher o Africano em cadeira de rodas,  devido a instabilidade política que graça naquele país,  averbou a sua primeira derrota,  frente à selecção da África do Sul, num duelo em que os “madibas” só viraram o resultado no quarto derradeiro. Venceu o segundo jogo da prova diante do Marrocos.Na terceira jornada, os egípcios não tiveram grandes dificuldades em ultrapassar a selecção anfitriã (Angola), única equipa que não provou o sabor da vitória diante do seu público, mas foi mal sucedida diante da Argélia, na jornada seguinte. A equipa terminou a fase regular em grande, ao obter o passe para as meias-finais na terceira posição.HJ