Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Armando Dala valoriza a união

30 de Dezembro, 2016

O presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Benguela, Armando Dala "Dokas

Fotografia: João Gomes

O presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Benguela, Armando Dala "Dokas", prometeu trabalhar em conjunto com todos os clubes locais para dignificar a modalidade nesta província em 2017. Reiterou o compromisso também com os núcleos para colocar o basquetebol no mais alto patamar nacional.

Armando Dala proferiu a mensagem a propósito dos resultados da Assembleia Geral Extraordinária, realizada terça-feira. O encontro (Assembleia Geral Extraordinária) provou que com união em torno do projecto da Associação é possível dignificar o basquetebol benguelense. Na qualidade de gestor, garantiu fazer tudo a seu alcance para que a união prevaleça rumo aos objectivos delineados para o período entre 2017 e 2020.

O responsável destacou o diálogo como via rápida para manter os associados unidos e reiterou adoptar uma gestão participativa. A Associação não vai decidir nada sobre o basquetebol isoladamente. Vai auscultar sempre todos os clubes para uma melhor solução de cada determinada situação.

Armando Dala agradece o voto de confiança a si depositado para manter o mandato até 2020. A estratégia passa por trabalhar com harmonia para que toda a família do basquetebol se sinta útil e integrante no projecto que visa galvanizar a bola ao cesto.

A segunda Assembleia Geral Extraordinária contou com a participação dos clubes 1º de Maio de Benguela, Casa do Pessoal do Porto do Lobito e Sporting de Benguela.



INFRA-ESTRUTURA
Aldeia de Crianças SOS
constrói quadra multiuso


A construção de uma quadra polidesportiva na Aldeia de Crianças SOS, na província de Benguela, e a massificação desportiva constam das prioridades da direcção do centro de acolhimento de órfãos menores para 2017.

O director do centro, Paulino Maia, afirmou que a construção de uma quadra multiuso, avaliado em 27 milhões de kwanzas, visa massificar diferentes modalidades desportivas, como o basquetebol, futebol, futebol salão, ténis de mesa e xadrez, no quadro do programa de fortalecimento familiar e desenvolvimento comunitário.

Com a implementação do projecto, disse que vai proporcionar aos alunos internos e da comunidade circunvizinha o surgimento de novos valores no desporto, desenvolvimento de outras habilidades e também melhorar a ocupação dos tempos livres.

Concebido no início de 2016 e transferido para 2017, devido às dificuldades financeiras dos doadores, a infra-estrutura vai beneficiar 104 crianças e 21 adolescentes todos órfãos, com idades entre os 13 aos 21 anos, que vivem em regime de internato na Aldeia de crianças SOS.

A organização humanitária garante ainda a educação e a formação profissional a 236 adolescentes vulneráveis e em risco de abandono familiar provenientes das comunidades do Capiandalo, Graça, Cahuango e do 27.