Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Assalto ao título

Melo Clemente - 18 de Maio, 2017

Libolenses e petrolíferos da capital vão duelar pela sétima vez na temporada 2017

Fotografia: José Soares | Edições Novembro

As formações do Recreativo do Libolo do Cuanza Sul e do Atlético Petróleos de Luanda defrontam-se hoje, a partir das 18h00, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, na primeira partida do play-off da final da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket, a melhor de sete, no reeditar da final da temporada 2015, troféu conquistado pela turma petrolífera.

Com o base Milton Barros algo limitado, devido a problemas físicos, a formação da vila de Calulo está em prontidão, para começar a traçar o percurso que o levará à conquista do seu terceiro ceptro doméstico.

Depois da excelente prestação que tiveram ao longo da temporada 2016/2017, com particular realce para o Campeonato Nacional da \"bola ao cesto\", onde somaram trinta triunfos, em trinta e um jogos disputados, a equipa do Recreativo do Libolo, liderada pelo técnico espanhol, Hugo Lopez, quer manter a regularidade na aludida competição, a fim de conquistar o tão almejado título do BIC Basket, troféu que se encontra em posse do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto).

Aliás, as únicas duas derrotas averbadas pela turma de Calulo na presente época desportiva, sendo uma para o BIC Basket e, outra, para a Taça de Angola, foram consentidas frente ao 1º de Agosto, consentido que foi a grande decepção da 39ª edição do Campeonato Nacional da \"bola ao cesto\".

Libolenses e petrolíferos da capital disputaram até aqui seis partidas, sendo quatro para o BIC Basket, uma para o torneio Victorino Cunha e outra para o torneio de apuramento à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos, com a formação do Recreativo do Libolo a levar sempre da melhor, obtendo por isso, seis vitórias sobre a equipa tricolor.

Apesar do domínio absoluto na 39ª edição do BIC Basket, onde praticamente não teve adversários à altura, o técnico espanhol Hugo Lopez alertou a sua rapaziada no sentido de entrar na partida desta noite com os índices de concentração em alta.

De acordo com o técnico, a competição entra numa nova fase, onde a possibilidade de triunfos acaba por estar repartido em 50% para cada colectividade.

\"Temos consciência que realizamos uma temporada fenomenal. Agora é importante que os meus jogadores coloquem na cabeça que os recordes de vitórias que não alcançamos ao longo da temporada 2016/2017 faz parte do passado e que a partir de hoje começa uma nova etapa. Se quisermos continuar na senda das vitórias teremos que entrar com os índices de concentração em alta em todas as partidas previstas para a fase decisória da competição\", alertou Hugo Lopez, técnico que já conquistou nada mais, nada menos, do que três troféus, nomadamente, torneio Victorino Cunha, Supertaça Wlademiro Romero e a Taça de Angola, respectivamente.

 Para o embate deste noite, frente a equipa do Eixo-viário, Hugo Lopez, técnico que cumpre o seu primeiro ano de contrato com o grémio da vila de Calulo, vai contar com as suas principais estrelas, com realce para os veteranos Eduardo Mingas, 38 anos de idade, e Olímpio Cipriano, 34, para além de Milton Barros, Roberto Fortes, Valdelício Joaquim, todos internacionais angolanos, Jackel Foster e Andre Harris, estes dois últimos, de nacionalidade norte-americana.

Entretanto, do lado petrolífero, o extremo base, Edmir Lucas, constitui a única preocupação da equipa técnica liderada por Lazare Adingono, camaronês de nacionalidade.

O jovem jogador de apenas 23 anos de idade, tem estado a recuperar da lesão que contraiu num dos joelhos. Ainda assim, Edmir Lucas poderá constar do lote dos convocados para o desafio desta noite no Pavilhão do Dream Space, em Viana. Apesar desta \"contrariedade\", os pupilos de Lazare Adingono estão dispostos em inverter a partir  de hoje, o ciclo de maus resultados sobre a forte equipa do Recreativo do Libolo.

Reggie Moore, extremo poste, Gerson Gonçalves, extremo base, Leonel Paulo, extremo poste, Domingos Bonifácio, base, Hermenegildo Mbunga, poste, Pedro Bastos, extremo base, Childe Dundão e Joaquim Pedro, ambos bases, constituem nesta altura os principais activos do Atlético Petróleos de Luanda que vai em busca do seu décimo terceiro anel doméstico.

Nos dias que antecederam o prélio de hoje, Lazare Adingono incidiu mais os seus trabalhos nos aspectos defensivos, sem descurar a componente ofensiva, com transições rápidas defesa ataque.

Em declarações à comunicação social, Lazare Adingono prometeu lutar de igual para igual com os actuais vice-campeões    

\"O Libolo é uma grande equipa mas, ainda assim, estamos aqui para lutar de igual para igual a decisão do título do BIC  Basket.

Para atingir a final da 39ª edição do BIC Basket afastou nas meias-finais o Grupo Desportivo Interclube, ao passo que o Atlético Petróleos de Luanda deixou pelo caminho 1º de Agosto.


Lado a lado
As estrelas que brilham


Consideradas duas das melhores equipas da actualidade, as duas colectividades que hoje começam a luta pelo título da 39ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol  em seniores masculinos (BIC Basket), possuem nos respectivos planteis, atletas de grande qualidade e que podem fazer a diferença nesta ponta final da prova, a ser jogada a melhor de seta partidas.

No Recreativo do Libolo, os veteranos Eduardo Mingas e Olímpio Cipriano, 38 e 34 anos de idade, respectivamente, constituem sem margens de dúvidas os principais rostos do conjunto orientado pelo espanhol Hugo Lopez.

Aliás, a excelente prestação do Recreativo do Libolo na presente época desportiva tem passado fundamentalmente neste dois internacionais angolanos, que acabam por fazer a grande diferença na formação da vila de Calulo. Jackel Foster, Andre Harris, ambos norte-americanos, para além Milton Barros, Valdelício Joaquim são outras unidades que também têm se destacado no Libolo.

Da lado petrolífero, Gerson Gonçalves \"Lukeny\", extremo base, de 21 anos de idade, um metro e 92 centímetros de altura, atleta que fez a sua estreia absoluta nos hendecacampeões africanos no torneio de apuramento ao Afrobasket de 2017, prova disputa em Lusaka, capital da Zâmbia, tem sido um verdadeiro carregador de piano, fundamentalmente, nesta ponta final da prova, à semelhança do extremo poste, Reggie Moore.

Pedro Bastos, Childe Dundão, Hermenegildo Mbunga, Leonel Paulo e Domingos Bonifácio são outras unidades que também têm estado em bom plano.


Jejum
Libolenses disputam quarta final consecutiva


Num espaço de quatro anos, a formação do Recreativo do Libolo  do Cuanza Sul vai disputar a sua quarta final consecutiva do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket.

Depois de conquistar o seu último anel doméstico em 2014, sob liderança do técnico português, Norberto Alves, o grémio adstrito a vila de Calulo disputou as finais de 2015 e 2016, respectivamente, tendo perdido para o Atlético Petróleos de Luanda e 1º de Agosto.

E quis o destino que o adversário da final da 39ª edição do BIC Basket, a ser jogada a melhor de sete partidas, fosse o carrasco de 2015, ou seja, os petrolíferos da capital que pretendem encurtar a vantagem do arqui-rival, 1º de Agosto, que soma nada mais, nada menos, do que dezoito troféus, contra doze do seu opositor.

Depois de falhar à conquista dos títulos de 2015 e 2016, respectivamente, a equipa do Recreativo do Libolo, conjunto agora dirigido pelo técnico espanhol, Hugo Lopez, está fortemente envolvido na luta pelo ceptro doméstico, depois de arrebatar a Taça de Angola, Supertaça e torneio Victorino Cunha.

Entretanto, caso vença o título da 39ª edição do Campeonato Nacional \"boa ao cesto\", a formação do Recreativo do Libolo tornar-se-á na terceira equipa mais titulada do basquetebol doméstica.       
                                                               
Conquistas
Espanhol Hugo Lopez procura o pleno


Com três troféus conquistados até aqui e um segundo lugar alcançado na Taça dos Clubes Campeões Africanos da \"bola ao cesto\", o técnico espanhol ao serviço do Recreativo do Libolo, Hugo Lopez, persegue a partir de hoje o quarto título da temporada 2016/2017.

Contratado pela direcção do grémio de Calulo, encabeçada por Rui Campos, no início da temporada desportiva 2016/2017, para substituir o técnico português, Norberto Alves, o novo timoneiro do Libolo continua a somar recordes atrás de recordes.

Em oito meses de trabalho com a equipa do Recreativo do Libolo, Hugo Lopez, arrebatou a Taça de Angola, Supertaça Wlademiro Romero e o torneio Victorino Cunha.

Para além dos troféus acima referenciados, a formação  da vila de Calulo detém o recorde de conquistas de vitórias na presente temporada.

Dos trinta e um jogos que disputou até aqui a nível do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket, Lopez conseguiu vencer trinta vitórias, tendo averbado apenas uma derrota, curiosamente, diante do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto), equipa que disputa com o Grupo Desportivo Interclube as classificativas do terceiro lugar. Entretanto, caso vença a título nacional, Hugo Lopez tornar-se-á no primeiro expatriado nos últimos sete anos a fazer o pleno, ou seja, à conquistar todos os troféus da temporada. O técnico espanhol fez a sua formação académica nos Estados Unidos da América, com mestrado em educação física. No seu regresso a Espanha, Hugo Lopez trabalhou como adjunto no Guipúzcoa e no Real Madrid, onde venceu a Copa do Rei, a Liga Endesa e Europa Leaque, em 2014. Passou pelo Malabo King, da Guiné Equatorial, de onde saiu para o Clube Espanhol Mantakit Fuenlabrada.

Palmarés
Militares dominam


Com dezoito troféus conquistados a nível do BIC Basket, a formação do 1º de Agosto lidera o ranking nacional, seguido pelo arqui-rival, Atlético Petróleos de Luanda, com doze títulos. O Clube Ferroviário de Luanda foi o primeiro campeã nacional, isto em 1979, ao passo que o Desportivo da Taag conquistou a segunda edição do Campeonato Nacional da \"bola ao cesto\". Os militares  são os únicos hexa-campeões nacionais. O feito foi conseguido de 2000 a 2005

1979 - Clube Ferroviário de Luanda
1980 - Desportivo da Taag
1981 - 1º de Agosto
1982 - Sporting de Luanda
1983 - 1º de Agosto
1984 - Sporting de Luanda
1985 - 1º de Agosto
1986 - 1º de Agosto
1987 - 1º de Agosto
1988 - 1º de Agosto
1989 - Petro de Luanda
1990 - Petro de Luanda
1991 - 1º de Agosto
1992 - Petro de Luanda
1993 - Petro de Luanda
1994 - Petro de Luanda
1995 - Petro de Luanda
1996 - Atlético Sport Aviação
1997 - Atlético Sport Aviação
1998 - Petro de Luanda
1999 - Petro de Luanda
2000 - 1º de Agosto
2001 - 1º de Agosto
2002 - 1º de Agosto
2003 - 1º de Agosto
2004 - 1º de Agosto
2005 - 1º de Agosto
2006 - Petro de Luanda
2007 - Petro de Luanda
2008 - 1º de Agosto
2009 - 1º de Agosto
2010 - 1º de Agosto
2011 - Petro de Luanda
2012 - Recreativo do Libolo
2013 - 1º de Agosto.
2014- Libolo
2015- Petro de Luanda
2016 - 1º Agosto
2017- ??????????