Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Atleta senegalesa Aya Traore eleita MVP

Melo Clemente - 05 de Outubro, 2015

Jogadora Aya Traore ao centro foi eleita melhor atleta do Afrobasket dos Camarões

Fotografia: Santos Pedro

A senegalesa Aya Traore foi eleita a MVP (Jogadora Mais Valiosa) da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, competição que encerrou sábado em Yaoundé, Camarões.
Aya Traore marcou 17 pontos no triunfo da sua selecção, frente aos Camarões, por 81-66. Traoré contribuiu ainda com três ressaltos.

Aya Traoré encabeçou a lista do cinco ideal da 24ª edição do Campeonato Africano das Nações, que integra ainda a camaronesa Ramses Lonlack, Geraldine Robert, do Gabão, Deolinda Ngulela, de Moçambique, e Adaora Elonu, da Nigéria. Com a conquista do Afrobasket de Yaoundé, o Senegal apurou-se directamente para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, ao passo que os Camarões e a Nigéria vão disputar o torneio de repescagem. 

NADIR MANUEL
MOSTRA SERVIÇO

A extremo poste, Nadir Manuel, foi a melhor marcadora da Selecção Nacional, com 101 pontos, em oito partidas disputadas na fase final do Afrobasket de Yaoundé. Na lista das melhores marcadoras, Nadir Manuel ocupou a 14ª posição, ao passo que a gabonesa, Geraldine Robert Yema, ocupou o primeiro lugar, com 163 pontos, seguida pela moçambicana, Deolinda Carmen Ngulela, com 131 pontos marcados. Ana Gonçalves foi a segunda melhor marcadora da Selecção Nacional, com 63 pontos.
M.C

APÓS FRACASSO
Aníbal Moreira
pede reflexão


O antigo treinador da selecção nacional sénior feminino de basquetebol, Aníbal Moreira, apelou ontem, em Luanda, à uma reflexão e análise profundas sobre as causas que estiveram na base do desempenho negativo, que resultou na perda do título no Campeonato Africano (Afrobasket2015), disputado em Yaoundé.

Ao avaliar a participação de Angola, que foi derrotada pela Nigéria, por 55-65, no jogo para o terceiro lugar da prova, o técnico escusou-se a apontar os possíveis erros, referiu à Angop, que o mais importante agora é que os principais envolvidos e intervenientes saibam identificar as falhas, para que se possam corrigir e traçar os próximos planos de trabalho.

“A selecção teve alguns jogos menos conseguidos, acho que já não estava psicologicamente bem, por ter sido afastada da final. Por isso, a equipa técnica e outros envolvidos devem procurar saber onde estiveram as falhas, para que se possa corrigir e traçar os planos de trabalho, que nos permitem lutar por novas conquistas”, disse.Ainda como solução, o treinador bi -campeão continental defendeu a reorganização no país.