Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Bienos crente no resgate do ttulo

Srgio V. Dias/no Cuito - 05 de Agosto, 2013

Responsveis desportivos da provncia do Bi acreditam na fora de Angola no Afrobasket

Fotografia: Kindala Manuel

Angola tem vastas possibilidades de resgatar o trofu africano de basquetebol, depois de ter visto o carrossel de dez ttulos interrompido na competio que Antananarivo, Madagscar, acolheu h sensivelmente dois anos. Essa convico manifestada por agentes desportivos do Bi, que se mostram convictos de que o basquetebol angolano pode mais uma vez marcar a diferena e deste modo o combinado nacional, s ordens de Paulo Macedo, chegar ao 11 trofu do seu historial.

Angola perdeu o ttulo continental h dois anos, quando numa final electrizante no conseguiu levar a melhor sobre a similar da Tunsia. Hoje, longe dos olhares daqueles que esperam ver o basquetebol nacional distante da elite continental, Angola, na ptica dos dirigentes desportivos bienos, pode mais uma vez provar que uma potncia a nvel da modalidade em frica. Prncipe Paulo, presidente da Associao Provincial de Basquetebol (APB) do Bi, sublinha que v a participao de Angola nesta 27 edio do Campeonato Africano da modalidade de forma positiva.

Ns, os bienos, tivemos a felicidade de ver a primeira fase da preparao da Seleco Nacional c, na nossa provncia. Pela interaco que mantive com os atletas e com a prpria equipa tcnica, chefiada por Paulo Macedo, penso que esto criadas todas condies para a equipa nacional fazer uma boa campanha, disse. O responsvel do basquetebol bieno disse ser muito importante o estado fsico e atltico dos jogadores angolanos, assim como o psicolgico. Esse facto vai jogar muito a favor de Angola e desse modo o ttulo continental pode ser resgatado, acrescentou.

Em relao aos principais concorrentes de Angola nessa corrida ao ttulo de basquetebol africano, Prncipe Paulo coloca a Costa de Marfim, que vai actuar na condio de anfitri, a Nigria, Camares e a Tunsia, na qualidade de detentora do trofu. voz de Prncipe Paulo juntam-se as de Victor Quessongo e Fernando Cristvo Diniz, presidentes da Associao de Andebol e do Ncleo de Hquei em Patins do Bi, que se mostram tambm convictos no xito de Angola no Afrobasket.

Victor Quessongo acredita no resgate do ttulo continental do Campeonato Africano de Basquetebol da Costa Marfim, porque, como diz, no seio da Federao da modalidade esto pessoas capazes e alia-se a isso a qualidade dos jogadores angolanos. Ns estamos com a Seleco Nacional. Angola uma potncia e os nossos jogadores tm capacidade para tal. O reforo de peso que ganhou, refiro-me ao extremo poste norte-americano nacionalizado angolano, Reggie Moore, uma mais-valia nesta prova que a Costa do Marfim vai albergar, disse o lder da Associao Provincial de Andebol do Bi.

Fernando Diniz, nmero um do Ncleo de Hquei em Patins do Bi, tambm est convicto no resgate do ttulo continental por Angola. A principal meta da equipa nacional chegar ao ttulo deste Afrobasket. Neste contexto, penso que se o tcnico Paulo Macedo montar a devida estratgia para contrapor o nvel dos adversrios, Angola chega ao ttulo com naturalidade. Esse um sonho legtimo dos angolanos, refere Fernando Diniz.


CONSTATAO
Prncipe preocupado com fraco aproveitamento

Prncipe Paulo manifesta preocupao com o fraco aproveitamento das infra-estruturas que se constroem durante a realizao destes certames.
Nesse particular, referiu-se aos Pavilhes multi-usos que esto a ser erguidos nas cidades de Luanda e do Namibe, acrescentando nesse particular o que foi feito em Malange, que vai acolher o Torneio Z D em hquei em patins. Fico triste porque no vamos tirar rendimento destas infra-estruturas. Temos exemplos dos pavilhes erguidos por altura do ltimo Afrobasket que Angola albergou, assim como dos Estdios que foram erguidos no pas no mbito do Campeonato Africano das Naes (CAN), que ocorreu nas cidades de Luanda, Benguela, Cabinda e Hula, disse.

Na ptica de Prncipe Paulo, gastaram-se rios de dinheiros com essas estruturas, que depois ficam sub-aproveitadas para a prtica do prprio desporto. Essas infra-estruturas deviam ser aproveitadas da melhor forma. Deviam servir para a massificao das modalidades para que foi concebida a sua construo. S assim se faz um bom aproveitamento das mesmas, justificou.
SVD, NO CUITO

AMISTOSO
Seleco Nacional
defronta Venezuela


A Seleco Nacional de Basquetebol em seniores masculinos defronta hoje, a partir das 19h00, em Pinto, arredores de Madrid, Espanha, a similar da Venezuela, no stimo jogo de controlo dos decacampees africanos que preparam a fase final da 27 edio do Afrobasket, a decorrer de 20 a 31 do ms em curso.

A partida estava inicialmente marcada para sbado ltimo mas, a pedido do combinado venezuelano, o desafio foi remarcado para esta noite.
Moralizados com as seis vitrias conseguidas frente ao Misto de Jogadores Profissionais da Liga ACB de Espanha, os comandados de Paulo Macedo vo procurar alcanar hoje, frente Venezuela, a stima vitria no mbito do estgio pr-competitivo que efectua em Espanha.

Ao contrrio dos testes anteriores, os decacampees africanos que buscam o resgate do ttulo perdido em 2011, no Afrobasket de Antananarivo, Madagscar, vo ter um adversrio que lhes vai causar dificuldades, no verdadeiro sentido da palavra, a julgar pela qualidade dos seus jogadores.
Sem estarem em causa os resultados nesta etapa de preparao, o seleccionador nacional tenciona formar um grupo coeso, capaz de resgatar o ttulo africano.

Em face da entrega dos 15 atletas, Paulo Macedo assumiu publicamente que vai sentir imensas dificuldades na hora de escolher os 12 que seguem viagem para Abidjan, capital da Costa do Marfim, palco da fase final da 27 edio do Campeonato Africano das Naes. A Seleco Nacional deixa Madrid, com destino Costa do Marfim, a 17 do ms em curso, trs dias antes do incio da festa da bola ao cesto.
Melo Clemente

VATICNIO
Tunsia e Costa do Marfim so os mais fortes opositores da Seleco Nacional no Afrobasket

As seleces da Tunsia, actual detentora do ttulo africano, e da Costa do Marfim, nas vestes de anfitri, so apontadas pelos dirigentes desportivos do Bi como as mais fortes concorrentes de Angola nesta 27 edio do Campeonato Africano de Basquetebol. Victor Quessongue, presidente da Associao Provincial de Andebol (APA) do Bi, aponta a Tunsia como o possvel adversrio mais complicado para Angola, por ter no seu seio jogadores muito altos e de grande capacidade. Penso que a Tunsia o principal concorrente de Angola, disse, acrescentando que o conjunto anfitrio de um quilate inferior ao da seleco da regio do Magreb.

O nmero um da Associao de Andebol do Bi mostra-se tambm convicto de que pela preparao que vem encetando e o nvel dos jogadores, os angolanos vo sobrepor-se a essas seleces, que gozam de grande cotao em frica. O presidente do Ncleo Provincial de Hquei em Patins, Fernando Diniz, considera a Tunsia e a Costa do Marfim como as equipas mais fortes concorrentes de Angola nesta edio do Afrobasket, entre os dias 20 e 31 do ms em curso. O responsvel do hquei em patins justifica o seu vaticnio pelo facto de que quer a Tunsia, como detentora do trofu, quer a Costa do Marfim, na condio de anfitri, tm argumentos suficientes para contrapor a qualquer dos adversrios no continente.