Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Butler bate recorde de Jordan

05 de Janeiro, 2016

O jogador quebrou o recorde que pertencia nada menos a Michael Jordan que chegou a apontar 39 pontos num único tempo

Fotografia: AFP

Não foi apenas a vitória apertada dos Bulls sobre os Raptors por 115-113 que trouxeram alegria ao adeptos do Chicago. Os presentes no United Center puderam presenciar um déjà-vu com a camisa vermelha: 40 pontos marcados apenas no segundo tempo.

Jimmy Butler marcou apenas dois pontos antes de sair de quadra para receber atendimento médico por causa de uma cotovelada. Porém, na volta do intervalo, o ala-armador quebrou o recorde que pertencia a ninguém menos que Michael Jordan, que apontou 39 pontos num único tempo em 16 de Fevereiro de 1989, em jogo contra o Milwaukee Bucks.

Mesmo assim, Butler descartou qualquer tipo de comparação com o maior jogador da história do basquetebol. “Não me comparem com ele. Não quero ser comparado porque então as pessoas vão pensar que eu tenho que fazer o que ele fez. Estou tentar, mas não estamos em lugar algo perto disso.

Estou apenas feliz que vencemos, para ser sincero. Eu não quero ser comparado porque todos sabemos o que ele fez pelo desporto. Só estou feliz com a vitória. Com pontos ou sem, estamos saindo daqui vitoriosos”, disse, em entrevista à ESPN americana.

O feito do jogador do Chicago ganhou ainda mais importância pelo acontecido ainda no segundo quarto. Depois de levar uma cotovelada de DeMarre Carroll, dos Raptors, o jogador precisou deixar a quadra devido à quantidade de sangue que jorrava do seu rosto.

Mesmo assim, após receber pontos para fechar a ferida próxima ao lábio, Butler regressou à equipa para ser decisivo e ajudar os Bulls a recuperarem uma vantagem de 15 pontos no placar e a saírem com a vitória, a 20ª na temporada regular da NBA 2015/2016.

“Foi uma performance inacreditável do Jimmy. Pela forma como eles (Raptors) estavam nos pressionar na primeira metade, nós não conseguíamos reverter, então colocávamos a bola nas mãos de Jimmy.

Tanto em jogadas individuais ou trabalhando com Pau (Gasol) ou Niko (Mirotic), ele fazia jogada após jogada, de perto, de longe, da linha de lance livre... Foi uma performance individual realmente muito, muito boa”, analisou o técnico Fred Hoiberg.