Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Campeo falha defesa do ttulo

Melo Clemente - 07 de Novembro, 2016

Poste Joaquim Gomes Kikas esteve entre os destaques na formao militar

Fotografia: M.Machangongo

A equipa sénior  masculina do 1º de Agosto apurou-se para a fase final da Taça dos Clubes Campeões Africano, ao derrotar ontem, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva, o arqui-rival, Atlético Petróleos de Luanda, por 59-70, em partida referente a última jornada do zonal VI, quando ao intervalo vencia já por 39-25.

Militares e libolenses serão os embaixadores de Angola na fase final da aludida competição, prova a decorrer no Cairo, Egipto, na primeira quinzena de Dezembro próximo.Um corte de energia eléctrica verificado em algumas artérias da cidade capita, Luanda, que afectou o Complexo da Cidadela Desportiva, forçou o comité organizador da prova a começar a partida uma hora mais tarde.

Inicialmente previsto para as 18h00, o prélio teve o seu início apenas às 19h00.Feridos com o desaire da ronda anterior, em que perderam por 68-69, os pupilos de Ricard Casas entraram bastante determinados nos minutos iniciais, ao contrário do seu opositor que se mostrava apático nos seus movimentos.

Eficientes nos lançamentos a longa distância, onde sobressaíam Hermenegildo Santos, MVP (Jogador Mais Valioso) da XXXVIII edição do BIC Basket, Islando Manuel e Armando Costa, a equipa militar conseguiu um parcial de 10-0, quando estavam jogados dois minutos e quatro segundos, situação que obrigou o técnico camaronês a solicitar um desconto de tempo.

A reação da equipa petrolífera tardou em surgiu, para o desalento dos adeptos da equipa do Eixo-viário que apareceram em número considerável, cerca de trezentos.Com a entrada do jovem Childe Dundão, a qualidade do jogo quer ofensivo, quer defensivo do Atlético Petróleos de Luanda melhorou significativamente, tendo a formação petrolífera reduzido a vantagem de 17 para nove pontos, ao cabo dos primeiros dez minutos (23-14).

No segundo quarto, os petrolíferos da capital entraram melhor na partida, fruto do maior rigor empreendido na defesa, e quando restavam um minutos e 58 segundos para o intervalo maior, os campeões africanos em título, venciam no parcial por 10-8 (31-24).Ainda assim, o Clube Central das Forças Armadas Angolanas acabou por conseguir um parcial de 16-11, o que perfez 39-25, ao cabo dos primeiros 20 minutos. Armando Costa e Islando Manuel foram os melhores marcadores, com oito e seis pontos respectivamente.

Na equipa do Eixo-viário, o jovem Childe Dundão e Gerson Goncalves estavam entre os mais destacados, com oito e seis pontos respectivamente.Incompreensivelmente, Lazare Adingono atribuiu a organização do jogo ofensivo ao internacional angolano, Domingos Bonifácio, quando na verdade a equipa estava a ter mais produtividade com a presença do jovem Childe Dundão.Os militares chegaram a conservar uma vantagem de 21 pontos de diferença, quando restavam pouco menos de seis minutos para o termo do terceiro período (48-27).

Childe Dundão deu outra vida ao ataque da equipa tricolor, que venceu no parcial por 23-17, fixando o resultado em 56-48, a favor da equipa rubro e negra.Os petrolíferos da capital chegaram a encurtar a vantagem do 1º de Agosto para apenas três pontos (56-53). O francês Tariq Kirksay conseguiu devolver a "tranquilidade" a sua equipa, ao fazer três recuperações que terminaram em pontos. Os militares voltaram a superiorizar-se no quarto derradeiro, ao conseguirem um parcial de 14-11, fixando o resultado final em 70-59.

FICHA TÉCNICA

Pavilhão: Principal
Comissário: Tsepo Nyewe
Arbitragem: Artur Castro (Moçambique), Walelign Gebeto (Etiópia) e Selio Asser (Moçambique)

1º DE AGOSTO: Edson Ndoniema (0 ), Armando Costa (12 ), Bráulio Morais ( 6), Vladimir Ricardino ( 0), Felizardo Ambrósio ( 7), Joaquim Gomes "Kikas" ( 9), Mútu Fonseca (3 ), Tárcio Domingos (0 ), Hermenegildo Santos ( 9), Islando Manuel ( 9), Mohamed Malick Cissé ( 6), Tariq Kirksay (10 ).
Treinador: Ricard Casas
 
PETRO DE LUANDA:  Ludgero Galiza (9 ), Childe Dundao ( 6), Pedro Bastos (0 ), Erickson Silva ( 0), Zola Paulo ( 0), Teotónio Dó (2 ), Domingos Bonifácio ( 13), Hermenegildo Mbunga ( 5), Gerson Gonçalves (9 ), Cley Cabanga (0 ), Reggie Moore ( 15).
Treinador: Lazare Adingono
 
Marcha do marcador: 23-14, 39-25, 56-48, 70-59
 
 Ricard Casas     ( 1º de Agosto)
 “Demos boa resposta”

Ricard Cassas, técnico principal do Recreativo do 1 de Agosto, não escondeu a sua satisfação pelo facto de ter conseguido a qualificação para a fase final da Taça dos Clube Campeões Africano."Creio que os meus jogadores estiveram bem, apesar de terem mostrado alguma ineficácia em algumas etapas do jogo", disse.
 
 Lazare Adingono      ( PETRO)
 "Temos que trabalhar"

Por seu turno, Lazare Adingono, timoneiro do Atlético Petróleos de Luanda, era no final da partida um homem visivelmente inconformado com a derrota da sua equipa.
"Os meus jogadores deram o máximo para vencer este jogo mas, infelizmente, o nosso adversário foi mais forte”, finalizou.

Zonal VI
Cipriano e Andre Harris brilham no Libolo


O extremo base, Olímpio Cipriano, internacional angolano, e o norte-americano, Andre Horris foram sem sombras de dúvidas os principais responsáveis da qualificação da formação do Recreativo do Libolo, para a fase final da Taça dos Clubes Campeões Africano de basquetebol em seniores masculino, prova a decorrer no Cairo, capital do Egipto, na primeira quinzena de Dezembro próximo.Apesar de estar a cumprir o seu primeiro ano no basquetebol doméstico, o extremo poste norte-americano, Andre Horris, tem se destacado no plantel da formação da vila de Calulo, agora liderado pelo técnico espanhol Hugo López, que substituiu no cargo o português, Norberto Alves, que continua na capital do país, Luanda.

Andre Horris, uma das novas aquisições da equipa do Recreativo do Libolo para a temporada 2016/2017, foi o melhor marcador, com 34 pontos marcados, em duas partidas, o que representa uma média de 17 pontos por cada encontro.Depois de ter sido preponderante na conquista da oitava edição do prestigiado torneio Victorino Cunha, prova que visa homenagear a figura do antigo seleccionador nacional de basquetebol em seniores masculino, Andre Horris voltou a ser um dos principais responsáveis pela qualificação da sua equipa à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africano da "bola ao cesto", a par do internacional angolano, Olímpico Cipriano, que terminou a competição com 31 pontos marcados, obtendo uma media de 15,5 pontos por cada partida.

Entretanto, Jakel Foster Andre Horris e Olímpio Cipriano foram os atletas mais utilizados pelo técnico espanhol, Hugo López, com 55m, 73s, 53m, 96s e 48m, 38s respectivamente.A formação do Recreativo do Libolo foi finalista vencida da Taça dos Clubes Campeões Africano da época transacta. Atlético Petróleos de Luanda detém a coroa africana.