Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Campeões mostram Taça a Muandumba

Melo Clemente - 12 de Julho, 2013

Ministro da Juventude e Desportos vai conviver com os campeões africanos da bola ao cesto que brilharam em Madagáscar

Fotografia: José Cola

A comitiva angolana que esteve a competir de 27 de Junho a 7 do mês em curso, na IV edição do Campeonato Africano das Nações de basquetebol masculino de sub-16, prova disputada em Antananarivo, capital de Madagáscar, é recebida esta manhã, às 9h45 minutos, pelo ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, numa das salas de reuniões do Minjud, encontro em que os campeões africanos vão apresentar a Taça ao titular do desporto no país.

A viverem ainda a emoção pela conquista da edição número quatro do Campeonato Africano das Nações, vulgo Afrobasket, e consequentemente, o apuramento para a fase final do Campeonato do Mundo de sub-17, competição marcada para Dubai, em 2014, os pupilos de Manuel Silva “Gi” e sob liderança do capitão Avelino Dó vão revelar ao ministro Gonçalves Manuel Muandumba os momentos vividos pela Selecção Nacional, que culminou com a conquista do título africano.

Uma selecção dos escalões de formação volta a conquistar um título africano, 25 anos depois, numa altura em que o domínio pertencia ao Egipto, detentor de dois Afrobasket da categoria.
Depois de ter ocupado o quarto posto na edição passada, o combinado nacional sob comando da dupla técnica Manuel Silva “Gi” e Miguel Pontes Lotunda, surpreendeu tudo e todos, com a conquista do título africano, vergando na final a similar do Egipto, a quem venceu por 75-66.

Manuel Silva, técnico angolano a quem foi incumbida a missão de dirigir o grupo, conseguiu superar todas as adversidades que teve durante o período de preparação.

Depois da Selecção Nacional ter desembarcado terça-feira no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, Paulo Alexandre Madeira, presidente de direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), frisou a importância de se continuar a apostar nos escalões de formação, porque no seu entender, só desta forma se potencia as selecções de seniores, nos dois sectores (masculino e feminino).

No encontro desta manhã como o ministro da Juventude e Desportos, a secretária-geral da FAB, Isabel Major, vai encabeçar o grupo que conquistou o título de campeão africano.

Eis os 12 atletas que se sagraram campeões africanos em Antananarivo, capital do Madagáscar: Avelino Dó (capitão), Alexandre Jungo, Aires Goubel, Bruno Fernando, Eric Amândio, Cley Cabanga, Cristiana Xavier, Daniel Manuel, Edmilson Miranda, Milton Valente, Sílvio Sousa e Teodoro Hilário.


 FEMININO
Cinco nacional termina exames

A Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol que se prepara para o Campeonato Africano das Nações, prova a decorrer em Maputo, termina amanhã os exames médicos.
Na segunda-feira, a Selecção Nacional, liderada por Aníbal Moreira, arranca com a preparação propriamente dita na província da Huíla, segundo apurou o Jornal dos Desportos de fonte federativa.

A preparação das actuais campeãs africanas vai ainda passar pelas províncias do Huambo e Luanda, antes de seguir viagem para Espanha, local escolhido para o estágio pré-competitivo.
A base Whitney Miguel, atleta que milita no Leon Tregor B29 de França, deve chegar a Luanda nos próximos dias, disse Isabel Major, secretária-geral da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).

“Estamos a tratar de alguns expedientes e acredito que nos próximos dias teremos a atleta à disposição da equipa técnica.”.
Para a “operação” Maputo, Aníbal Moreira convocou 19 atletas, com destaque para Clarisse Mpaka, Whitney Miguel, ambas a jogar em França, além de Rosa Gala, de apenas 17 anos de idade, jogadora do 1º de Agosto.


Preparação para o Afrobasket

Madeira inspecciona condições em Madrid


Depois de ter recebido terça-feira às 12h30 minutos, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, a Selecção Nacional de sub-16, actual campeã africana, o presidente de direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Paulo Alexandre Madeira, seguiu viagem no mesmo dia, à noite, para Espanha, a fim de inspeccionar as condições de trabalho da Selecção Nacional que naquele país ibérico prepara a fase final da 27ª edição do Afrobasket da Costa do Marfim, a decorrer de 20 a 31 de Agosto próximo.

Apesar de a FAB ter constituído uma equipa de avanço que tratou de criar todas as condições em Madrid, desde a hospedagem, alimentação, campo de treinos, assim como a marcação de jogos de controlo para os decacampeões africanos que vão em busca do título perdido em 2011, em Antananarivo, Madagáscar, Paulo Alexandre Madeira decidiu partir para as terras espanholas para aferir a veracidade das informações que recebeu quer do agente, quer do coordenador, Eurico Araújo “Boneco”.

De acordo com uma fonte federativa, Paulo Alexandre Madeira vai aproveitar a sua presença em Madrid para “preparar” o estágio pré-competitivo da Selecção Nacional sénior feminina que prepara a defesa do título africano, prova que Moçambique vai albergar em Setembro próximo.
O número um do órgão reitor da modalidade regressa neste final de semana ao país, a fim de preparar a cerimónia de homenagem aos campeões africanos de basquetebol masculino na categoria de sub-16.


BREVE

Técnico Mário Palma
garante estabilidade

A selecção portuguesa de basquetebol terminou ontem o estágio que começou em Aveiro a 23 de Junho. Os 14 jogadores que trabalham com o seleccionador Mário Palma confraternizaram com a comunicação social, num churrasco oferecido pelo clube anfitrião, Galitos de Aveiro.

Mário Palma está satisfeito com a rentabilidade que o estágio em Aveiro proporcionou aos jogadores que vão integrar a primeira fase de qualificação do Eurobasket de 2015.
Numa retrospectiva de avaliação, o técnico sustenta que os índices de produtividade apontam para a melhoria, face às condições criadas pela Federação Portuguesa de Basquetebol (FPB).

“A estabilidade voltou à selecção. Estancada a situação de jogadores com salários em atraso e libertos das pressões de instabilidade, teremos uma selecção que, apesar de ser muito jovem, reúne todas as condições de poder progredir para atingir um patamar mais elevado em competições internacionais. Demos um salto importante”, referiu Mário Palma ao lamentar a ausência da participação dos clubes com acesso a esse níve.