Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Canadá e China decidem esta tarde quinto lugar

Hélder Jeremias - 05 de Outubro, 2014

Canadá e China decidem esta tarde quinto lugar

Fotografia: Jornal dos Desportos

As canadenses venceram ontem o combinado de França por 55-40, depois de nos quartos de-final terem perdido com a Austrália por 63-52. Hoje, entram para a quadra de jogo dispostas a deixar a sua marca bem vincada na mais alta competição, com um resultado favorável sobre a China.

Espera-se  uma partida equilibrada, a julgar pela excelente forma como as duas equipas se têm  pautado, sobretudo nas duas últimas partidas em que estiveram envolvidas, em que venderam caro as derrotas nos quartos- de- final e suplantaram com dignidade as adversárias nas qualificativas do quinto ao oitavo lugar.

A China vai poder contar com todas as suas unidades, onde se destacam Liwei Yang, Xiaojia Chen, Meng Li, Ting Shao, Jing Huang, Yanyan Ji, Wen Lu, Feng Cheng e Song Gao, ao passo que o Canadá conta para a empreitada  de logo mais, com  as executantes Anael Lardy, Endéné Miyem, Diandra Tchatchouang, Sandrine Gruda, Ingrid Tanqueray, Céline Dumerc, Ana Maria Cata-Chitiga, Emille gomes, Marielle Amant, Gaelle Skrela, Paoline Salagnac e Hélèna Ciak.

Chinesas suplantam sérvias

A selecção da República Popular da China protagonizou a sua melhor exibição na 17ª edição do Campeonato do Mundo, ao derrotar ontem à tarde, no Pavilhão Fernerbahçe, por 85-69, a sua congénere da Sérvia, em partida referente às qualificativas do quinto ao oitavo lugar.

Depois de uma campanha “menos conseguida” na fase de grupos, as chinesas foram para os oitavos-de-final na condição de terceira classificada, obtiveram o passe para os quartos-de-final com vitória sobre a Belorrússia (72-67) e foram afastadas da corrida ao ouro mundial pela França, ao perder por 71-51.

Aos contrário da postura pouco ardilosa da formação asiática no primeiro encontro com a Sérvia, em que as asiáticas saíram a perder por escassos dois pontos, 65-63, a China soube cristalizar o seu jogo no rigor táctico e aproveitar a boa desenvoltura das suas unidades nucleares, no capítulo da finalização, com realce para Ting Shao, cestinha da partida com a fasquia de 24 pontos, além de Mengran Sun, que facturou 17 pontos e Song Gao, anotou  para sua conta 14 pontos.

Wen Lu  no jogo entre as equipas no grupo D foi a cestinha da partida com 20 pontos, não consegui ontem ultrapassar os dez pontos, mas destacou-se com oito recuperações, três ressaltos ofensivos, cinco defensivo e três assistências. 

A estremo base jogou durante 33 minutos e 23s, foi  a atleta mais utilizada na partida.

O primeiro e segundo períodos foram os mais equilibrados, em que a China começou a vencer por dez pontos de diferença (32-22) e foi para o intervalo com a vantagem de sete (43-36), altura em que se vislumbrava ligeira progressão do ponto de vista tático por para da equipa sérvia, às ordens da treinadora Marina Radocaj, mas as sua pupilas não foram capazes de dar sequência ao rigor defensivo nos 20 minutos subsequentes.

A Sévia venceu o terceiro quarto por um parcial favorável 10-12, entrou para o último período a perder por 64-56 e baixou de forma acentuada os níveis de finalização no quarto derradeiro ao perder por desfavoráveis 19-13, o marcador registava o resultado final em 85-69 para a China.

No final da partida, o seleccionador chinês, Thomas Maher exteriorizou-se  agradado  por se  redimir da derrota na fase preliminar, muito embora reconheça que os objectivos da equipa  no campeonato não foram concretizados, ao salientar que as suas atletas “entraram para o jogo determinadas e fizeram aquilo que se esperava no início da competição”.

“Começamos a enfrentar dificuldades no início da competição, pois fomos inseridos num grupo difícil. A equipa procurou dar o melhor de si para inverter a situação, mas voltamos a cruzar com a Espanha nos quartos –de- final, com quem não estivemos bem no jogo e fomos afastados. Hoje, as coisas saíram melhor para as minhas atletas, porque souberam  fazer o seu trabalho mais descontraídas e esperamos que no jogo de amanhã voltamos a ser bem-sucedidos”, disse o técnico Thomas Maher.