Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Carlos Morais regressa ao Petro

Juscelino da Silva - 25 de Fevereiro, 2019

Carlos Morais assinou um vnculo contratual para ajudar os petrolferos

Fotografia: Edies Novembro

Os bons filhos a casa retornam. O jogador vem reforçar o grupo de Lazare Adingono, depois de perder os concursos do poste Jason Cain e do base Jakel Foster. A direcção do Petro de Luanda chegou a acordo, no sábado, com o extremo-base Carlos Edilson Alcântara Morais, de 33 anos de idade, 1,93m de altura e 91 quilogramas de peso. O angolano reforça o Petro de Luanda até o final da época 2018/2019, segundo Artur Casimiro Barros, vice-presidente para o basquetebol dos petrolíferos.
Carlos Morais assinou um vínculo contratual para ajudar os petrolíferos a conquistar a AfroLiga, Taça de Angola e Unitel Basket. A motivação é alta no grupo. O grupo está engajado nas conquistas das três provas. Carlos Morais já se encontra em Luanda há mais de duas semanas e deve ser apresentado hoje na sede do clube.
 O primeiro treino com o grupo às ordens de Lazare Adingono deve acontecer no período da tarde.O Jornal dos Desportos apurou que o extremo-base ainda chegou a receber o convite do antigo treinador do 1º de Agosto, Luís Magalhães, para representar as cores do Sporting Clube de Portugal, mas declinou o convite.O Petro de Luanda vai dar entrada hoje do processo administrativo do atleta à Federação Angolana de Basquetebol e à Associação Provincial de Luanda.
 O jovem atleta representou recentemente o Mens Sana 1871 Basket de Itália, equipa que desceu para a terceira divisão na Itália. O Mens Sana dispensou o concurso do internacional angolano e Carlos Morais junta-se aos extremos Benvindo Quimbamba, Leonel Paulo, José António, Olímpio Cipriano, Rafael Silva, António Deógracio e Gerson Gonçalves \"Lukeny\".Lazare Adingono ganha um reforço de peso e vê o conjunto mais reforçado com Carlos Morais. Formado no Petro de Luanda, clube com o qual colecciona vários títulos colectivos e individuais no período entre 2001 e 2009, Carlos Morais deixou os petrolíferos para representar o Recreativo de Libolo em 2010. Em 2013, regressou ao eixo-viário, depois de realizar os testes de acesso à NBA por via do Toronto Raptors. Em 2015, volta a deixar o Petro de Luanda e regressa ao Recreativo de Libolo. Em 2016, rumou para o Sport Lisboa e Benfica.