Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Casas pode coleccionar fracasso

Melo Clemente - 14 de Abril, 2016

Ricard Casas celebrou um contrato com a direcção do 1º de Agosto até ao final da presente época desportiva

Fotografia: José Cola

O técnico principal do 1º de Agosto, Ricard Casas, está a beira de coleccionar um fracasso na sua estreia à frente dos destinos da equipa militar, depois de ter sido afastado na última terça-feira das meias-finais da 32ª edição da Taça de Angola de basquetebol em seniores masculino, pelo Recreativo do Libolo com quem perdeu por 94 -101 e 68 -70, respectivamente.

Contratado pela direcção do 1º de Agosto, encabeçada por Carlos Hendrick, para recuperar os títulos perdidos nos últimos tempos, Ricard Casas, técnico que substituiu no cargo o angolano  Paulo Macedo, não tem sido feliz no seu primeiro ano de trabalho.

Dos quatro troféus que disputou, designadamente, Campeonato Provincial, Taça Victorino Cunha, Taça dos Clubes Campeões e Taça de Angola , com particular realce para as últimas duas, a equipa rubro e negra perdeu todas as provas, situação que está a  preocupar seguramente a direcção do 1º de Agosto que fez investimentos para que a equipa fizesse uma época airosa com a conquista de vários troféus.

Afastado das meias-finais da 32ª edição da segunda maior competição a nível do calendário da Federação Angolana de Basquetebol, Ricard Casas é obrigado a apostar o tudo ou nada no BIC Basket, sob pena de ver a  continuidade no comando técnico do 1º  de Agosto em risco.

 Aliás, o treinador celebrou um contrato de trabalho com a direcção do clube militar até o final da presente época desportiva. Entretanto, o percurso do técnico  na 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino, vulgo BIC Basket, tem sido imaculado.

Das 21 partidas que orientou como técnico principal da equipa militar, que na temporada passada perdeu o título para o rival, Atlético Petróleos de Luanda, somou igual número de vitórias.  A única derrota que a equipa sofreu na presente edição do BIC Basket, curiosamente frente aos petrolíferos da capital foi sob liderança de Jorge Sierra, um dos seus adjuntos.

 A formação do Rio Seco lidera nesta altura o Grupo A da 38ª edição, agora como nove pontos, menos um que o Recreativo do Libolo na segunda posição, curiosamente, seu adversário  para o prélio de amanhã, no Pavilhão Victorino Cunha, para o adeus à fase de grupos da 38ª edição do Campeonato Nacional da “bola ao cesto” (BIC Basket).

Apesar do apuramento para a fase de Qualificação não estar em causa, os militares  procuram amanhã superar os libolenses, a fim de assegurarem mais um ponto de bonificação.
 
CISSÉ E JOHNE PEDRO
BARALHAM CONTAS

 Mohamed Malick Cissé e Johne Pedro, dois atletas jovens que se destacavam no conjunto rubro e negro estão sob cuidados do departamento médico do Clube Central as Forças Armadas Angolanas e são baixas para os próximos jogos da equipa militar. Ricard Casas vê reduzidas as suas opções para abordar a ponta final da 38ª edição do Campeonato Nacional (BIC Baket).

 Mohamed Malick Cissé quebrou um dos dedos do pé esquerdo,  na sexta-feira durante  o jogo que deu a vitória da sua agremiação frente ao rival Atlético Petróleos de Luanda, por 97-77, em partida referente à quarta jornada do Grupo A.

 O jovem jogador que é medalha de ouro nos XI Jogos Africanos de Brazzaville, em 2015, tem a perna no gesso, ao passo que o seu companheiro foi operado recentemente a um  dos joelhos, na cidade do Porto, Portugal, recupera satisfatoriamente da sua mazela.

BIC BASKET
Fase de grupos
encerra amanhã

A fase de grupos da 38ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculino encerra amanhã, sexta-feira dia 15, com a disputa da derradeira jornada dos respectivos grupos. A partida opõe o 1º de Agosto ao Recreativo do Libolo, no Pavilhão Victorino Cunha a partir das 18h00, vai seguramente centralizar as atenções da quinta e última jornada do Grupo A.

Embora competições diferentes, a partida pode servir  de ajustes de contas, dado que o Recreativo do Libolo foi o responsável pela eliminação da formação do 1º de Agosto, conjunto que  apostou seriamente na conquista da 32ª edição da Taça de Angola. Os militares que ainda não perderam para o Recreativo do Libolo no BIC Basket vão procurar manter o ciclo de vitórias sobre o representante da vila de Calulo.

Os libolenses espreitam igualmente o primeiro lugar do Grupo A, pelo que são obrigados a vencer os militares. O Grupo Desportivo Interclube e  o Clube Desportivo Marinha de Guerra vão lutar pelo quinto lugar do grupo, que dá acesso à fase de Qualificação.

Para o mesmo grupo, o Atlético Petróleos de Luanda vai jogar com o Atlético Sport Aviação (ASA), às 18h00, no Pavilhão Principal da Cidadela. Para o Grupo B, o Progresso Associação do Sambizanga recebe a visita do Sporting de Benguela, ao passo que o Vila defronta às 16h00 no Pavilhão 23 de Fevereiro, a equipa da Universidade Lusíada.
M.C