Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Covilh confiante no ttulo africano

31 de Julho, 2015

Tcnico daSeleco Nacional feminina tem dois compromissos com a misso de subir ao pdio mximo nas duas competies

Fotografia: Francisco Bernardo

O técnico da Selecção Nacional sénior feminina de basquetebol, Jaime Covilhã, considerou quarta-feira, em Luanda, difícil o objectivo de revalidação do título continental, alertando para o facto do conjunto disputar duas provas no espaço de cinco dias.

Em declarações à imprensa após apresentação do colectivo para o duplo compromisso, designadamente jogos Africanos (de 4 a 19 de Setembro, em Brazzaville) e Afrobasket (de 24 de Setembro a 4 de Outubro nos Camarões), afirmou, entretanto, que a qualidade técnica do colectivo torna possível a manutenção, independentemente do esforço a que serão sujeitas.

Questionado sobre o critério de selecção, o treinador referiu que o modelo só se adapta a convocação de 15 basquetebolistas, daí que algumas foram preteridas, referindo-se às veteranas Catarina Camufal e Astrida Vicente.

Na concentração estiveram Rosa Gala, Helena Viegas, Fineza Eusébio, Isabel Francisco, Sónia Guadalupe, Ana Gonçalves, Luísa Tomás, Nadir Manuel, Felizarda Jorge, Nguiendula Filipe, Angelina Golome, enquanto Nacissela Maurício, Italee Lucas, Artémis Afonso e Paula Muxiri  foram as ausentes.
Angola é bicampeã africana, com títulos conquistados em Bamako'2011 e Maputo'2013.

ESTÁGIO
Espanha e Estados Unidos são os países em estudo para o estágio da Selecção Nacional sénior feminina visando os Jogos Africanos e Afrobasket, disse em Luanda o presidente da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Paulo Madeira. Em declarações à imprensa na apresentação da Selecção Nacional realizada na sede da FAB, o dirigente confirmou que há condições para o início de estágio no dia 15 de Agosto, mas as duas opções “em carteira” estão a ser analisadas. Durante o estágio que termina a 29 do mesmo mês, o grupo orientado por Jaime Covilhã tem em agenda 10 jogos, e a ida ao Congo Brazzaville, dia 4 de Setembro, onde a 9 de Setembro começa a disputar os Jogos Africanos.

Os trabalhos tiveram início ontem, às 9 horas, no estádio dos Coqueiros, com atenção à componente física das basquetebolistas.Nos Jogos Africanos, primeiro compromisso das campeãs africanas, a decorrerem de 4 a 19 de Setembro, no Congo Brazzaville, Angola figura no grupo B, ao lado da África do Sul, Argélia, Gabão e Senegal. No Afrobasket, a disputar-se de 24 de Setembro a 4 de Outubro, nos Camarões, está na série B, com Argélia e Senegal.


AFROBASKET'2015
RCA com esperanças em Roamin Sato


O extremo-base centro-africano Roamin Sato, a actuar no Valência da Espanha, é o "abono de família" do grupo às ordens do seleccionador Thierry Aubin Goporo, que pretende levar o país de volta aos tempos áureos do basquetebol a nível do continente, a começar pelo Afrobasket2015, em Agosto, na Tunísia.

De 1,95 m de altura, o experiente jogador regressa à selecção após o campeonato africano de 2009, na Líbia, e espera-se que venha a ser fundamental aos propósitos da equipa, dada a prestação na presente época na Liga ACB, principal campeonato espanhol, onde os "valencianos" ficaram no quinto lugar.

Sato foi escolha do Draft da NBA pelos Sant Antonio, em 2004, mas, dispensado em Fevereiro do ano seguinte, rumou para outras experiências, passando pela Itália, Barcelona e Panathinaikos da Grécia.

Para sustentar o objectivo de conquistar mais um título continental, o último de dois que ostenta foi no longínquo ano de 1987, o novo treinador conta ainda, entre outros, com os préstimos dos postes Max Kouguere (1,98 m de altura, 92 kg) do Orleans Loiret Basket da França e Johann Grebongo (2,4 m e 21 anos), esse último considerado "estrela" em ascensão a jogar no Gravelines Dunkerque, da primeira divisão francesa.

A República Centro Africana (56ª no ranking Fiba e 9ª em África) realiza estágio pré-competitivo em Paris, França, tendo participado num torneio com as congéneres do Senegal e Costa do Marfim, além do clube anfitrião Vanves Aviators. Aubin Goporo, membro da selecção que representou a RCA nos Jogos Olímpicos de 1988, em Seul (Coreia do Sul), tem uma tarefa difícil para definir os 12 jogadores, que procuram fazer esquecer o 13º lugar alcançado em Abidjan na edição anterior.

Eis os 20 pré-seleccionados: Destin Damachoua, Phillipe Dianda, Jimmy Djimrabaye, Severin Febou, Glenn Feidanga, Saladine Ganda, Johann Grebongo, William Kossangue, Dimitri Kongbo,Max Kouguere, Michael Mokongo, Joseph Junior Ghislain Madozien, James Mays, Eddy Ngoy, Wilfred Pollagba, Romain Sato, Amadou Sissoko, Wilfred Yenguete, Yannick Zachee e Maxime Zianveni. Com 17 participações, a RCA conquistou o primeiro título africano em 1974, quando organizou a prova em Bangui, e 13 anos depois (1987) voltou a ganhar, em Tunes (Tunísia).

Na sua estreia, no Afrobasket de 1968, na cidade de Casablanca (Marrocos), obteve a medalha de bronze.

Thierry Aubin Goporo e comandados pretendem, por via do título continental, marcar presença nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro2016, no Brasil, depois de o país ter representado África nas Olimpíadas de Seul-88, numa altura em que tinha referências como Anicet Lavodrama e Frederic Goporo. Frederic Goporo orientou a selecção no Afrobasket2013.

Inseridos no grupo A, os centro-africanos defrontam na primeira fase as selecções da Tunísia, Nigéria e Uganda.


DECISÃO
FIBA exclui Rússia
das competições


A Federação Internacional de Basquetebol (FIBA) excluiu a Rússia de todas as competições internacionais até que esta resolva as questões judiciais em decurso no país, que atingiram um nível "inadmissível".

Após acção de uma associação regional, um tribunal russo obrigou a federação a realizar novas eleições para a direcção, ao considerar ilegítimo o sufrágio de Agosto de 2013. Apesar das advertências da FIBA em contrário, a federação acedeu e convocou novo acto para 25 de Agosto, às quais concorre o ex-jogador da Liga Norte-americana de Basquetebol (NBA) Serguei Kirilenko.

O ministro do Desporto russo, Vitali Mutko, assegurou mesmo que a federação não tem opção a não ser cumprir a decisão judicial e manifestou a confiança de que a FIBA entenderia as razões: a federação vai agora auscultar o governo, para saber que acções tomar.

O novo presidente da FIBA, o argentino Horacio Muratore, expressou recentemente a sua confiança na resolução rápida dos problemas. O organismo que tutela o basquetebol mundial diz que o conflito entre a federação russa e a justiça atingiu um "ponto inadmissível".

O impedimento, que exclui a selecção principal de disputar em Setembro o Europeu, na Alemanha, pode ser revertido mediante o resultado da reunião que a presidente da federação russa, Yulia Anikéyeva, vai ter com o comité executivo da FIBA, a 8 e 9 de Agosto, em Tóquio.