Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Curry recorda morte da filha

22 de Fevereiro, 2020

Era dia de jogo. Eddy Curry estava no banco de suplente dos New York Knicks. Naquele 24 de Janeiro de 2009, a vida iria mudar para o jogador. E para pior.
\"Jogávamos fora e eu estava sentado no banco quando alguém me chama: tens de ir lá dentro, querem falar contigo. Quando cheguei à sala, vi um dos meus amigos a chorar. Eu não sabia o que tinha acontecido e ele só me disse para ligar ao meu agente. Agarrei no telefone e perguntei o que se passava. Houve um silêncio e depois... \'Irmão, a Nova morreu. Mataram-na. Estou aqui na cena do crime. Há sangue por todo o lado. Penso que a bebé também pode estar morta\'\", conta Eddy Curry, num desabafo aterrador ao \'The Player\'s Tribune\'. Nova era a amante do jogador.
Só agora, com 37 anos de idade, Eddy Curry resolveu abrir o seu coração e falar da sua vida. Curry conta que está cansado de ser visto como uma piada, por ser grande, forte e lento: \"Tem sido assim há mais de uma década\", confessa. O que ninguém sabia, até hoje, era do drama do jogador, que foi o número 4 do Draft NBA 2001.
\"Muitas pessoas não conheciam a Nova. Estive com ela alguns anos, enquanto jogava nos Knicks. Tivemos dois filhos. No dia em que Nova foi assassinada - abatida a sangue frio em Chicago - uma das muitas pessoas que não a conheciam era a minha mulher, Patrice. Patrice também não sabia dos filhos que tive com Nova, a minha filha Ava de dez meses e Noah de três anos. Mantive tudo em segredo. De todos, durante anos\", conta o antigo jogador da NBA.
Nesse fatídico 24 de Janeiro de 2009, o seu filho Noah estava em casa, enquanto a mãe e a irmã eram mortas. Com apenas três anos, não se apercebeu do que tinha acontecido. Curry soube tudo pela polícia, enquanto viajava para Nova Iorque.
\"Soube que o meu filho Noah estava lá junto da mãe. Ele era muito pequeno e não percebeu o que se passou. Tentou acordar a mãe depois do tiroteio, como não conseguiu e pensando que estavam a dormir, encostou-se e adormeceu também. Os polícias encontraram-no a dormir coberto de sangue , conta Eddy Curry. O crime viria a ser desvendado mais tarde: fora cometido por advogado de Nova, Frederick Goings, que acabou por ser condenado em 2013.
Patrice, mulher de Curry, teve de se adaptar. Teve de aceitar um filho nascido da traição do marido. Mas recebeu-o e ama-o como se fosse seu. Patrice foi o \'porto de abrigo\' para Eddy Curry, num momento difícil. Hoje, com 14 anos, Noah vê Patrice como se fosse a sua mãe.
\"Patrice é uma mãe incrível para todos os sete filhos, e isso definitivamente inclui Noah. Ele tem agora 14 anos e, apesar de não ser seu filho de sangue, e ter chegado à vida dela da maneira mais difícil que se possa imaginar, ela o ama de coração. E ele sabe disso, sente esse amor e chama-a de mãe\", conta Curry, no seu testemunho ao \'The Players Tribune\'.
A carreira de Eddy Curry na NBA começou em 2001 e terminou em 2012. Em 2006/07 fez a sua melhor temporada, com os Knicks, com uma média de quase 20 pontos por jogo.