Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

DAgosto campeo

Melo Clemente - 17 de Maio, 2013

Equipa rubro e negra beneficiou do desaire do Libolo

Fotografia: Kindala Manuel

Já com o camaronês Lazare Adingono na liderança da equipa, depois de ter cumprido castigo federativo, os petrolíferos da capital entraram melhor no desafio, fundamentalmente, nos primeiros seis minutos, altura em que a equipa militar passou a equilibrar o rumo dos acontecimentos.

Liderados por Carlos Morais, extremo base, e Paulo Santana, base, a equipa do eixo-viário vencia por uma margem mínima de dois pontos (22-20).
No segundo período, o equilíbrio voltou a predominar, tal como aconteceu no quarto inicial, mas, a formação militar venceu por um parcial de 20-19, perfazendo 41-40, ao cabo dos primeiros 24 minutos, a favor do Petro de Luanda.

Reggie Moore, atleta que tem sido fundamental na manobra ofensiva da equipa rubro e negra, à semelhança do Cedrick Ison, ambos americanos, marcou nada menos nada mais do que 27 pontos, dando uma média de 1, 1 ponto por minuto.

Mais organizada defensivamente, a equipa do Petro conseguiu anotar 21 pontos no terceiro período, contra 20 da equipa militar, curiosamente, a mesma pontuação que havia conseguido nos quartos anteriores. Os petrolíferos venciam por 62-60.

Aliás, a partida foi jogada sob o signo do equilíbrio do primeiro ao último minuto, e as nove igualdades que se registaram ao longo do desafio atesta perfeitamente o quão foi disputada a contenda.

Na ponta final, os militares mostraram maior determinação, tendo fixado o resultado final em 76-81, para o gáudio dos adeptos que viram a sua formação a arrebatar o ceptro de forma antecipada, destronado deste modo, o Recreativo do Libolo. Reggie Moore foi o cestinha do desafio, com 37 pontos, e teve 46 de valorização. Amanhã, acontece a segunda jornada, com o 1º de Agosto a visitar o Interclube, ao passo que Petro desloca-se a Viana, ao encontro do Libolo.


                                                 SÉRIE A


                                       J      V    D     PM    PS     PTS

             1º 1 de Agosto   10    07   03   900    847    18
             2º  Libolo           10    05   05   914    895    15
             3º  Petro            10    04   06   907    932    14
             4º  Interclube     10    04   06   895    941    14

 

 


BAI Basket
Interclube cumpre dever no 28 de Fevereiro

Contra todas as expectativas, a formação do Interclube recebeu e venceu ontem, no Pavilhão 28 de Fevereiro, a equipa do Recreativo do Libolo, por 116-110, numa das partidas que centralizaram a primeira jornada da quarta e última volta do BAI Basket. Com este desaire dos libolenses, os militares sagraram-se campeões nacionais de forma antecipada. Depois de ter dominado os primeiros três períodos, o Recreativo do Libolo foi incapaz de manter o domínio que vinha exercendo no desafio e foi surpreendido pela turma da Polícia.

Em desvantagem de nove pontos à entrada do quarto período (84-93), o Interclube encetou uma estrondosa recuperação no marcador e, à entrada do minuto oito conseguiu igualar a partida em 104 pontos. A partir daí, os polícias agigantaram-se, ao contrário dos libolenses que tiveram que se render à superioridade dos pupilos de Alberto de Carvalho “Ginguba”.

A duas jornadas do fim do BAI Basket, o 1º de Agosto contínua no top da tabela classificativa, agora com 18 pontos, seguido do Libolo com 15. Petro e Interclube ocupam as últimas duas posições, com 14 pontos cada. M.C


Ano             Vencedor

1979 - Clube Ferroviário de Luanda
1980 - Desportivo da Taag
1981 - 1º de Agosto
1982 - Sporting de Luanda
1983 - 1º de Agosto
1984 - Sporting de Luanda
1985 - 1º de Agosto
1986 - 1º de Agosto
1987 - 1º de Agosto
1988 - 1º de Agosto
1989 - Petro de Luanda
1990 - Petro de Luanda
1991 - 1º de Agosto
1992 - Petro de Luanda
1993 - Petro de Luanda
1994 - Petro de Luanda
1995 - Petro de Luanda
1996 - Atlético Sport Aviação
1997 - Atlético Sport Aviação
1998 - Petro de Luanda
1999 - Petro de Luanda
2000 - 1º de Agosto
2001 - 1º de Agosto
2002 - 1º de Agosto
2003 - 1º de Agosto
2004 - 1º de Agosto
2005 - 1º de Agosto
2006 - Petro de Luanda
2007 - Petro de Luanda
2008 - 1º de Agosto
2009 - 1º de Agosto
2010 - 1º de Agosto
2011 - Petro de Luanda
2012 - Recreativo do Libolo
2013- 1º de Agosto


Desporto adaptado
Nacional prossegue
na cidade do Cuito


A IX edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em cadeiras de rodas prossegue hoje no Cuito, com os desafios da segunda jornada da Série-B. Na abertura da prova, que está ser disputada no Pavilhão do Sporting do Bié, batem-se as formações do Complexo da Cidadela Desportiva e o Misto do Kwanza-Sul.

O desafio, agendado para as 16 horas, é aguardado com tamanha expectativa, a julgar pelo desempenho da turma da capital do país no confronto de ontem diante do Misto de Malange, em que venceu por copiosos 53-11.

Ainda hoje, noutro dos jogos referentes a Série-B, batem-se às 17 horas e 50 minutos os Mistos do Kwanza-Norte e de Malange, respectivamente. Uma hora mais tarde, ou seja, às 18 horas e 50 minutos, a turma do Misto do Bié, que joga na condição de anfitriã, cruza com a sua similar da Lunda-Sul, num confronto também aguardado com ampla expectativa.  SÉRGIO V. DIAS, no Cuito



NBA
Proprietários das equipas
contra mudança dos Kings


Os proprietários das equipas da Liga norte-americana de basquetebol profissional (NBA) votaram ontem contra a mudança dos Kings de Sacramento para Seattle, encerrando assim as especulações em torno da transferência de cidade. “Este não é um voto anti-Seattle, mas sim um voto pró-Sacramento”, sublinhou o comissário da NBA, David Stern, depois do resultado da votação (22 votos contra e oito a favor) ter vindo a público.

A equipa de Sacramento estava a ser negociada entre a família Maloof, proprietários da equipa, e um grupo de investidores liderados por Chris Hansen, que pretendem levar os Kings para Seattle, mas a decisão da NBA pode fazer com que o negócio não se concretize.

No entanto, a família Maloof pode negociar com o grupo Ranadive, liderado pelo empresário Vivek Ranadive, que pretende adquirir a equipa, mas mantê-la em Sacramento. A cidade de Seattle não tem qualquer equipa na NBA desde 2008, altura em que perdeu os Super Sonics para a cidade de Oklahoma, passando a ser chamados City Thunder, finalistas de 2012 já com o novo nome.