Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Duelo de titãs

Melo Clemente - 26 de Abril, 2013

Luanda e Viana acolhem hoje emoções da “bola ao cesto”

Fotografia: Jornal dos Desportos

Moralizados com a conquista da Taça de Angola, o Petro de Luanda visita ao princípio desta noite (18h00), a equipa do 1º de Agosto, em desafio de maior cartaz da primeira jornada da “Final Four” do BAI Basket.

Passada a euforia pela conquista da segunda maior competição a nível da “bola ao cesto”, os petrolíferos da capital entram para a “Final Four” com o propósito de apagar a pálida imagem deixada durante a fase de grupos, onde ocuparam o modesto quarto lugar, contrastando com o primeiro posto da fase regular.

Com o internacional angolano Carlos Morais, extremo base, em grande forma desportiva, a equipa do Eixo-viário vai tentar surpreender os militares, que entram para a “Final Four” do BAI Basket com um ponto de bonificação.

Manuel da Silva “Gi”, um dos adjuntos do técnico camaronês Lazare Adingono, não escondeu o desejo de vergar esta noite a equipa rubro e negra, em pleno “inferno” do CODENM, apesar de reconhecer o valor do seu opositor, quer em termos colectivos, quer em termos individuais.

“Estamos agora virados para o BAI Basket, depois de termos vencido a Taça de Angola. Acredito que as equipas vão proporcionar uma boa partida de basquetebol e quem estiver melhor no desafio vai seguramente conquistar os dois pontos em disputa”, afirmou Manuel da Silva “Gi”.

O regresso do extremo base Carlos Almeida aumenta o leque de opções do técnico Paulo Macedo, que se vê “obrigado” a conquistar o Campeonato Nacional, depois de perder a Taça de Angola a favor do arqui-rival, Petro de Luanda.

Depois de ter sido afastado das meias-finais da Taça de Angola pelo Libolo, o 1º de Agosto começou mais cedo a arquitectar a “Final Four”. Em face do primeiro lugar conquistado na fase de grupos, os militares vão realizar as duas primeiras partidas no seu reduto. Assim, Paulo Macedo quer aproveitar o factor casa para arrebatar os primeiros quatro pontos.

António Bernardo, Francisco Pacheco e Deidi Figueiredo foram os juízes escolhidos pela Comissão de Arbitragem da FAB apara apitarem o clássico dos clássicos. A etapa derradeira do “Nacional” é jogada no sistema de todos contra todos a quatro voltas. Amanhã, a “Final Four” realiza a segunda jornada, que compreende o seguinte cartaz: 1º de Agosto-Interclube e Petro de Luanda-Libolo.


BAI BASKET 

Libolo e Interclube abrem “Final Four”

Libolo e Interclube abrem esta tarde, a partir das 16h00, no Pavilhão do Dream Space, em Viana, a “Final Four” do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos. Depois do interregno de uma semana que o BAI Basket registou, em face da disputa da Taça de Angola, as equipas entram a partir de hoje para a etapa final do Campeonato. O Libolo, finalista vencido da Taça de Angola, está agora virado para o BAI Basket, prova do qual é detentor do título.

 Luís Magalhães, português ao serviço do representante de Calulo, tem o grupo preparado para abordar da melhor forma a “Final Four” do BAI Basket.
Sem qualquer caso clínico, o técnico libolense vai poder utilizar todas as suas unidades para mais uma vez ultrapassar a equipa do Interclube na presente época. A jogar na condição de visitados, os libolenses vão seguramente procurar assumir as rédeas do jogo desta tarde.

Olímpio Cipriano, extremo base, Luís Costa, extremo, Domingos Bonifácio, base, todos internacionais angolanos, e o norte-americano Tommie Eddie, poste, são os protagonistas do desafio, muito em função do que têm produzido ao longo da temporada. Depois de perder os últimos dois encontros, a turma da Polícia, liderada pelo técnico Alberto de Carvalho “Ginguba”, só pensa no triunfo.

Apesar de reconhecer o potencial do Libolo, fundamentalmente, em termos de valores individuais, o técnico do Interclube quer arrancar um triunfo no reduto alheio. O trio de arbitragem é constituído por Osvaldo Neto, Clésio Francisco e Francisco Tando.


Afrobasket
Huíla defende boa preparação

A conquista do título africano no Afrobasket de 2013, a disputar-se de 20 a 31 de Agosto próximo, em Abidjan, na Costa do Marfim, passa por uma preparação adequada e pela humildade, trabalho e espírito de conquista da Selecção Nacional. A opinião é defendida pelo secretário-geral do Benfica Petróleos do Lubango, Alberto Lacerda. O dirigente indicou que a Selecção Nacional deve submeter a realização de estágios que envolvam a disputa de torneios internacionais e jogos de controlo com adversários de níveis competitivos capazes de apresentar grau de dificuldades idênticos aos que serão enfrentados na competição.

Defendeu que só deste modo será possível a conquista do 11º troféu e a consequente a recuperação do título perdido em 2011, para a Tunísia na última edição do Afrobasket, realizado em Antananarivo, Madagáscar. “A preparação é uma faceta importante. A selecção deve beneficiar de preparação rigorosa e adequada. Isso passa por estágios com torneios e jogos particulares diante de adversários de renome que possam dar as dificuldades e competitividade iguais ou superiores as que vamos encontrar para que estejamos preparados e com humildade e entrega dos atletas encarar a prova. Olhando para esses princípios e se a federação preparar todas essas condições, penso que poderemos voltar a conquistar o título”, defendeu.

O dirigente do clube encarnado considerou acessível o grupo C que integra Angola, Cabo-Verde, Moçambique e República Centro Africana. Ainda assim defendeu a necessidade de não se menosprezar qualquer adversário. Para Alberto Lacerda será a partir da segunda fase da prova em que Angola deverá ser chamada para o seu poderio, pois iniciará a enfrentar adversários mais “poderosos” e aspirantes a conquista do africano.
Benigno Narciso, no Lubango



NBA
Marc Gasol foi eleito
melhor defensor da época

Marc Gasol foi eleito, na passada quarta-feira, o melhor defensor da fase regular 2012/13 da NBA. O poste dos Memphis Grizzlies, de 28 anos, recebeu a distinção pela primeira vez na carreira, sucedendo a Tyson Chandler (NY Knicks). O jogador espanhol - que se tornou o terceiro não norte-americano a conquistar o galardão, depois de Hakeem Olajuwon (Nigéria) e Dikembe Mutombo (RD Congo) - arrecadou 212 pontos num universo de 1.089 possíveis, tendo sido escolhido 30 vezes para o primeiro lugar por um painel de 121 jornalistas e comentadores nos Estados Unidos e Canadá.

Gasol acabou à frente de LeBron James (Miami Heat), que terminou com 149 pontos e 18 escolhas para o primeiro posto, e de Serge Ibaka (Oklahoma City Thunder), extremo/poste que arrecadou 122 pontos e 14 seleções para o primeiro lugar. Refira-se que Gasol liderou a defesa dos Grizzlies, a que registou a média de pontos sofridos mais baixa esta época (88,7), tendo sido um dos seis jogadores desta temporada com pelo menos 1,5 desarmes e 1 roubo de bola.