Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Dvidas afastam estrangeiros do Interclube

Juscelino da Silva - 15 de Fevereiro, 2020

Fotografia: Edies Novembro

A direcção do Interclube, liderada por Alves Simões, está no mercado internacional há mais de dois meses à procura de um jogador estrangeiro para reforçar a posição zero-cinco com vista a disputa do campeonato nacional de basquetebol e da Taça de Angola. A grande dificuldade da  equipa do Rocha Pinto prende-se com as dívidas de alguns clubes angolanos contraídos com os atletas estrangeiros.O clube da Polícia Nacional contactou vários atletas 'forasteiros' e todos manifestaram a inquietação relacionada com os pagamentos de contratos. A falta de confiança nos clubes angolanos reside no cumprimento dos acordos com os agentes e com os atletas, segundo uma fonte do Interclube.

O treinador da equipa principal do Interclube, Raul Duarte, assegurou que "a direcção já tentou vários contactos com atletas estrangeiros e nenhum agente deu luz verde". A situação deixa "agastada a equipa técnica" que aguarda o reforço para disputar a fase final das duas competições nacionais (Campeonato e a Taça)."A situação não está fácil para nós. Os jogadores estrangeiros não querem vir jogar no nosso campeonato e alegam a falta de seriedade dos clubes angolanos quanto ao cumprimento dos contratos", disse.

Raul Duarte sustentou que "os atletas saem de Angola com salários e prémios por receber e queixam-se na FIBA, da qual a informação é espalhada pelo mundo". Ao ouvir essa comunicação, "qualquer atleta com potencial de jogar no nosso país recusa diante de uma proposta".O treinador apela aos clubes angolanos a ter mais cuidado nas contratações e honrar os acordos estabelecidos entre as partes. Por outro lado, aconselha a "evitar as promessas que não podem cumpri-las".

Na época passada, Petro de Luanda e 1º de Agosto tentaram as contratações de Jason Cain e Jakel Foster, mas as negociações não se concretizaram. Os dois atletas norte-americanos com passagens pelo Sport Libolo e Benfica e Petro de Luanda não honraram os contratos-promessas. O caso mais recente é do base norte-americano. Emanuel Quezada chegou ao 1º de Agosto há menos de duas semanas, depois de ver honrado o acordado. Questões contratuais afastaram-no nas duas primeiras voltas do campeonato nacional.