Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Em busca de votos

Helder Jeremias - 26 de Janeiro, 2017

Paulo Madeira e Hélder Cruz caçam votos junto dos eleitores

Fotografia: Jornal dos Desportos

Numa altura em que XXXVIII edição do Campeonato Nacional sénior masculino de basquetebol faz disputar amanhã a 11ª jornada, Paulo Alexandre Madeira e Hélder Cruz entram em campo hoje para captar as atenções do eleitorado, visando as eleições dos corpos sociais da Federação Angolana de Basquetebol para o ciclo 2016-2020.

A lufada de oxigénio chega em bom momento, no ano em que Angola vai estar engajada no plano internacional com distintas selecções. Paulo Madeira é presidente cessante e concorre à sua própria sucessão na liderança da lista B. Hélder Cruz foi presidente da Mesa da Assembleia Geral no mandato anterior de Madeira e encabeça a lista A.

São duas personalidades munidas de argumentos sólidos para gerir o basquetebol, que muitas alegrias proporciona ao país. Para a manutenção da sua liderança, Paulo Madeira parte para a corrida com ligeira vantagem sobre o seu oponente. Na fase anterior do processo, já havia apresentado o seu programa de actuação junto do eleitorado das praças do Bié, Huambo, Benguela e Huíla. Por outro lado, Madeira associa na sua estrutura orgânica candidatos afectos às associações provinciais.

O mandato anterior de Paulo Madeira ficou marcado pela conquista de dois títulos africanos femininos, um em sénior masculino, um em Sub-17 e um em Sub-18. A praça de Luanda é a mais forte e onde pode encontrar resistência.

A crispação com alguns árbitros marcou de forma negativa a relação com aquela associação. Alguns clubes se queixaram da gestão do BIC-Basket na época anterior. São situações que podem favorecer a Hélder Cruz.

Paulo Madeira tem apoios no Bié e na Huíla. As equipas locais "veneram-no". É certo que os votos estão garantidos. Só uma reviravolta pode desfazer o sonho.Durante o diferendo que corria os trâmites junto do Tribunal de Luanda, Hélder Cruz não esteve de braços cruzados. Depreende-se que a sua campanha também serve para cumprir formalidades. Apesar de tempo curto para a campanha oficial, o líder da lista A vai procurar reforçar a apresentação dos "trunfos" à população votante. O eleitorado já tem uma ideia sobre quem recai a escolha.

Independentemente do vencedor, a família de basquetebol pode sentir-se reconfortada. O espírito democrático deve marcar a campanha dos concorrentes. A comissão eleitoral presidida por Carlos Teixeira trabalha na supervisão do processo com o intuito de permitir à população votante o direito de eleger o futuro presidente de direcção da Federação Angolana.

O programa prevê a tomada de posse a 25 de Fevereiro. Estão cadastrados 19 clubes e cinco associações com direito a voto. Trata-se do Atlético Petróleos de Luanda, Benfica Petróleos do Lubango, Casa Pessoal do Porto de Lobito, Estrela 1º de Maio de Benguela, Sporting de Benguela, Benfica do Kunji, Sport do Andulo, Benfica Sport de Katabola, Sporting Clube Petróleos, Clube Desportivo da Huila, Haja Sport Clube,  Recreativo do Libolo, Interclube, Desportivo da Marinha de Guerra, Atlético Sport Aviação, Vila Clotilde, Desportivo do Maculusso, 1º de Agosto e Progresso Associação Sambizanga.

REACÇÃO DE TREINADORES
Normalização do processo agrada a agentes


Os agentes desportivos da "bola ao cesto" evidenciam optimismo no desfecho do processo de renovação dos corpos sociais da Federação Angolana de Basquetebol, que abre hoje a campanha eleitoral até o dia 16 de Fevereiro.

Salienta-se que por incompatibilidade de funções do presidente de Mesa da Assembleia Geral proposto pela lista A, a comissão eleitoral havia considerado ilegível a candidatura do grupo de Hélder Cruz. A decisão mereceu discussões acesas que terminaram com providência cautelar no Tribunal Provincial de Luanda.

Superado que está o imbróglio, os dois elencos aspirantes a manter sobre a sua alçada os destinos do basquetebol nacional apresentam as linhas de actuação perante o eleitorado.

O Jornal dos Desportos procurou ouvir ontem os treinadores e os atletas de basquetebol à véspera da abertura da campanha eleitoral. Os agentes desportivos manifestaram satisfação pelo fim das desavenças e de forma unânime disseram que "os candidatos são pessoas conhecedoras do dossier de basquetebol e entram no processo eleitoral com as mesmas probabilidades de vencer".

O presidente cessante da Associação Nacional de Treinadores de Basquetebol, Raul Duarte, considera a normalização da situação um presságio para tempos mais favoráveis e que permitam aos técnicos nacionais implementar todo o aprendizado obtido ao longo dos quatro anos em que dirigiu a instituição em prol do desenvolvimento do basquetebol.

Por seu turno, o técnico principal da selecção sénior feminina de basquetebol e do 1º de Agosto, Jaime Covilhã, está imbuído na crença de que a época'2017 vai ser fértil em resultados positivos nas duas frentes, razão pela qual sublinha a necessidade de um processo que sirva de exemplo para a classe.

A Federação Angolana de Basquetebol teve como primeiro presidente José Jaime Castro Guimarães "Piriquito" (1977-1987), seguido por Carlos Manuel Patrício Teixeira "Caji" (1987-1996), António Pires Ferreira (1996-2005), Gustavo Dias Vaz da Conceição (2005-2012) e Paulo Alexandre Madeira (2012-2016).