Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Equipas retemperam hoje energias

Hélder Jeremias - 04 de Abril, 2013

Libolenses e petrolíferos protagonizam amanhã o jogo de cartaz da terceira jornada

Fotografia: Kindala Manuel

As equipas nacionais aproveitam hoje, o Dia da Paz em Angola, para descansarem e retemperarem as forças visando a disputa da terceira jornada da segunda volta da XXXV edição do Campeonato Nacional de Basquetebol sénior masculino (Bai Basket), a ter lugar amanhã, cujo destaque recai para os encontros entre o Recreativo do Libolo e Petro de Luanda e o 1º de Agosto – Atlético Sport Aviação.

Apesar das estatísticas estarem a favor do 1º de Agosto e do Interclube como prováveis finalistas da maior competição doméstica, o curso dos acontecimentos só pode ser decidido em função daquilo que as equipas produzirem nas três últimas jornadas da fase de grupos.

Os militares do Rio Seco, líderes na tabela classificativa, têm o passe quase garantido, se se tiver em conta a facilidade no jogo de amanhã frente ao Atlético Sport Aviação. Os argumentos competitivos da equipa do Aeroporto estão muitos furos abaixo na presente época, o que pressupõe que, com maior ou menor dificuldade, os pupilos de Paulo Macedo elevem para 13 o número de pontos no topo da classificação.

Com o cenário acima consumado, a equipa rubro e negra não precisa de fazer contas, uma vez que, ainda que perca o jogo subsequente, frente ao Atlético Petróleos de Luanda, marcado para sábado, no pavilhão do Rio Seco, termina a fase com 14 pontos, número que, em termos matemáticos, apenas o Interclube pode alcançar se vencer os dois jogos que lhe restam.

Nesta conformidade, a pressão recai para o Recreativo do Libolo, campeão em título, que para garantir a passagem para a última fase terá de levar de vencida a partida de amanhã diante do Atlético Petróleos de Luanda, no sábado, frente ao Interclube e no dia 12, no embate com o Atlético Sport Aviação, desde que a equipa da Polícia Nacional seja mal sucedida nos seus jogos.

De resto, espera-se partidas muito renhidas, em que os treinadores Paulo Macedo, Alberto de Carvalho “Ginguba”, Luís Magalhães e Lazare Andigono vão usar os recursos disponíveis para alcançarem o desiderato em perseguição.


HOMENAGEM  
Lakers retiram número de Shaquille O'Neal


O Los Angeles Lakers retirou das quadras a camisola número 34 de Shaquille O'Neal na noite da última terça-feira durante o intervalo do jogo entre a equipa californiana e o Dallas Mavericks. Na cerimónia, discursaram personalidades como Phil Jackson e Jeanie Buss.
O'Neal conseguiu três anéis de campeão da NBA com o Lakers (2000, 2001 e 2002). Chegou à equipa na época de 1996 como agente livre e transferiu-se em 2004 para o Miami Heat.

Uma camisola com o seu número foi colocada no tecto do ginásio Staples Center ao lado das também retiradas de Jerry West (44), Wilt Chamberlain (13), Magic Johnson (32), Kareem Abdul-Jabbar (33), Elgin Baylor (22), Gail Goodrich (25), James Worthy (42) e Jamaal Wilkes (52).
Kobe Bryant, o seu companheiro nos três títulos obtidos, deixou uma mensagem gravada para a ocasião: “O tempo voa. Felicidades ao ser mais feliz que vi. Fez algo histórico nesta cidade. Jogou noutras equipas, mas vão lembrar-se sempre de ti por jogares numa. Oficialmente estás imortalizado.

Mereces, aproveita”.
Por sua vez, Phil Jackson, o técnico que o dirigiu nessas conquistas, admitiu que treiná-lo foi uma experiência “mais do que divertida”. “Quero agradecer-te pela dedicação, liderança e trabalho duro”, declarou.

Além disso, Jeanie Buss, responsável pela parte empresarial da equipa, disse que pediu aos admiradores que descrevessem O'Neal como jogador: “Disseram de tudo. Adjectivos como dominante, imparável, 'Diesel', 'Kazaam'... mas as melhores, na minha opinião, foram campeão e ‘Laker’”.

Acompanhado pelos seus pais e filhos, o ex-poste agradeceu no centro da quadra especialmente à família Buss, proprietária da equipa, com ênfase na figura do recentemente falecido Jerry Buss.

“Foi o meu amigo e confidente. Um génio que me ensinou como ser um campeão. Conseguir que a camisola seja retirada é algo que requer muito tempo habitualmente e o facto de ter acontecido tão cedo após a minha aposentação é sensacional. É uma honra. Estou orgulhoso de estar ao pé de nomes como Kareem Abdul Jabbar e George Mikan”, afirmou O'Neal.

O ex-jogador disse ainda que foi o seu pai quem o incentivou a tornar-se um jogador profissional. “Foi o meu modelo a seguir. Disse-me que devia ser dominante como Wilt Chamberlain, defender como Bill Russell e ter um pouco da classe de Kareem”, declarou.

O’Neal agradeceu aos seus seis filhos por aguentarem os horários, os longos cochilos e também pelos seus abraços depois das derrotas e os momentos duros.

Sobre Kobe, com quem chegou a ter uma rixa enquanto jogavam juntos, Shaq não poupou elogios.

“Passei milhões de momentos bons com ele e milhares de maus. O positivo supera o negativo. Se ganhar três anéis seguidos são maus tempos, não quero os bons. Kobe, és meu companheiro e meu irmão. Estou orgulhoso por te considerar assim”, afirmou.


NBA
Pontos de Kobe
dão vitória a Lakers

Na noite em que a camisola número 34 usada por Shaquille O'Neal foi retirada pelo Los Angeles Lakers, Kobe Bryant deu mais uma mostra de que também vai ter um exemplar entre as que estão eternizadas no tecto do ginásio Staples Center, ao conseguir o 19º triplo-duplo da carreira e conduzir a equipa californiana a uma importante vitória por 101 a 81 em casa sobre o Dallas Mavericks.

Importante, porque o triunfo deixa os Lakers, que sofreram com a falta de entrosamento das suas estrelas em grande parte da época regular, mais perto de uma vaga nos play-off. A equipa está em nono lugar na Conferência Oeste, com 39 vitórias e 36 derrotas, assim como o Utah Jazz, que ficariam com a vaga nos critérios de desempate.

Além disso, os Lakers obtiveram uma vitória sobre um concorrente directo. O Dallas poderia ter ficado com uma campanha de 37 vitórias e igual número de derrotas, mas agora tem 36 e 38.

Kobe marcou 23 pontos, pegou 11 ressaltos e deu 11 assistências em 37 minutos (descansou os últimos 55 segundos). O poste Dwight Howard foi o seu principal coadjuvante, com 24 pontos e 12 ressaltos. O também poste Pau Gasol marcou 14, pegou 10 ressaltos e deu 6 assistências.

Pelos Mavericks, o destaque foi o poste Chris Kaman, com 14 pontos e 6 ressaltos. O extremo Dirk Nowitzki teve noite apagada: 11 pontos e 5 ressaltos.
Os Lakers chegaram a uma marca de nove vitórias nos últimos 11 confrontos directos da fase regular contra o Dallas. Além disso, Kobe tornou-se no sexto jogador com mais lançamentos na história da NBA - chegou a 10.976, empatando com Elvin Hayes.


»OUTROS DESTAQUES

Ex-atleta da NBA indiciado por assassinato
O ex-jogador da NBA Javaris Crittenton foi indiciado pelo crime de assassinato nos Estados Unidos, ocorrido em 2011. Ele é acusado de envolvimento com gangues e teria sido o responsável pela morte de Julian Jones, num confronto de facções rivais em Atlanta. O tiroteio que resultou na morte da americana teria sido motivado pelo roubo de jóias do ex-jogador. Na ocasião, o atleta chegou a ser preso, mas foi libertado após o pagamento de fiança.


Dono dos Mavs quer atleta de 2,03 m

O dono do Dallas Mavericks, Mark Cuban, disse que está a considerar escolher a atleta Brittney Griner, do Baylor All-American, no draft da NBA para a próxima época. Antes do jogo contra os Lakers, disse que, se Griner for a melhor opção disponível, “aproveito-a”. Griner, que mede 2,03 m, terminou a sua carreira na universidade como líder da NCAA em tampões e segunda melhor marcadora da história do basquetebol universitário feminino.