Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Espanha e frança jogam nos "quartos"

Melo Clemente, Em Madrid - 10 de Setembro, 2014

Boris Diaw garante prontidão do grupo para suplantar esta noite a forte selecção de Espanha que ainda não perdeu na competição

Fotografia: AFP

As selecções de Espanha e de França protagonizam hoje, a partir das 22h00, no Palácio dos Desportos em Madrid, mais um duelo europeu, desafio que vai definir o último inquilino para as meias-finais da 17ª edição do Campeonato do Mundo de basquetebol em seniores masculinos. Depois de ter perdido na fase preliminar da prova, por expressivos 88-64, os franceses querem surpreender os espanhóis.Com Pau Gasol recuperado, depois de se ter queixado de alguma fadiga física no prélio frente ao Senegal, para os oitavos-de-finais, a selecção espanhola comandada tecnicamente  pelo conhecido Juan Orenga, antigo internacional espanhol, vai procurar mais uma vez superar esta noite o seu opositor e confirmar passagem para as meias-finais da competição.

Com um percurso 100 por cento vitorioso, à semelhança dos norte-americanos, os espanhóis que perseguem o segundo título mundial, depois de terem arrebatado o troféu mundial em 2006 vão, seguramente, contar com o apoio incondicional dos seus adeptos que têm lotado o magnifico Palácio dos Desportos de Madrid, palco que acolhe a 14 do mês em curso, a grande final.Com o histórico a favorecer a selecção caseira, que leva já cinco vitórias, contra três do seu adversário, a selecção de Espanha vai tentar esta noite alcançar a sua sexta vitória, segunda na presente edição do mundial.

Em 2005, no Europeu da Sérvia, a selecção de França havia batido a sua similar de Espanha, por 98-68, ao passo que no mundial da Turquia, os franceses suplantaram os espanhóis, por 72-66. A última vitória da selecção de França aconteceu no Europeu de 2013, na Eslovénia, quando derrotou a Espanha, por 75-72. Em 2009, na Polónia, os pupilos de Juan Orenga vergaram os franceses, por 86-66, e em 2011, na Lituânia, a Espanha venceu a França, por 96-69 e 98-85 respectivamente.

Nos Jogos Olímpicos de Londres nova vitória da Espanha, por 66-59, e ara não variar os espanhóis venceram fase preliminar, por 88-64.Os franceses preferem ignorar o histórico, pelo que tudo vão fazer a fim de surpreenderem a selecção caseira, conquistando deste modo o passe de acesso às meias-finais do Campeonato do Mundo.

Sem Tony Parker, o jogo ofensivo dos campeões europeus tem passado pelo extremo poste Boris Diaw, campeão da NBA pelo San Antonio Spurs, que também tem se destacado na defesa. Nicolos Batum e Antoine Diot também têm estado em grande plano.Já a Espanha vale-se pelo seu colectivismo, onde sobressaem nomes como Paul Gasol, Marc Gasol, Jose Calderon, Rudy Fernandez, Juan Carlos Navarro, Sergio Ibaka, Felipe Reyes e Ricky Rubio.
Em perspectiva uma grande partida, em face da qualidade dos dois plantéis.

SATISFAÇÃO
Aptidão de Gasol
deixa feliz Orenga


O seleccionador espanhol, Juan Orenga, mostrou-se satisfeito com a recuperação do extremo poste, Pau Gasol, atleta que saiu queixoso na partida frente ao Senegal, a contar para os oitavos-de-final da 17ª edição do Campeonato do Mundo de basquetebol em seniores masculinos.A prontidão de Gasol constituiu valor acrescentado á selecção espanhola, situação que alegra o seu seleccionador.

“Claro que estamos satisfeitos pelo facto de Pau Gasol ter recuperado para o jogo de amanhã (hoje), partida que é de extrema importância para as nossas aspirações quanto a conquista do título mundial. Gasol é um elemento-chave na nossa selecção e tê-lo a cem por cento  alegra-nos bastante”.Quanto ao jogo de hoje, Juan Orenga alertou que não existem dois jogos iguais, por isso, pediu aos seus jogadores para entrarem determinados para o desafio.“Não existem dois jogos iguais. Nós vencemos na fase preliminar e isso já faz parte do passado, agora teremos uma nova partida, com possibilidades de vitórias repartidas a 50 por cento”, disse o técnico espanhol.
M.C

FRENTE À SÉRVIA
Brasileiros com mais um teste de fogo


Depois de ter superado nos oitavos-de-final a arqui-rival Argentina, por 85-65, a selecção do Brasil recebe hoje, a partir das 17h00, no Palácio dos Desportos de Madrid, a forte selecção da Sérvia, em partida a contar para os quartos-de-final do Campeonato do Mundo da “bola ao cesto”.Apesar de ter beneficiado do Will Card (convite) da FIBA-Mundo, a selecção brasileira que se faz presente com todas as suas unidades, fundamentalmente, as que actuam na NBA,  Tiago Splitter, campeão pelo San Antonio Spurs, Anderson Varejão, Cleveland Cavaliers, Nenê Hilário, Washington Wizards, e Leandrinho Barbosa, ex-Phoenix Suns, tem superado, com alguma naturalidade, os seus adversários.

Domingo diante da forte Argentina, para os oitavos-de-final da 17ª edição do Campeonato do Mundo da “bola ao cesto”, os brasileiros vulgarizaram os argentinos.Aliás, os 20 pontos de diferença (85-65), atesta perfeitamente a supremacia evidenciada pela selecção do Brasil, que está disposta em afastar a selecção europeia que eliminou a Grécia com uma vitória convincente, por 90-72. Equiparados em termos de altura e peso, a partida entre brasileiros e sérvios é seguramente de desfecho imprevisível.

O argentino, ao serviço da selecção brasileira, Ruben Magnano, afirmou em conferência de imprensa, que o grupo está mais confiante depois da brilhante vitória diante da Argentina.“Creio que quem elimina a Argentina, que faz parte do topo três do ranking mundial está preparada para enfrentar qualquer adversário. Vamos procurar abordar o jogo com bastante determinação porque pretendemos atingir a grande final”, alvitrou o técnico argentino.Já o seleccionador sérvio, Sasha Djordjevico, antigo internacional, preferiu atirar a pressão do lado da selecção brasileira.

“O Brasil é uma grande selecção. Eliminou a Argentina que era apontada como uma das candidatas ao título. Vamos dar o nosso melhor e se nos concederem facilidades obviamente que vamos aproveitar vencer o desafio”.Na fase preliminar as duas selecções  defrontaram-se e o Brasil venceu a Sérvia, por 81-73.
 M.C