Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

EUA vencem de forma invicta

Helder Jeremias | Em Istambul - 07 de Outubro, 2014

Cinco vitórias em igual número de jogos foi o balanço da campanha dos Estados Unidos

Cinco vitórias em igual número de jogos foi o balanço da campanha dos Estados Unidos  na 17ª edição do Campeonato do Mundo de basquetebol sénior feminino, terminado domingo último, com a revalidação do título no jogo com a seleção espanhola, a quem venceram na final por 77-64. Os Estados Unidos foram dignos da conquista alcançada por terem passeado toda a classe e perfume do basquetebol jogado com propriedade, serviu de exemplo às demais nações que pugnam pela excelência da “bola ao cesto”.

Inseridas no grupo D, as campeãs mundiais começaram a competição com vitória sobre a República Popular da China, a quem venceram por 87-56,  impuseram-se  na segunda jornada diante da Sérvia, a quem venceram por  94-74,  garantiram a presença nos quartos-de-final com a vitória expressiva diante de Angola por 119-44.

A equipa às ordens do técnico Geno Auriemma fez as delícias do público com a sua Similar a França, em partida pontuável para os quartos-de-final, arrancaram uma vitória de 94-72, num prélio em que as gaulesas, orientadas pela treinadora Valérie Garnier , souberam dignificar o basquetebol praticado pelas vice-campeãs europeias, caracterizado pelo rigor táctico e refinado nível técnico.
As campeãs mundiais tiveram maiores dificuldades no prélio com a seleção da Austrália, em partida referente às meias- finais, disputadas sábado, às 21h30 minutos, no jogo em que as australianas fizeram jus ao estatuto de segunda equipa posicionada no ranking mundial.

A Espanha não deixou os seus créditos por  mãos alheias, pois foi a digna vencida na final, depois de ter mantido a  hegemonia sobre às demais integrantes do continente Europeu.

 Os  77- 64 a favor dos Estados Unidos podem ser ilustradores da supremacia do basquetebol norte-americano, mas devemos reconhecer que as campeãs europeias souberam cristalizar o seu jogo no terceiro quarto, em que o adversário jogou na condição subalterna.

Colocada no grupo A, a Espanha começou a sua campanha com vitória diante do Japão, por 74-50, impôs-se  frente o Brasil, 83-56, voltou a triunfar no duelo com a República Checa pelos favoráveis 67-43.

Nos quartos-de-final levou de vencida  a China, 71-55 e bateu a selecção anfitriã, Turquia, nas meias- finais por dez pontos de vantagem (66-56).
No cômputo geral, em seis jogos, os Estados unidos marcaram  553 pontos e sofreram apenas 380. A Espanha converteu 425 e sofreu 337.