Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Expectativas marcam abertura

Melo Clemente - 14 de Outubro, 2019

Abertura da poca desportiva 2019/2020 aconteceu na sexta-feira com a disputa da Supertaa

Fotografia: Contreiras Pipa | Edies Novembro

A menos de cinco dias para o arranque da 42ª edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, cresce a expectativa em torno da aludida competição, cuja jornada número um pode vir a ser abortada pelos homens do apito, que condicionam o início da prova nacional ao pagamento das dívidas referentes a época passada, por parte da Federação Angolana de Basquetebol (FAB).
Apesar da época desportiva 2019/2020  a nível da \"bola ao cesto\", ter sido aberta na última sexta-feira, com a disputa da final da Supertaça Wlademiro Romero, que culminou com a consagração do Petro de Luanda, que bateu o arqui-rival, 1º de Agosto, por 84-88, no primeiro clássico dos clássicos, os árbitros decidiram condicionar o arranque da 42ª edição do Campeonato Nacional, que tem a primeira jornada marcada para sexta-feira, dia 18 do mês em curso, ao pagamento de todos os \"ordenados\" em atraso.
Reunidos na última terça-feira, com o antigo árbitro Wilsom Boaventura, o actual homem forte da Associação Nacional dos Juízes de Basquetebol de Angola (ANJBA), os homens do apito decidiram não arrancar com o Campeonato Nacional, caso a direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), encabeçada por Hélder Martins da Cruz \"Maneda\", não pague na totalidade as dívidas que tem para com os juízes e oficiais de mesa, respectivamente.
Os árbitros prometem cumprir com a decisão tomada, depois de terem permitido a disputa da final da Supertaça Wlademiro Romero, na última sexta-feira, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva.
Após a reunião, os homens do apito endereçaram uma carta à direcção do órgão reitor da modalidade, em que demonstram claramente a intenção de condicionar o arranque do Campeonato Nacional da \"bola ao cesto\", prova que ficou reduzida a oito agremiações, curiosamente, todas da capital do país, Luanda.
Trata-se do Petro de Luanda, actual campeão nacional, 1º de Agosto, Grupo Desportivo Interclube, Atlético Sport Aviação (ASA), Futebol Clube Vila Clotilde, Clube Universidade Lusíada, Clube Desportivo Marinha de Guerra e Clube Formação Desportivo Kwanza (CFDK), respectivamente.
\"Nós estamos cansados com promessas não cumpridas do presidente da federação angolana de basquetebol. Por isso, na reunião que tivemos, decidimos apitar a final da Supertaça e condicionar o arranque do campeonato nacional ao pagamento das nossas dívidas\", asseverou a nossa fonte.
A nossa fonte assegurou, por outro lado, que os homens do apito exigem do órgão reitor da modalidade o pagamento na totalidade dos seus \"ordenados\" em atraso.
\"O que decidimos é que à direcção da federação pague, na totalidade, as dívidas que têm para os árbitros\", finalizou.

COMPETIÇÃO
ESTÁ SEM NOME

Com o início marcado para o dia 18 do mês em curso, a 42ª edição do Campeonato Nacional de Basquetebol em seniores masculinos continua sem designação, ao contrário do que tem acontecido nas últimas temporadas.
A Unitel, empresa de telefonia móvel, que patrocinou a competição na temporada passada, decidiu não mais renovar o contrato com a direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), liderada por Hélder Martins da Cruz \"Maneda\".
As polémicas vividas na temporada passada, relativamente a divisão de valores para as equipas participantes da prova, terá forçado a Unitel a não prolongar o vínculo com à direcção da FAB, segundo apurou o Jornal dos Desportos.