Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Fase do ttulo promete emoes

Melo Clemente - 24 de Abril, 2014

Recreativo do Libolo e 1 de Agosto jogam hoje noite mais uma vez na presente poca desportiva no municpio de Viana

Fotografia: Jos Soares

Ainda combalidos com o desaire da final da Taça de Angola, a formação do 1º de Agosto defronta hoje, a partir das 18h00, no Complexo do Dream Space, em Viana, o Recreativo do Libolo, em partida de maior cartaz da primeira jornada da Final Four da 36ª edição do BAI Basket.Depois de ter perdido a Taça de Angola a favor do arqui-rival, Atlético Petróleos de Luanda, com quem perdeu por 89-96 e 88-82, os militares, tal como os demais concorrentes, estão fortemente engajados na conquista da 36ª edição do Campeonato Nacional da bola ao cesto.

Sem o extremo base Carlos Almeida, atleta que se despediu recentemente das quadras, a equipa rubra e negra vai procurar arrancar uma vitória no reduto do Recreativo do Libolo, formação que nos últimos tempos tem sido o principal carrasco do Clube Central das Forças Armadas Angolanas.Na presente época desportiva, os dois emblemas já se defrontaram em nove ocasiões, tendo a equipa do Recreativo do Libolo vencido seis encontros, contra três triunfos dos militares.

A mais recente vitória dos pupilos de Paulo Macedo teve lugar nas meias-finais da 30ª edição da segunda maior competição da bola ao cesto.Cedrick Ison, extremo base, e Reggie Moore, extremo poste, dois atletas que têm estado em fraco rendimento, trabalharam de forma intensa a fim de recuperarem a forma desportiva. Armando Costa, Felizardo Ambrósio Miller, Joaquim Gomes Kikas, Mário Correia, Edmir Lucas, Edson Ndoniema vão ter a missão de liderar as acções ofensivas do 1º de Agosto. O Recreativo do Libolo, segundo classificado do Grupo A, vai aproveitar o factor casa para suplantar o seu opositor de logo mais.

Depois de se ter apresentado com alguns furos abaixo, durante a fase anterior da competição, Norberto Alves, comandante do grémio da vila de Calulo, assegurou ao Jornal dos Desportos que a sua rapaziada vai abordar de forma diferente a Final Four da 36ª edição do BAI Basket.

O grupo respira saúde, pelo que Norberto Alves vai poder contar com todas as suas principais unidades, de que se destacam Carlos Morais, Olímpio Cipriano, Eduardo Mingas, todos internacionais angolanos, além do norte-americano Eric Coleman.

Em função da qualidade dos dois plantéis, o desafio desta noite vai ser seguramente marcado pelo signo de equilíbrio. Sábado, realiza-se a segunda jornada da série A, com o 1º de Agosto a receber o Interclube, ao passo que o Atlético Petróleos de Luanda defronta o Recreativo do Libolo, no Pavilhão Principal da Cidadela Desportiva.    A Final Four é disputada no sistema de todos contra todos a quatro voltas.

No Pavilhão 28 de Fevereiro
Petrolíferos querem surpreender os polícias

Depois de ter sido mal sucedido na última visita que efectuou ao Pavilhão 28 de Fevereiro, onde perdeu por 71-101, a formação do Atlético Petróleos de Luanda tenciona surpreender esta noite (18h30 minutos), o Interclube e alcançar a sua primeira vitória na Final Four. Moralizados com a conquista da Taça de Angola, os pupilos de Lazare Adingono centralizaram agora as atenções para a etapa derradeira do BAI Basket, competição que pretendem arrebatar. O norte-americano Roderick Nealy, que na final da Taça de Angola frente ao 1º de Agosto anotou 64 pontos nas duas partidas, vai seguramente constar do cinco inicial da equipa do eixo-viário, conjunto que ocupou o quarto lugar na fase de grupos.

Alberto Babo, técnico principal do Grupo Desportivo Interclube, quer melhorar os níveis alcançados, fundamentalmente, na segunda volta da fase de grupos.Apesar de reconhecer as potencialidades do seu opositor, o comandante da turma da Polícia não esconde o desejo de voltar a vergar os petrolíferos da capital, desta vez para a primeira jornada da Final Four.

Os polícias vão aproveitar o factor casa para voltarem a vergar a equipa do eixo-viário, que continua desprovida de poste Miguel Kiala, atleta que recupera satisfatoriamente da intervenção cirúrgica a que foi submetido recentemente.Terça-feira última, para a série B, a Universidade Lusíada venceu o Atlético Sport Aviação (ASA), por 69-62. Em Benguela não houve jogo, em virtude do Futebol Clube Vila Clotilde não ter viajado para aquela província, alegadamente por ter recebido o comunicado da FAB tardiamente.
MC

Senior feminino
Misto huílano prepara
Campeonato Nacional


O Misto da Huíla em basquetebol sénior feminino continua a projectar com esmero a sua participação no campeonato nacional da modalidade, previsto para 10 a 20 de Maio próximo, em local ainda por indicar pela Federação Angolana de Basquetebol.Nesta segunda fase de preparação estão a ser aprimorados aspectos técnicos para culminar com a parte táctica.Francisco Paulo Tchamwanga, técnico do Misto da Huíla, referiu que a primeira fase foi aproveitada para efectuar a recuperação física das atletas que ficaram muito tempo sem treinar.

 O objectivo da participação do Misto da Huíla pela segunda vez consecutiva em provas nacionais da bola ao cesto passa em fazer uma boa figura e melhorar a quinta posição alcançada no campeonato passado, realizado na província do Bié.A preparação decorre sem sobressalto. O único problema existente prende-se com a falta de jogos de controlo. Nos diferentes sectores o conjunto também não está bem servido. O técnico referiu estar mal a nível da posição de poste. Para colmatar esse défice conta com dois reforços de duas atletas do escalão de cadetes. “Já pedimos à direcção da associação provincial da modalidade para dirigir uma carta à federação para ver se nos autoriza a jogar com essas atletas da categoria de cadetes por possuírem boa altura”, sustentou.
Gaudêncio Hamelay, no Lubango

Cadeira de Roda
Kabuscorp de Cabinda
espera revalidar título


O Kabuscorp de Cabinda, campeão nacional de basquetebol em cadeira de rodas, vai lutar no sentido de revalidar o ceptro no campeonato nacional que a província de Malanje acolhe em Maio próximo, disse o presidente da Associação Provincial do Desporto Paralímpico, Virgílio Joaquim Ambrósio.Além da participação do campeão nacional, a província de Cabinda vai também contar com a presença da formação do Real Mbuco, actual campeão provincial. As duas agremiações trabalham para representarem com dignidade a província.

“A associação está a acompanhar os trabalhos de preparação das duas formações. Todas as condições estão a ser criadas, assim como o apoio moral está a ser dado para uma boa participação. Também vamos enviar dois dirigentes da APDEPA para a troca de experiência durante a competição”, disse.Virgílio Ambrósio realçou que está confiante numa excelente exibição do estreante Real Mbuco no campeonato nacional e principalmente do Kabuscorp de Cabinda que tem a “obrigação” de revalidar o ceptro.
 Joaquim Suami, em Cabinda