Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Federação remarca BIC Basket

Melo Clemente - 19 de Outubro, 2015

FAB quer dar maior visibilidade às duas competições com particular realce para o BIC Basket

Fotografia: Nuno Flash

A XXXVIII edição do Campeonato Nacional de basquetebol em seniores masculinos, vulgo BIC Basket, referente a época desportiva 2015/2016, arranca apenas em Janeiro, em virtude da disputa no país, do Zonal VI de  Apuramento à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos da "bola ao cesto", prova a decorrer de 28 do mês em curso a 06 de Novembro próximo, segundo apurou o Jornal dos Desportos de fonte federativa.

A fase final da aludida competição vai decorrer em Luanda no período de 27 de Novembro a 06 de Dezembro, isto no sector feminino, ao passo que em masculinos, a prova vai ser disputado de 10 a 20 de Dezembro. Entretanto, a área técnica da Federação Angolana de Basquetebol, liderada por Nuno João Fernandes Teixeira, havia estabelecido a data de 20 de Novembro próximo, como o dia do arranque da XXXVIII edição do BIC Basket, sem a presença do Sporting de Benguela, conjunto que foi despromovido ao escalão inferior (segunda divisão).

De acordo com Tony Sofrimento, secretário-geral da Federação Angolana de Basquetebol, ele que coordena igualmente a Comissão Organizadora do Zonal VI de Apuramento à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos, em face da disputa em Luanda das provas sob a égide da Fiba-Afrique, o órgão reitor  da modalidade no país entendeu remarcar o início do BIC Basket para Janeiro, para que todos os intervenientes entrem na competição em igualdade de circunstâncias.

"Estamos a montar as coisas de modos a que cada situação seja feita no momento certo. Estamos a procura de um momento bom para fazermos o lançamento do BIC Basket, queremos que esta competição seja disputada melhor do que na temporada passada. Uma das questões que pretendemos evitar é que o BIC Basket seja disputado numa altura em que quatro ou cinco equipas não possam participar da mesma.

O ano passado tivemos uma situação que não foi muito boa, na medida em que os clubes que haviam participado na fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos começaram a competir apenas internamente em Janeiro. Por isso, estamos a procura de uma data boa para que todo mundo comesse e haja uma competição regular".

Tony Sofrimento disse por outro lado, que a remarcação do BIC Basket para Janeiro de 2016, enquadra-se numa estratégia da própria federação que tenciona dar maior visibilidade nas duas competições (BIC Basket e Zonal VI de Apuramento à fase final da Taça dos Clubes Campeões Africanos), situação que não seria possível se as referidas provas fossem disputadas em simultâneo.

"A federação para todos os efeitos, quer estar dentro da lógica e a lógica diz que não seria bom que órgão reitor da modalidade tivesse a fazer disputar o BIC Basket numa altura em que estivessem a decorrer as competições africanas, sob pena de uma prova ficar sem visibilidade. Não temos assim tanto espaço e nem disponibilidade social para que isso aconteça.

O país tem um calendário de basquetebol muito intenso, decorre nesta altura o provincial de Luanda, depois fazemos a eliminatória da Taça de Clubes em Luanda, vamos fazer as supertaças do dia 10 de Novembro e depois avançamos para a fase final da liga africana que termina no dia 20 de Dezembro e a partir desta data normalmente a federação paralisa as suas actividades por causa da pausa da quadra festiva", justificou Tony Sofrimento, secretário-geral da FAB.

A direcção da federação vai reunir nos próximos dias para produzir um comunicado para distribuir nas equipas que vão disputar a XXXVIII edição do BIC Basket, referente a época desportiva 2015/2016. "Estamos a trabalhar nisso ainda não uma decisão definitiva mas tudo indica pra isso, vamos reunir no decorrer da semana e se pretendemos fazer algo bom envolvendo todas as equipas teremos mesmo que encontrar uma boa data que passa necessariamente em começar a competição apenas em Janeiro", disse.

Relativamente a situação do Sporting de Benguela que clama pela permanência no escalão superior, Tony Sofrimento afirmou que vão seguir a arrisca a decisão do Conselho Jurisdicional que colocou a equipa verde a branca da cidade das Acácias Rubras na segunda divisão.

Depois de lhe ter sido averbada a falta de comparência, no jogo que defrontou a Universidade Lusíada, no seu reduto, e que devido a falta de energia o prélio não terminou, a formação do Sporting de Benguela recusou-se a jogar em Luanda, quando a  FAB tenha já retirado a falta de comparência e remarcado a partida.

CAPACITAÇÃO
Victorino Cunha ministra curso para treinadores


O categorizado treinador de basquetebol, Victorino Cunha, vai ser um dos prelectores do curso para treinadores de nível II e III, numa organização da Escola Nacional de Formação de Quadros da Federação Angolana de Basquetebol em parceria com a similar de Portugal. A referida acção formativa vai decorrer de 23 do mês em curso a 1 de Novembro próximo. Mais de duas dezenas e meia de candidatos ao curso de treinadores de nível II e III estão já inscritos, segundo apurou o Jornal dos Desportos, junto do secretário-geral da FAB, Tony Sofrimento.

Aquele responsável federativo fez saber que as condições técnicas e logísticas estão a ser criadas para a que a referida acção formativa decorra sem sobressaltos. "Como sabe as inscrições para os candidatos a treinadores de nível II e III começou no dia 05 deste mês e nesta altura temos mais de 25 treinadores inscritos, número que certamente vão aumentar até amanhã, dia 20, data estabelecida como limite para que os candidatos entreguem as respectivas candidaturas. Estamos a trabalhar na criação de condições técnicas e logísticas para que o curso arranque mesmo no dia 23", asseverou Tony Sofrimento.

Para além do técnico Victorino Cunha, Comissário Fiba, antigo seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, vencedor de três títulos africanos, em 1989, 1991 e 1993, o curso para treinadores de nível II e III vai contar também com outro formando angolano,  Artur Casimiro Barros, ao passo que de Portugal virá Luís Jorge Fernandes, director da Escola de basquetebol de Portugal.

"Vamos ter a honra de ter como um dos prelectores o director da escola de basquetebol de Portugal, o senhor Luís Jorge Fernandes, que tem qualificação reconhecida a nível mundial e não só, com quem nós já trabalhamos em Angola no início deste ano para preparamos esta acção formativa. Depois acresce também os nossos técnicos aqui, começando por Artur Casimiro Barros que foi indicado como director do curso, para além do professor Victorino Cunha, que também é instrutor Fiba a par do Artur Barros".

De acordo ainda com Tony Sofrimento, os prelectores portugueses devem escalar a capital angolana, Luanda, entre os dias 21 e 22.
Para além dos documentos que são exigidos, os candidatos devem pagar uma taxa de vinte mil kwanzas (20.000.00kz).            
M.C

ACORDO
Vila e Interclube
selam protocolo


A formação do Futebol Clube Vila Clotilde vai utilizar nos próximos dois anos o Pavilhão 28 de Fevereiro, como a sua quadra oficial para a realização de partidas de basquetebol, quer para o Campeonato Provincial de Luanda da "bola ao cesto", quer para o Campeonato Nacional a nível dos seniores masculinos (BIC Basket).

O acordo de cedência do Pavilhão 28 de Fevereiro ao Futebol Clube Vila Clotilde, para os próximos dois anos, resulta da transferência de dois dos jogadores daquela agremiação desportiva para o Grupo Desportivo Interclube, conjunto que está fortemente engajado no rejuvenescimento da sua colectividade.

Tratam-se do extremo poste,  Alexandre Jungo, campeão africano de sub-16, em 2013, sob batuta do técnico Manual da Silva "GI", para além do base Gerson Domingos, filho do antigo basquetebolista Zê Guião, hoje um dos braços directo do técnico português, Alberto Babo. Elvino Dias, técnico principal do Futebol Clube Vila Clotilde, mostrou-se satisfeito com o negócio que culminou com a transferência dos dois jogadores acima referenciados.

 "Estamos satisfeito com o negócio que efectuamos com o Grupo Desportivo Interclube. Como sabe o alugar de recintos de jogos para equipas eminentemente formativa como a nossa fica bastante onerosa, daí, termos um acordo onde a nossa equipa possa utilizar o Pavilhão 28 de Fevereiro durante dois anos", asseverou o técnico Elvino Dias.

Questionado sobre a época desportivo 2015/2016, o técnico do Futebol Clube Vila Clotlde afirmou "que vão procurar melhorar a prestação da edição passada", apesar de reconhecer o potencial das demais equipas.                                              
M.C 

PORTUGAL
Moncho López
lamenta desaire


Com o FC Porto derrotado na Luz pelo Benfica (61-72), Moncho López lamentou a diferença que considera exagerada, até porque os dragões estiveram a liderar por 16 pontos. O técnico do FC Porto reconhece que ainda há trabalho pela frente e espera aproveitar a oportunidade para aprender.

Acho que foi um jogo bonito, apesar dos muitos erros e turnovers cometidos. Parabéns ao Benfica e ao seu treinador, que optou bem pela defesa zona. A diferença acabou por ser injusta para aquilo que jogámos. Independentemente do pavilhão em que jogamos, representar este clube é sempre um orgulho. Estamos contentes por estar na Liga e actuamos com o mesmo empenho na Luz, em Guimarães ou no Porto", comentou.

Mesmo assim, Moncho López mantém-se confiante de que os dragões estão no bom caminho, até porque esta é a época em que o FC Porto regressou à elite do basquetebol português. "Nas poucas oportunidades que o Benfica nos deu na segunda parte, nós falhámos. Temos imenso trabalho pela frente. Estamos a crescer e gostava que fosse mais depressa.